(pt) Espanha, cgt andaluzia: Marcha Branca da Andaluzia do Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) chega a Cádiz (ca, de, en, fr, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 20 de Janeiro de 2022 - 08:16:32 CET


  A marcha branca, que começou no último sábado, 8 de janeiro em Almería, 
percorrerá todas as províncias da Andaluzia em QUATORZE ETAPAS e está programada 
para chegar a Sevilha, em frente ao Palácio de San Telmo, em 8 de abril, dia que 
coincidirá com um dia de greve geral no setor de Atenção Domiciliar da SAD (ajuda 
domiciliar). No próximo sábado, 15 de janeiro, a SAD White March chega a Cádiz 
iniciando sua segunda etapa desde o portão de Astilleros onde se juntará à 
manifestação contra a repressão derivada da greve dos metalúrgicos. As catorze 
caminhadas que nos levarão de Almería a Sevilha pretendem GRITAR ao público as 
condições sócio laborais que sofrem o coletivo de Cuidados Domiciliários na 
Andaluzia, o esgotamento, a falta de proteção e a invisibilidade deste serviço 
essencial para os cidadãos que empregam mais de 22.000 profissionais sociais e de 
saúde em nossa comunidade autônoma, a maioria mulheres. Os SAD, serviços 
municipais que foram colocados principalmente pelas Câmaras Municipais da 
Andaluzia nas mãos de empresas privadas que lucram com a Dependência e que com 
benefícios milionários exploram literalmente as pessoas que cuidam dos nossos 
idosos e dependentes, impondo-lhes condições de trabalho leoninas e abusivas , 
Sem respeitar os acordos coletivos aplicáveis e colocando em risco tanto os 
usuários quanto os próprios profissionais, por economizar no fornecimento de EPI 
e medidas de prevenção de riscos contra contágios e doenças ocupacionais. Os 
assistentes do SAD são o segundo grupo andaluz com a maior taxa de infecções por 
coronavírus. A SAD da CGT Andaluzia exige que o grupo deixe de ser de "USE E 
TIRAR", que seja reconhecido pelo seu profissionalismo como pessoal de saúde 
social que é e dignidade profissional com condições de trabalho, prevenção de 
riscos e salários de acordo com a responsabilidade e bom trabalho que realizam em 
cada um dos municípios andaluzes. As demandas básicas que nos levam a chutar toda 
a Andaluzia, porque NÃO SOMOS INVISÍVEIS, SOMOS TRABALHADORES TRISTE, são: a) 
Fornecimento de EPI suficiente, de qualidade e aprovado a todos os trabalhadores 
do setor, como os prescritos para hospitais e pessoal do lar de idosos. b) 
Eliminação dos contratos e subempreiteiros da SAD, tornando-se serviços públicos 
municipalizados, eliminando assim a precarização do emprego e o lucro das 
empresas privadas que, sem expor nada, enriquecem à custa dos orçamentos 
públicos. c) Adequação dos postos de trabalho das trabalhadoras grávidas a partir 
do momento em que são por elas comunicados às empresas, como prevenção e proteção 
tanto para a mãe como para o feto. d) Eliminação das listas de espera de pessoas 
dependentes com necessidades de ajuda no domicílio e promoção e implementação 
generalizada deste serviço social. e) Estabelecimento de um valor líquido mínimo 
por hora de trabalho para auxiliares domiciliários em € 10/h. f) Estabelecimento 
de trabalho a tempo inteiro para o setor no máximo de 35h semanais e o turno 
mínimo a tempo parcial de 25h semanais. g) Compensação econômica por jornada 
fracionada com 33% do salário-base e limitação a uma única folga da jornada, 
facilitando a conciliação entre trabalho e família, com não mais de 60 minutos de 
interrupção da jornada de trabalho na folga.

Leia mais: 
https://www.cgtandalucia.org/blog/8246-llega-a-cadiz-la-marcha-blanca-andaluza-del-servicio-de-atencion-domiciliaria-sad.html 


https://www.cgtandalucia.org/blog/8246-llega-a-cadiz-la-marcha-blanca-andaluza-del-servicio-de-atencion-domiciliaria-sad.html


Mais informações acerca da lista A-infos-pt