(pt) [Chile] Santiago: convocatória à jornada de protesto contra o desaparecimento forçado e o terrorismo de Estado By A.N.A. (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 8 de Setembro de 2021 - 09:49:54 CEST


Companheiros, como Assembleia Libertária de Santiago lhes estendemos este convite 
e solicitamos difusão para uma jornada de protesto com data de sexta-feira, 3 de 
setembro, às 18h30, em Cerro Huelén, contra o terrorismo de Estado e o 
desaparecimento forçado: ---- O jovem Mapuche de 16 anos, José Huenante, 
desapareceu de maneira forçada pelos Carabineiros[polícia]em 3 de setembro de 
2005 em Puerto Montt, sua cidade de origem. Além de resgatar sua figura e memória 
junto com os demais jovens vítimas do Estado, o jovem mapuche nos recorda 
mediante sua história o carácter assassino da democracia, junto com a 
cumplicidade característica das forças da ordem que até o dia de hoje não dão o 
paradeiro de seu corpo nem tampouco entrega certezas dos culpados, não podendo 
comprovar-se o homicídio por parte dos carabineiros nem terceiros. O que sim é 
certo, é que José Huenante esteve em custódia dos vassalos do Estado, sendo estes 
últimos os culpados de sua morte.

José Huenante passou despercebido na realidade chilena, pouco se comenta sobre 
seu desaparecimento e, portanto é nula a difusão dos meios hegemônicos que nunca 
duvidaram de seu servilismo ao status quo. Nunca houve pronunciamento nem 
tampouco intervenções em prol da justiça pelo desaparecimento de Huenante de 
parte dos partidos políticos institucionais. Só nos resta afirmar, que a justiça 
virá única e exclusivamente desde a classe oprimida em luta, pois não podemos 
esperar nada do Estado e do capital.

Muito se discute sobre democracia e ditadura, enfatizando constantemente nas 
vantagens e diferenças entre uma e outra, em um palavreado sem fim na conquista 
pelo poder. No entanto, as comunidades em luta contra o Estado e o capital não se 
deterão em evidenciar e atacar o caráter assassino e coercitivo tanto da 
democracia como da ditadura, onde o capital sempre terá o controle sobre nossas 
vidas e não nos permitirá desenvolvermos em concordância com uma ética 
comunitária, antiautoritária em harmonia com nosso entorno.

Não temos dúvidas de que o Estado é inerentemente um assassino e inimigo da 
realidade que queremos construir. Este tem a função de assegurar a manutenção e 
perpetuidade do domínio do capital, recorrendo a medidas repressivas e 
disciplinares para isso, independentemente dos governantes de turno. É por isto 
que não devemos ceder nenhum espaço de memória, e juntos seguir fortalecendo as 
instâncias onde a solidariedade combativa possa fazer uma mudança na miséria da 
realidade do território vigiado pelo Estado do Chile.

Dado que há que enfrentar estas problemáticas e visibilizar o terrorismo de 
Estado (tanto na democracia como na ditadura) nos dispomos a instalar esta data 
como uma jornada de agitação. É por isso que nos parece imprescindível nos 
juntarmos para homenagear Huenante e todas as vítimas da detenção forçada, assim 
como também nos solidarizar com aqueles encarcerados e vigiados por sua luta 
contra a ordem atual. Estendemos o convite para nos reunirmos em sinal de 
protesto esta sexta-feira, 3 de setembro, às 18h30, em Cerro Huelén. Parece-nos 
também importante enfatizar, a importância de acompanharmos como classe em nossa 
resistência frente à ordem atual, entendendo que o terrorismo de Estado é uma 
constante ameaça para nós. Enquanto nossas vidas estejam a sua mercê, não nos 
resta mais que lutar!

Assembleia Libertária Santiago

Tradução > Sol de Abril

agência de notícias anarquistas-ana


Mais informações acerca da lista A-infos-pt