(pt) José Antonio Gutiérrez D: Harold está livre, a montagem judicial caiu! (ca, de, en, fr, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 15 de Setembro de 2021 - 09:58:24 CEST


Na audiência de 6 de setembro, caiu a grosseira assembléia que o Ministério 
Público e o Exército vinham promovendo contra Harold Ordóñez Botero, 
reincorporado e incansável lutador social do Vale do Cauca. Na realidade, as 
provas do acusador, com as quais o acusavam de ser "Óscar", comandante da coluna 
Adán Izquierdo das FARC-EP, não se sustentaram um segundo. Foi claramente uma 
montagem, parte de uma perseguição a Harold por suas denúncias sobre a 
militarização das áreas rurais e os contínuos abusos que a população tem sofrido 
nas mãos do Batalhão Palacé. Mais um ato de vingança contra os signatários da paz 
que se mantiveram firmes em suas convicções e se comprometeram a continuar 
lutando (sem armas) pelas mudanças sociais que a maioria clama nas ruas e campos 
da Colômbia.

Harold está livre, a montagem judicial caiu!

Na audiência de 6 de setembro, caiu a grosseira assembléia que o Ministério 
Público e o Exército vinham promovendo contra Harold Ordóñez Botero, 
reincorporado e incansável lutador social do Vale do Cauca. Na realidade, as 
provas do acusador, com as quais o acusavam de ser "Óscar", comandante da coluna 
Adán Izquierdo das FARC-EP, não se sustentaram um segundo. Foi claramente uma 
montagem, parte de uma perseguição a Harold por suas denúncias sobre a 
militarização das áreas rurais e os contínuos abusos que a população tem sofrido 
nas mãos do Batalhão Palacé. Mais um ato de vingança contra os signatários da paz 
que se mantiveram firmes em suas convicções e se comprometeram a continuar 
lutando (sem armas) pelas mudanças sociais que a maioria clama nas ruas e campos 
da Colômbia.

Hoje comemoramos que a justiça foi feita. Estamos satisfeitos que a juíza do 
caso, Jenny Brand, agiu de forma independente, apesar da enorme pressão exercida 
sobre ela pelo exército, a promotoria e a polícia. Ainda é preocupante que o 
Comandante da Polícia, Jorge Luis Vargas, acreditasse ter o direito de "ditar" ao 
juiz a decisão que ela deveria tomar, tratando-a como quem dá ordens aos soldados 
de um batalhão. Na sexta-feira, 3 de setembro, quando as audiências ainda estavam 
em andamento, o general saiu para dizer que Harold já estava com "seguro 
intramural" e que aguardava "a sentença máxima"[1]. Apesar desse claro ato de 
pressão e intimidação, o juiz agiu com base em evidências esmagadoras para 
resolver a libertação imediata de Harold.

Da mesma forma, devemos mencionar o triste papel desempenhado pela medíocre 
imprensa colombiana, que com preguiça nada surpreendente, se limitou (salvo a 
honrosa exceção do Noticias Uno) a reproduzir servilmente os disparates 
proferidos pelo Comandante Vargas. Sem revisar as copiosas evidências em favor de 
Harold fornecidas pelo brilhante advogado de defesa Elmer Montaña, eles o 
consideraram culpado com base nas evidências fabricadas pelas forças repressivas, 
tão adeptas de fazer falsos positivos. Isso mostra que há algum tempo a imprensa 
colombiana se tornou uma caixa de ressonância vulgar da ultradireita paleolítica. 
Eles merecem ser processados. Triste também o papel do partido Comunes, que 
contribuiu para o perfil de Harold por trazer intrigas sectárias e mentiras 
maliciosas aos ouvidos do exército e da promotoria, plenamente consciente das 
consequências. Eles também são os culpados nesta montagem. Antes, as diferenças 
eram resolvidas pelo "camarada Mauser"; agora, é calúnia. Até o momento, eles não 
se retiraram.

O exército, a polícia e a promotoria têm que passear rabones, como dizem, e isso 
mesmo faz com que a situação de Harold continue sendo preocupante e delicada. Em 
um país normal, esta situação já estaria esclarecida e Harold poderia continuar 
com sua vida normal de trabalhador, aluno e pai. Mas na Colômbia existem 
múltiplos mecanismos legais e extrajudiciais, paralegais, com os quais podemos 
continuar perseguindo, atacando e até assassinando pessoas que as autoridades 
consideram irritantes. 300 signatários da paz assassinados são testemunhas do que 
eu digo. As entidades de "proteção" na Colômbia não protegem, mas representam uma 
ameaça real para a própria população: existem cerca de 7.000 falsos positivos 
confirmados que o comprovam.

É por isso que não podemos diminuir nossa vigilância e devemos continuar cercando 
Harold de solidariedade para evitar novos ataques de uma instituição francamente 
criminosa. Se algo ficou claro com esse julgamento, foi o enorme carinho de todos 
os que cercam Harold, um homem rico de amigos e colegas. Todos os que o conhecem, 
como colega de trabalho, como companheiro de luta, como família, como amigos, 
saíram para defendê-lo e evitar que seu nome se sujasse. Harold é uma pessoa de 
convicções claras, de transparência infalível, alguém que deu tudo sem esperar 
nada em troca (por isso pode não ter sido um bom político), um sujeito honesto e, 
acima de tudo, um homem digno. Ele não é um único lambedor, nem um ajoelhado, nem 
um vergonhoso arrependido, mas um lutador social, como ele se definiu na platéia. 
Dignidade produz simpatia,

Então vamos celebrar a liberdade, vamos comemorar a queda dessa montagem, mas não 
vamos perder nossa vigilância. Harold, que alegria tê-lo de volta na rua, para 
que continue lutando, para que continue trabalhando pelos direitos dos camponeses 
e pelo bem-estar dos pobres, para que continue erguendo as bandeiras da 
dignidade, que você continue a dar amor à sua família e a todos ao seu redor. E, 
claro, para que no dia 13 de setembro você possa defender sua tese de mestrado.

José Antonio Gutiérrez D.
8 de setembro de 2021

[1]https://www.infobae.com/america/colombia/2021/09/03/cayo-alias-oscar-uno-de-los-hombres-mas-buscados-del-valle-del-cauca/

ttps://www.anarkismo.net/article/32423


Mais informações acerca da lista A-infos-pt