(pt) [Espanha] Noam Chomsky dá início as Jornadas Libertárias da CGT Valência By A.N.A. (ca, de, en, it)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 1 de Janeiro de 2021 - 08:18:25 CET


A 22ª Jornadas Libertárias da CGT de Valência começou na segunda-feira, 21 de 
dezembro, com uma entrevista em videoconferência com o linguista, filósofo e 
ativista Noam Chomsky, transmitida nas redes sociais da organização 
anarcossindicalista. ---- Noam Chomsky, linguista, filósofo e ativista foi 
encarregado de iniciar a A 22ª Jornadas Libertárias da CGT de Valência com uma 
entrevista conduzida pela organização anarcossindicalista, na qual ele abordou 
vários aspectos da sociedade atual. O veterano pensador norte-americano mostrou 
que ainda brilha aos 92 anos de idade, continua dando aulas e realiza encontros 
regulares com outros linguistas de diferentes partes do mundo, como o próprio 
Chomsky explica na entrevista, ao mesmo tempo em que afirma que "nunca abandonou 
seu ativismo social desde os 10 ou 11 anos de idade".

Este ano, as Jornadas Libertárias da CGT de Valência atingem 22 anos e visam 
refletir sobre o apoio mútuo como um pilar para a construção de uma nova 
sociedade. Questionado sobre este ponto, Noam Chomsky afirma que "Kropotkin 
estava certo" e dá como exemplo "a reação humana espontânea" que ocorreu em 
diferentes lugares durante a pandemia da COVID-19 com "pessoas ajudando umas às 
outras e trabalhando juntas para superar a situação", apesar de "as estruturas 
destinadas a miná-la". Chomsky também conta com os sindicatos como uma ferramenta 
para lidar com o "pequeno setor da população" que aumentou seus lucros, enquanto 
"a grande maioria estagnou ou diminuiu seus recursos".

Noam Chomsky chama o que aconteceu neste verão na Europa com a pandemia de uma 
"catástrofe". "Eles queriam aproveitar as praias espanholas ou esquiar nos 
Alpes", explica o linguista, acrescentando que "a crise mais grave que estamos 
enfrentando é a ambiental, muito mais do que a pandêmica", pois segundo o 
pensador americano "não há volta atrás, as calotas de gelo estão derretendo, não 
podemos consertá-las" e ele acredita que "ainda nos restam algumas décadas para 
tentar superá-la e, se não aproveitarmos a oportunidade, a espécie humana estará 
acabada".

O final da entrevista é um chamado à ação por parte de Noam Chomsky: "é possível, 
está ao nosso alcance fazer um mundo melhor, mas temos que fazê-lo".

Fonte: 
https://www.cgtpv.org/comunicats/noam-chomsky-da-el-pistoletazo-de-salida-a-las-jornadas-libertarias-de-cgt-valencia

Tradução > Liberto

agência de notícias anarquistas-ana


Mais informações acerca da lista A-infos-pt