(pt) France, Union Communiste Libertaire UCL AL #312 - Antifascismo, Agressão: Em Lyon, os fafs atacam novamente (ca, de, en, fr, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 18 de Janeiro de 2021 - 08:46:20 CET


Dois voluntários associativos foram agredidos em 12 de dezembro, quando fecharam 
a livraria associativa e libertária e a biblioteca La Plume Noire. Este enésimo 
episódio de violência por parte da extrema direita nos lembra que eles se agravam 
assim que baixamos a guarda. ---- Sábado, 12 de dezembro à noite, dois 
voluntários da associação PESE (Pela igualdade social e ecologia) fecharam a 
cortina da livraria e biblioteca libertária La Plume Noire após um dia de coleta 
solidária de roupas e brinquedos quando eles foram abordados, repreendidos e 
então espancados por uma dúzia de bandidos de extrema direita.
O modus operandi indica que a operação foi preparada e que os voluntários caíram 
numa verdadeira armadilha. A Union Syndicale Solidaires (cujos dois voluntários 
também eram ativistas), assim como a UCL, que administra a livraria de forma 
autônoma, convocaram imediatamente uma manifestação popular no domingo seguinte, 
20 de dezembro, na Esplanade de la Croix-Rousse.

Nossos camaradas foram emboscados em 12 de dezembro em La Plume Noire, em Lyon.
Embora não seja reivindicada, essa agressão covarde traz a assinatura da extrema 
direita. Muito ativo na cidade de Lyon há dez anos, multiplicou os atos de 
violência desde este verão: incêndio em mesquitas, saque do restaurante "Le 
Tonton Burger", ameaça contra instalações do PCF, etc.

Esta nova agressão é também reveladora da impunidade com que atuam os militantes 
da direita radical na cidade de Gones: o Traboule e o Agogé, são utilizados os 
locais e o boxe da Geração Identidade, à vista de todos e tudo, de um lugar de 
organização a um movimento que tenta impor pela violência e pelo terror às 
minorias e ao movimento social seu projeto político.

É necessária uma renovação do trabalho unitário
No dia 18 de dezembro em Chalon-sur-Saône, à margem do Ato IV dos migrantes sem 
documentos, quatro ativistas do PCF e do Cimade também foram atacados por jovens 
fascistas. É hora de reafirmarmos em todos os lugares nossa rejeição absoluta à 
violência de extrema direita.

Não é exercido cegamente, mas dirige-se às minorias, associações voluntárias do 
movimento social que trabalham por um mundo melhor sem discriminação, longe de 
sua visão de mundo feito de violência contra os "outros". Perante estes ataques, 
é mais urgente do que nunca, em Lyon e em todo o lado, que as organizações 
libertárias, antifascistas, anticapitalistas e os sindicatos de luta juntem 
forças para bloquear o veneno da extrema direita.

O trabalho de campo dos grupos antifascistas, da VISA (iniciativas de vigilância 
e antifascistas) ao nível sindical, da Horda ao nível da vigilância e informação, 
e muitos outros, é mais necessário do que nunca e mesmo essencial, mas isso ainda 
é insuficiente.

Hoje, local e nacionalmente, precisamos reaprender como trabalhar juntos. A UCL 
apoiará e investirá em todas as iniciativas unitárias destinadas a combater a 
extrema direita nos campos político, sindical e social.

Comissão Antifascista UCL

https://www.unioncommunistelibertaire.org/?Agression-A-Lyon-les-fafs-frappent-encore


Mais informações acerca da lista A-infos-pt