(pt) bahia, Fórum Anarquista Especifista FAE: DE OLHO NO AGORA - A BAHIA E O BRASIL EM SETEMBRO E OUTUBRO - COVID-19 E VOLTA ÀS AULAS (ca, de, en, fr, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 7 de Novembro de 2021 - 06:43:38 CET


Com a diminuição de casos da covid-19 o Estado da Bahia passa por momentos de 
abertura dos setores que antes estavam fechados por prevenção contra a doença. 
Desde junho desse ano, há vários debates a respeito do retorno ás aulas 
presenciais tanto na rede pública, quanto na rede privada e vem acontecendo um 
verdadeiro embate entre o sindicato dxs professorxs (APLB) e o governador Rui 
Costa. Profissionais da educação solicitam mudanças estruturais e equipamentos 
que garantam um espaço seguro nas escolas, para estudantes e trabalhorxs 
retornarem gradativamente ás salas de aula. Entretanto, o governo avança em seus 
planos de retorno das aulas presenciais, sem tornar o ambiente escolar seguro em 
grande parte das unidades de ensino da Bahia, e ameaçando à categoria com cortes 
de salários, cortes de auxílios para estudantes e constrangimento dxs professorxs 
nas redes sociais e mídias, buscando convencer à população de que xs docentes não 
querem retornar às escolas por comodismo e sem motivos lógicos.

Recentemente, no dia 18/10, tornou-se obrigatório o retorno das aulas 100% 
presenciais nos colégios estaduais, mas a adesão por parte dxs dicentes ainda é 
baixa, demonstrando que antes de retornar às escolas é preciso repensar como deve 
se dar esse retorno, como está a saúde física e mental de todxs envolvidxs, como 
o processo de aprendizagem foi afetado durante a pandemia e buscar mecanismos de 
superação desses problemas.

INCÊNDIOS NA CHAPADA

Os incêndios na vegetação do Estado avançam bastante desde o início de setembro. 
O estado da Bahia concentra 25% dos casos de incêndio em vegetação, no ano de 
2021, em toda a região Nordeste. As informações são do Instituto Nacional de 
Pesquisas Espaciais (INPE). Os dados mostram que as queimadas desse ano já 
superam do ano passado, um reflexo do descontrole climático e das alterações no 
meio ambiente. Enquanto regiões como Ilhéus e Itabuna enfrentam problemas de 
enchentes e fortes chuvas, a Chapada Diamantina e outras regiões enfrentam 
dificuldades com as secas.

DISPUTAS POR TERRITÓRIOS INDÍGENAS

O Estado avança por todo o país nos territórios indígenas, e dessa vez, o alvo 
são as terras Tupinambás. A polícia federal durante o mês de outubro vem 
realizando uma série de ações para reintegração de posse de áreas habitadas pelos 
Tupinambás, sem aguardar a finalização do relatório de identificação da Terra 
indígena Tupinambá de Olivença feito pela FUNAI, ameaçando a integridade física e 
os meios de subsistência desses povos.

Para além dos avanços do Estado, grileiros e ruralistas fazem verdadeiras 
emboscadas e covardias contra povos indígenas em busca das suas terras. O mais 
recente ataque aos indígenas no sul da Bahia se deu contra uma liderança Pataxó 
do Território Pataxó Comexatibá, que no dia 20/10 sofreu tentativa de 
atropelamento por grileiros da região, e ao buscar denunciar sequer foi ouvido 
pela polícia. As disputas por terras no sul da Bahia se dá com povos indígenas, 
pescadores e marisqueiras que lutam pela proteção dos territórios e sua 
subsistência contra grileiros que querem privatizar as praias para lucrar com 
condomínios de luxo, e a polícia que apoia aos inimigos da natureza, em forma de 
silêncio e omissão dos crimes cometidos.

VIOLÊNCIA POLICIAL E VIOLÊNCIA CONTRA MENORES

Nos últimos meses a Bahia vem experienciando uma escalada gritante no cinismo das 
instituições para com sua população, seja por meio das posturas genocidas do 
governador petista Rui Costa (que, apesar de se revindicar à esquerda, mostra-se 
desde sempre tão reacionário quanto qualquer governador bolsonarista) ou por ação 
direta da violência policial. Os dois homens executado no dia 20/10 em Salvador 
na favela do Calafate infelizmente são a continuação de atitudes sistemáticas da 
polícia baiana, responsável pela morte de 1.137 pessoas (segundo maior índice do 
país) no ano de 2020; todas essas vítimas homens pretos.

Enquanto o policiamento é reforçado em torno do Farol da Barra e alguns 
indivíduos dentro da corporação asseguram a viabilidade de um carnaval para 2022, 
a capital e o interior sangram. Nos últimos dois anos houve 114 homicídios de 
crianças e adolescentes no estado, segundo dados da Rede de Observatórios de 
Segurança, bem como 88 casos de violência sexual e estupro contra menores.

Outro fator a ser levantado em contínuo descaso das instituições para com os 
assassinatos de oito irmãos de família cigana em Vitória da Conquista e 
arredores. O Instituto de Ciganos do Brasil (ICB) vêm tentando instaurar uma CPI 
para apurar o ocorrido, porém enfrenta resistência e boicote por parte das 
policias Civil e Militar (mais interessadas em execuções sumárias que em efetuar 
investigações ou prisões). As testemunhas do caso sentem-se, com razão, inseguras 
e o ICB aponta para o risco de novas execuções na área.

FEMINICÍDIO E VIOLÊNCIA DE GÊNERO NA BAHIA

O assassinato no dia 17/10 de Kezia Stefany da Silva Ribeiro (21 anos) em 
Salvador infelizmente soma-se aos mais de 65 casos de feminicídio registrados no 
estado até o mês de setembro, bem como ao aumento de 11,8% nos feminicídios 
ocorridos na Bahia entre 2020 e 2021. Dados apontam que uma a cada quatro 
mulheres acima dos 16 anos já foi vítima de algum tipo de violência no período 
dos últimos 12 meses no Brasil, com a Bahia liderando os números de violência 
sexual entre os estados nordestinos.

Sob justificativa de não haver uma cela especial disponível para acomodar um 
advogado, o assassino José Luiz de Britto Meira Júnior é mantido em prisão 
domiciliar em sua residência de luxo no bairro do Rio Vermelho, local do crime.

Tal qual Luiz, a empresária Melina Esteves França também parece gozar dos 
privilégios que o punitivismo reserva aos ricos; acomodada em seu "bem 
localizado" apartamento ela lida apenas com o inconivente de uma tornozeleira 
eletrônica, enquanto Raiana Ribeiro se recupera no HGE após pular do terceiro 
andar numa tentativa desesperada de fugir das agressões de sua ex-patroa 
ocorridas no tempo que trabalhou de babá; o caso fez vir a tona relatos de 11 
outras ex-funcionárias de Melina, todas agredidas por ela enquanto trabalhavam 
naquele apartamento.

PERSEGUIÇÃO CLASSISTA AOS PAREDÕES

Na esteira dessas ações endossadas por Rui Costa vem a tona sua recente 
empreitada em conjunto com Bruno Reis visando a criminalização e perseguição 
sistemática das populações periféricas que integram os chamados paredões na 
Bahia. (novamente, apesar do verniz de político de esquerda, Rui se mostra mais 
reacionário e perigoso que grande maioria dos quadros de direita do estado.) Seu 
grande parceiro no lobby de tal punitivismo, o prefeito de Salvador, já deixou 
claro que "todas as solicitações de alvará para paredões serão indeferidas", ao 
mesmo tempo que defende (e estimula) os chamados eventos testes no município.

A questão nunca foi a saúde pública ou os protocolos de prevenção a COVID-19, 
muito menos o suposto combate ao tráfico e uso de substâncias psicoativas; a real 
pauta é criminalizar a periferia em cada mínimo detalhe possível, gentrificar 
tudo fora do escopo do que a burguesia baiana considera aceitável/desejável. 
Afinal, tanto Rui quanto Bruno Reis a muito tempo vêm forçando reaberturas de 
comércios e escolas contra qualquer protocolo ou bom senso.

A própria mudança de discurso das partes envolvidas é cínica a despeito de 
qualquer tentativa de camuflar os interesses escusos, intercambiando argumentos e 
justificativas que lhes sejam convenientes no momento. As facções seguem agindo a 
todo vapor com ou sem os paredões, assim como as festas de "até 1200 pessoas" na 
capital baiana não parecem risco algum em tempos pandêmicos (obviamente, caso 
sejam advindas das classes ricas.)

Fontes:

https://atarde.uol.com.br/bahia/salvador/noticias/2197410-apos-serie-de-crimes-policia-civil-lanca-operacao-barra-em-paz

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2021/10/22/pm-atira-pelas-costas-e-mata-homem-rendido-de-maos-para-cima-em-salvador.htm

https://www.metro1.com.br/noticias/bahia/112544,todas-as-vitimas-de-violencia-policial-na-bahia-em-2020-eram-homens-negros-aponta-estudo

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2021/10/patroa-suspeita-de-carcere-privado-de-baba-na-ba-tera-de-usar-tornozeleira-eletronica.shtml

https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/futuro-ceifado-bahia-registra-114-homicidios-contra-criancas-e-adolescentes-em-2-anos/

https://atarde.uol.com.br/bahia/noticias/2198092-bahia-lidera-os-numeros-de-violencia-sexual-no-nordeste-mostra-levantamento

https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2021/10/19/feminicidios-bahia-registra-mais-de-65-casos.ghtml

https://atarde.uol.com.br/bahia/noticias/2197716-casos-de-feminicidios-crescem-118-na-bahia-entre-2020-e-2021

https://oglobo.globo.com/brasil/direitos-humanos/reus-de-classe-media-alta-se-esquivam-de-penas-mais-severas-em-casos-de-violencia-domestica-feminicidio-25245705

https://www.metro1.com.br/noticias/bahia/113345,ciganos-pedem-instalacao-de-cpi-na-alba-para-apurar-assassinatos-em-conquista

https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2021/10/13/nao-vamos-permitir-nenhuma-festa-de-paredao-na-bahia-diz-rui-costa-apos-chacina-com-seis-mortos-e-12-feridos.ghtml

https://atarde.uol.com.br/politica/noticias/2197602-todas-as-solicitacoes-de-alvara-para-paredoes-serao-indeferidas-diz-bruno-reis

https://fase.org.br/pt/informe-se/noticias/todo-apoio-a-luta-dos-povos-indigenas-na-bahia/

https://apiboficial.org/2021/10/25/grileiro-lucas-lessa-tenta-atropelar-lideranca-indigena-no-territorio-de-comexatiba/

https://faebahia.blogspot.com/2021/10/de-olho-no-agora-bahia-e-o-brasil-em.html


Mais informações acerca da lista A-infos-pt