(pt) Cgt Castilla y leon: 8 de março de 2021 O medo paralisa, o anarco-feminismo se mobiliza! (ca, de, en, fr, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 28 de Fevereiro de 2021 - 08:28:29 CET


Mais uma vez, os patrões, a classe política e os sindicatos verticais se uniram 
para atacar a classe trabalhadora, invisibilizando e silenciando ainda mais as 
desigualdades que as mulheres sofrem. ---- A retomada gradual da atividade em 
serviços não essenciais , a fraude das férias remuneradas recuperáveis, o 
teletrabalho reconhecido como medida de conciliação e não como medida preventiva 
para evitar a exposição ao contágio do covid 19, a omissão de licença remunerada 
para conciliar, a proteção Poucos medidas nos centros de trabalho e a perda de 
empregos que resultou em muitos casos na perda de moradias, atingiram com maior 
intensidade nos setores feminizados e consequentemente nas mulheres e famílias 
monoparentais, sujeitando-nos ao aumento de todas as lacunas sofremos por ser 
mulher e classe trabalhadora.

Aproveitando a pandemia, o estado criou para nós medidas mais repressivas. 
Enquanto nos aprisionam dentro de nossas casas, nos condenando à sobrecarga de 
assumir todos os cuidados e paralisando nossas vidas, nos obrigam a manter o 
sistema capitalista ativo através do teletrabalho. Violam nossos direitos 
conquistados (implantar ERTE, flexibilização total de horários ...) dando assim 
continuidade à eterna aspiração do empregador que aos poucos vai alcançando sua 
finalidade: trabalhadores disponíveis em curto espaço de tempo, sem direitos e 
sem protestos .

Nomear e tornar visíveis as desigualdades que sofremos é essencial para tomarmos 
consciência desta transformação para um mundo livre e igual.

Mais uma vez, nós mulheres nos organizamos para cobrir todas aquelas carências 
que a classe política não quis suprir. Nós mesmos criamos redes de apoio para 
ajudar pessoas vulneráveis, mulheres que ficaram presas com seu agressor e todo 
aquele grande setor feminilizado que faz parte da economia subterrânea e é 
esquecido pela mídia e pelos estados.

A educação feminista e a auto - organização das mulheres são nossas principais 
ferramentas.

Somos anarco-feministas, queremos um mundo novo, mas não esse novo normal.

Portanto, convocamos a revolução, juntos, para destruir a sociedade machista e 
heteropatriarcal que nos sufoca e que busca a desintegração de nossa força feminista.

Por um mundo em que a igualdade não seja uma utopia, mas aquela realidade que as 
mulheres livres lutam para construir

http://www.cgt-cyl.org/2021/02/8-de-marzo-de-2021el-miedo-paraliza-el-anarcofeminismo-moviliza/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt