(pt) FAG: 25 de Julho dia de Memória e Luta! Viva o dia internacional da mulher negra, latino-americana e caribenha. Dandaras - Coletivo de mulheres negras

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 19 de Julho de 2021 - 10:51:58 CEST


? A data marca o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-americana e Caribenha e 
o Dia Nacional da Mulher Negra, criado no Brasil em homenagem à quilombola Teresa 
de Benguela, guerreira que liderou entre 1750 e 1770, o Quilombo do Quariterê, 
onde uniu e organizou negros e indígenas para defender suas vidas e seu 
território por muitos anos, onde na comunidade viviam do cultivo de algodão, 
milho, feijão, mandioca, banana e pequenas trocas com comunidades vizinhas e 
utilizando um sistema de defesa mais baseado na força física da capoeira do que 
em armas. ---- A história de rainha Tereza é a história de uma de tantas heroínas 
negras da América Latina que resistiram e lutaram junto ao seu povo e que foram 
esquecidas pela historiografia e para fazer memória a esta importante data 
faremos um encontro virtual repleto de troca de ideias, saberes, práticas e 
conhecimentos com mulheres negras que lutam, resistem e constroem coletivamente 
formas ancestrais de se pensar e viver.
?? Para a abertura do nosso encontro contaremos com a participação de Taci Nunes 
Rodrigues, 23 anos, percussionista, idealizadora/fundadora do Bloco Te permite 
mulher - BLOCO TPM e Afro percussa com Taci Nunes, membra do Projeto Batucá, 
percussionista do projeto Duar - Música preta em movimento e membra do coletivo 
de mulheres negras Dandaras. Para o encerramento com a Mari Tavares (Maririi) é 
habitante de Santa Maria, cantora e compositora busca trazer em suas canções 
traços reflexivos sobre questões sociais, culturais e históricas...A revolução 
depende da nossa ação, depende da força da nossa união!
Para a mesa contaremos com a participação de: -Larisse Moraes, mãe do Thiago, 
professora da Rede Municipal de Porto Alegre. Coordenadora do projeto 
"Afroativos: solte o cabelo, prenda o preconceito" desenvolvido na Escola 
Municipal de Ensino Fundamental Saint'Hilaire.
?? Leidiane Quilombola, do Quilombo Nazaré no município de Serrano do Maranhão, 
que desenvolve a Retomada da Educação. Liderança do Movimento Quilombola do 
Maranhão - MOQUIBOM e do Coletivo de Mulheres Guerreiras da Resistência do MOQUIBOM
?? Letícia do Nascimento. Mulher negra, mãe. Liderança do Mães da Periferia- POA, 
Técnica em TTI. Promotora legal Popular, pela rede nacional de mulheres negras. 
Estudante de odontológia na universidade cesuca.
?? Andreia Beatriz Médica formada pela Universidade Federal de Ciências da Saúde 
de Porto Alegre. Especialista em Medicina de Familia e Comunidade pela Sociedade 
Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. Mestra em Saúde Coletiva. Médica 
em uma equipe de saúde na Penitenciária Lemos Brito/ Bahia. Docente do curso de 
medicina e Pesquisadora do Núcleo Interdisciplinar de Estudos em Desigualdades em 
Saúde (NUDES) da Universidade Estadual de Feira de Santana. Coordenadora da 
Organização Política Reaja ou Será Morta, Reaja ou Será Morto que desde 2005 
desenvolve práticas e ações de enfrentamento ao genocídio do povo negro nas ruas, 
favelas e no interior das prisões. Idealizadora da ação permanente Saúde e 
Cultura Intramuros no sistema prisional baiano. Co-fundadora da Escola 
comunitária quilombista Winnie Mandela e da Livraria Eleye. Autora do livro Olhar 
por entre grades, vidas em poemas, publicado pela Reaja Editora (2020) da qual é 
co-fundadora.
? 25 de julho é um dia para fortalecer as organizações de mulheres negras, 
resgatar as formas ancestrais de gestão do coletivo e do individual, com respeito 
aos nossos corpos e à natureza e construir estratégias e planos de proteção, 
solidariedade e resistência para o nosso povo.
No Dia da Mulher Negra e em todos os dias, não nos esqueçamos: se for preciso, 
faremos Quariterê de novo!??


Mais informações acerca da lista A-infos-pt