(pt) cnt.es: Sentenças de prisão por sindicalismo - Xixón prisão (ca, de, en, it) [traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Terça-Feira, 19 de Janeiro de 2021 - 09:43:50 CET


Em 18 de janeiro, começa em Gijón um duplo julgamento contra a CNT, no qual os 
filiados da CNT são solicitados a receber sentenças de prisão e altíssimos 
valores financeiros para a realização de ações sindicais ---- Da central 
anarco-sindicalista é feito apelo para divulgação do caso e solidariedade com os 
sindicalistas indiciados ---- Tudo começou com diversas irregularidades 
trabalhistas e um suposto assédio sexual no trabalho, denúncia atualmente 
protocolada. Uma trabalhadora foi ao sindicato no início de 2017 para comentar o 
que estava acontecendo com ela nas Pastelerías La Suiza, em Gijón. "Dada a 
gravidade do assunto, agiram nesse sentido", detalha o sindicato que, antes de se 
reunir com a empresa, solicitou informações adicionais para embasar a versão do 
trabalhador, após o que, se reuniu com a empresa para discutir o assunto, sem 
sucesso o que levou ao início de uma campanha de mobilização sindical e a várias 
concentrações de denúncias, "nada que não seja usual na ação sindical", afirmam 
os sindicalistas.

No entanto, "as mulheres agredidas tornaram-se agressoras de um dia para o outro, 
visto que foram denunciadas pelo empresário em inúmeras ocasiões", denuncia a 
CNT. "Pedem quase 600 mil euros do sindicato e penas de prisão para o trabalhador 
denunciante e sindicalistas, num total de 8 pessoas", detalham da central 
anarco-sindicalista, "penas que vão além de qualquer lógica.

Por trás da alegação de que os apelos a anos de prisão por sindicalismo poderiam 
estar supostamente o sindicato dos hotéis de Gijón, pessoas com uma clara 
orientação conservadora, que "acusaram a CNT de extorquir, de ser ETA, e tentaram 
proibir o sindicato por um crime de associação ilícita». Na verdade, eles 
contrataram, como advogado para exercer a denúncia privada contra o sindicato, o 
ex-magistrado do Tribunal Nacional, senhor Javier Gómez Bermúdez, "juiz estrela e 
agora advogado de Jaime Botín", destaca a organização anarco-sindicalista.

"Este caso é mais um passo para a proscrição do sindicalismo, seja diretamente ou 
colocando os sindicalistas na prisão e condenando-os financeiramente", denuncia a 
CNT. Por isso, apelam à solidariedade de classe e ao apoio fraterno de todas as 
centrais sindicais, para tentar frear esta agressão e divulgar o máximo possível 
o que vai ser julgado a partir de segunda-feira, dia 18.

cnt.es/noticias/penas-de-carcel-por-hacer-sindicalismo/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt