(pt) cnt.es: NA CAPA OPINIÃO - Força é NOSSA - Cristina Cobo Hervás - PALAVRAS DO PAI do cnt nº 425. Dossiê ¿Nova normalidade? Ação Sindical! (pa) [traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Terça-Feira, 9 de Março de 2021 - 09:03:03 CET


A insegurança no emprego está se expandindo na mesma proporção que a pandemia. De 
forma sutil, a mídia exonera da culpa quem realmente tem a responsabilidade de 
manter a estabilidade econômica, descrevendo uma entidade abstrata, a crise, que 
já nos atingiu no passado e que serviu de justificativa para a implementação de 
medidas absolutamente danosas. para a classe trabalhadora e cujos efeitos 
começamos a ver agora. O medo de um futuro incerto paralisa uma população já 
desmobilizada, sepultada entre Ertes e promessas de subsídios, convencida de que 
nada é bom para nada, numa aplicação literal da Doutrina do Choque.
Não é hora de parar, não é hora de desanimar. É hora de gritar além das máscaras. 
Porque o verdadeiro vírus é um sistema que parasita nossos direitos e nos impede 
de pensar com clareza. Além do medo, da incerteza, existe uma realidade 
imbatível: a força é nossa.

A classe executiva não perde terreno. O teletrabalho tornou-se a nova forma de 
exploração do trabalho. O investimento é mínimo, o lucro máximo, aproveitando as 
brechas de uma atividade que fez da conciliação uma enteléquia entre as mulheres: 
constatou-se que 11% das mulheres perderam o emprego, contra 8% dos homens, e que 
as mulheres afetadas pela ERTE são 25% mais do que os homens. (Fonte: www.hoy.es).

E apesar desse panorama, as pessoas continuam se movendo. Em todo o território há 
reclamações, greves, mobilizações, campanhas contra a precarização do trabalho, 
várias formas de luta articuladas em torno do que é realmente a única força da 
classe trabalhadora: sua própria força de ação. O trabalho dos sindicatos 
estandarte, dos da foto e da assinatura no verso, dos que transformaram a luta 
dos trabalhadores em compra e venda de cursos e regalias, deve se esgotar, 
tornar-se invisível. É hora de bater na mesa, desde o coletivo dos trabalhadores 
rurais, passando pelos Kellys, pessoal da saúde, o coletivo do mundo da cultura,

Não é hora de parar, não é hora de desanimar. É hora de gritar além das máscaras. 
Porque o verdadeiro vírus é um sistema que parasita nossos direitos e nos impede 
de pensar com clareza. Além do medo, da incerteza, existe uma realidade 
imbatível: a força é nossa.

https://www.cnt.es/noticias/la-fuerza-es-nuestra/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt