(pt) Grécia, APO, terra e liberdade[Tessalônica]Manifestação contra o patriarcado e o estupro (ca, de, en, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 26 de Janeiro de 2022 - 08:40:35 CET


Manifestação contra o patriarcado e estupro Segunda-feira 17/1 Tsimiski com 
Aristóteles 19.00. ---- CONTRA O PATRIARCADO, O ESTUPRO E QUEM OS COBRE: 
AUTORIDADES DO ESTADO, MÍDIA E PRINCÍPIOS JUDICIAIS ---- Na véspera de Ano Novo e 
enquanto novas medidas de proibição foram introduzidas, uma reunião é organizada 
pela cidade, mas também empresários de Atenas durante a qual uma jovem de 24 anos 
foi drogada e estuprada. A mulher imediatamente denunciou o incidente à polícia, 
entrando com uma ação contra seus estupradores. A polícia acaba por deter apenas 
o proprietário e gerente da loja "Achillion", de 27 anos, enquanto a autoridade 
judiciária ordena o fim imediato da sua detenção, impondo condições restritivas e 
interdição de comunicação com a rapariga. Fora isso, nada. O arguido, passados 
alguns dias, admitiu o seu envolvimento no incidente, afirmando que estava a 
pressionar as jovens a visitarem o hotel, para que uma delas ficasse "exposta 
mental e fisicamente". Dois dias depois, o acusado mudou sua declaração para a 
"mídia", alegando que seu celular foi roubado e que ele não havia revelado a 
publicação anterior.

Enquanto isso, o público assiste com desgosto a uma série de revelações sobre a 
atividade criminosa do circuito sujo, que inclui pais de famílias burguesas, 
lojistas "aristocráticos", grandes empresários e notívagos com acesso e 
influência às autoridades policiais e judiciárias. Essas revelações são feitas 
através da ação e posicionamento de indivíduos e grupos tentando quebrar o medo, 
em forte contraste com os desejos da grande mídia, pessoas da TV e vários outros 
homenageados tardios da emancipação feminina, enquanto as "instituições" buscam 
se degradar. disfarce e expulsão dos envolvidos.

Não temos confiança na justiça civil, pois esta não é a primeira vez que ele 
disfarça e liberta estupradores enquanto constantemente e repetidamente tenta 
minimizar, enterrar ou manipular esses casos com base em estereótipos patriarcais.

O DIREITO SERÁ JULGADO NAS RUAS DO ESTADO E DO PATRIARADO!

Enquanto no ano passado contabilizamos 19 assassinatos de mulheres, o patriarcado 
nos lembra novamente que estupra, oprime e assassina! É um lembrete constante de 
que a qualquer momento, nós mulheres, por conta de nosso gênero ou sexualidade, 
podemos nos tornar objetos de opressão. Em uma sociedade patriarcal, a 
legitimidade social da violência de gênero se cristaliza tanto na aceitação de 
comportamentos opressivos-autoritários quanto na ocultação de tais incidentes, 
especialmente se o status dos estupradores o permite ou o impõe.

O PATRIARCADO É UM PODER E A AUTORIDADE É INCRÍVEL E MATADORA!

Ninguém sozinho. Nenhum protesto que opte por sair às ruas não é suficiente. 
Somos solidários uns com os outros, de mãos dadas, e lutamos pela eliminação da 
opressão de gênero e de todas as formas de poder. É óbvio para nós que o caminho 
para a eliminação do patriarcado e da violência de gênero passa pela luta pela 
emancipação das mulheres, uma luta totalitária contra o Estado, o capital e todas 
as formas de poder. Como militantes e anarquistas propomos a organização dos de 
baixo e a reivindicação daqueles que nos pertencem, o contra-ataque de classe 
organizado dos exploradores, mulheres e homens, para derrubar o mundo do 
patriarcado, estado e capitalismo, para criar uma sociedade sem exploração e 
opressão.

ESTADO-EM-MAIO E JUÍZES COBRIRAM TODO O RAPPER
CONTRA O ESTADO E O PATRIARADO
ORGANIZAÇÃO DE MULHERES E LUTAS DE MANIPULAÇÃO E ANARQUIA

Mulheres livres / Preto e vermelho (membro da APO)

https://landandfreedom.gr/el/agones/662-thes-niki-sygkentrosi-enantia-stin-patriarxia-tous-viasmoys


Mais informações acerca da lista A-infos-pt