(pt) [Holanda] Ringdijk 8 reocupada By A.N.A. (ca, de, en, fr, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 28 de Novembro de 2021 - 07:36:19 CET


Desde alguns dias, nós, o Grupo Anarca Feminista de Amsterdã, estamos residindo 
no Ringdijk 8. Decidimos expropriar este prédio porque achamos repugnante que as 
casas estejam sendo mantidas vazias por anos enquanto estamos em uma crise 
habitacional, muitas pessoas estão vivendo na precariedade e o número de 
desabrigados dobrou nos últimos 10 anos. ---- Em ações anteriores visamos grandes 
especuladores como Blackstone, edifícios ocupados em solidariedade a 
trabalhadoras do sexo sendo empurradas pra fora de nossa cidade e contra a 
lavagem verde e propagação colonial e gentrificação feitos pela NV Zeedijk no 
distrito da luz vermelha.
Hoje, tomamos uma ação autônoma como parte das demonstrações habitacionais em 
andamento. Apenas marchar e esperar que o governo nos escute não é suficiente, na 
verdade o governo escutou as exigências feitas pelo movimento habitacional e sua 
resposta foi bem clara: nenhuma medida foi tomada para resolver o problema, mas 
ao invés disso eles enviaram policiais para nos silenciar, mutilando nossos 
corpos, fazendo listas pretas e nos prendendo.

Precisamos enfrentar as injustiças diretamente, quando e onde quer que as 
vejamos. Hoje visamos a cooperação habitacional Eigen Haard. Este edifício, de 
propriedade da Eigen Haard, já foi ocupado antes e agora está vazio e foi deixado 
apodrecendo novamente por um longo tempo.

Embora essas cooperações habitacionais sejam supostamente para fornecer moradia 
acessível para a classe trabalhadora, pessoas que necessitam de assistência 
social e refugiados, elas frequentemente exploram aqueles que necessitam de 
moradia social, não aderindo às suas responsabilidades como uma corporação 
habitacional e vendendo moradias sociais para hipsters e yuppies. Os inquilinos 
que tentam combater a exploração muitas vezes não conseguem encontrar tempo, 
energia, nem entender a linguagem burocrática que os faz depender de 
trabalhadores da assistência social que não conseguem fazer o trabalho 
suficientemente bem. O Estado não fornece cuidados de qualidade, mas apenas com 
dinheiro suficiente, eles fornecem cuidados em quantidade que deixam as pessoas 
em condições precárias.

Eigen Haard declarou que eles demolirão o edifício e construirão moradias sociais 
aqui. Entretanto, este plano já existe há anos e nada foi feito até agora. Embora 
a construção de moradias sociais possa inicialmente parecer uma coisa boa, a 
Eigen Haard claramente não se preocupa o suficiente com moradias sociais para 
realmente fazer algo com estes edifícios. Estamos em meio a uma crise 
habitacional. As listas de espera para habitação social em Amsterdã são de mais 
de 10 anos e os preços no chamado mercado liberalizado estão altíssimos. Durante 
todo esse tempo, Eigen Haard escolhe propositalmente deixar essas casas vazias 
por anos e anos.

Além disso, a Eigen Haard tem tratado seus inquilinos como merda. Em muitos de 
seus chamados projetos de renovação, as pessoas são forçadas a residir em 
condições de vida sem água, eletricidade e gás, como aconteceu recentemente com 
as pessoas de Amsterdam Noord, cujos apartamentos estavam sendo "renovados". Além 
disso, há alguns anos, Eigen Haard também "renovou" edifícios no bairro Wegener 
Sleeswijk, em Geuzenveld, onde forçaram os inquilinos a morar em suas casas 
durante a renovação. Neste projeto, a Eigen Haard mostrou sua verdadeira 
natureza. As reformas implementadas no projeto foram feitas da maneira mais 
barata possível, deixando os locatários depois com casas piores do que antes. Em 
alguns casos, ratos saíam das paredes e, em quase todos os casos, as varandas 
foram reduzidas, já que a Eigen Haard não se preocupou em substituir as paredes 
antigas, mas apenas em colocar uma nova parede na parede antiga, tirando assim 
espaço dos inquilinos.

Corporações imobiliárias como a Eigen Haard não se preocupam com seus inquilinos 
ou em tornar a habitação acessível à classe trabalhadora e às pessoas que dela 
necessitam. Elas apenas se preocupam em ganhar dinheiro e extorquir seus 
inquilinos. As corporações habitacionais vendem casas sociais há anos e os 
locatários são forçados a pagar quantias ridículas dos chamados custos de serviço 
sem realmente obter qualquer serviço dessas corporações habitacionais.

Continuaremos a tomar medidas diretas contra aqueles que atacam nosso meio de 
subsistência. A mudança real precisa vir de baixo. A liberdade nunca nos foi 
dada, temos que lutar por ela.

Somos solidárias com camaradas do Bond Precaire Woonvormen que têm oferecido 
apoio prático e legal a locatários precários em sua luta contra a lixiviação de 
proprietários e nossos camaradas de Niet Te Koop que têm lutado contra a venda 
privada de moradias sociais. Somos solidárias com todos aqueles que não encontram 
moradia, todos aqueles que lutam por um mundo melhor sem polícia, centros de 
detenção e propriedade privada.

Refugiados e migrantes dentro, Yuppen e turistas fora!

Grupo Anarca Feminista de Amsterdam

anarchafemsterdam[at]riseup[dot]net

Tradução > solan4s

Conteúdo relacionado:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2021/03/18/holanda-amsterda-relatorio-da-acao-de-ocupacao-do-dia-8-de-marco/

agência de notícias anarquistas-ana

Inebria a rua -
perfume de gardênia
É primavera

Elnite

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2021/11/23/holanda-ringdijk-8-reocupada/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt