(pt) France, UCL AL #317 - Edito, "Morte aos sindicatos" (ca, de, en, fr, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Terça-Feira, 8 de Junho de 2021 - 15:24:03 CEST


É aos gritos de "putas", "filhos da puta", "putas de Macron" e "morte aos 
sindicatos" que uma tropa colorida, mesclando ultragauches, apolíticos e 
fascistas, atacou a procissão da CGT no final da manifestação em Paris em 1 
stMaio ---- É indefensável, e apenas alguns meios de comunicação "subversivos" 
foram encontrados para justificá-lo, com base em uma interpretação pré-fabricada: 
era uma questão de "vingança" ao serviço da ordem (SO) militarovirilista da CGT, 
quem mereceu. ---- Uma vingança anacrônica, então, porque o SO da CGT sofreu uma 
mudança real por quatro anos. Após a violência contra feministas em 2017, as 
grandes armas foram demitidas e uma nova SO, mais democrática e plural, foi 
colocada em prática. Este é um avanço político, muito pouco conhecido.

Para resumir, o 1 stde maio, uma pequena multidão se assim vingou anti-sindical 
SO "pretoriana" de outrora no SO contemporânea, que trabalha num registo 
completamente diferente. O perigo é que essa violência restaure o crédito aos 
defensores dos músculos e sabote a mutação em andamento.

Os discursos sobre "sindicatos que impedem as lutas" que floresceram nesta 
ocasião são um disparate. Ao contrário, são as últimas forças coletivas capazes 
de organizar greves e lutas sociais. Os partidários do confronto de rua 
ritualizado, demarcado, em horário e percurso previamente conhecidos, certamente 
possuem outra tática ... Mas por que não realizá-lo sem instrumentalizar as 
manifestações sindicais ?

Isso seria mostrar ... autonomia.

  UCL, o 22 mail 2021

https://www.unioncommunistelibertaire.org/?Mort-aux-syndicats


Mais informações acerca da lista A-infos-pt