(pt) France, UCL - Madama: Ele mora aqui, ele fica aqui (ca, de, en, fr, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 20 de Fevereiro de 2021 - 08:59:33 CET


Madama, uma jovem maliana que chegou ao território francês em setembro de 2018 e 
foi acolhida por uma família durante dois anos, está ameaçada de expulsão, como 
muitos jovens, pela prefeitura de Haute-Loire. ---- Perfeitamente integrado, 
inscrito num estágio de aprendizagem agrícola com um casal de criadores que o 
aguardam, Madama apoiado pela família anfitriã, desencadeou uma enorme 
manifestação de solidariedade. Uma greve de fome foi iniciada desde 30 de janeiro 
por Eric, amplamente apoiada por seus camaradas da UCL Le Puy. ---- Estando preso 
por mais de um ano em um processo administrativo municipal que visa esmagar esses 
jovens migrantes e a aplicação concreta do racismo estatal, um movimento de 
solidariedade muito amplo se formou em torno de Madama e dessa ação. É impossível 
nomear todos os apoiadores, mas eles se aglomeram em torno do RESF. Um grande 
intersindicato também foi formado por trás desse movimento com Solidaires, CGT, 
FSU, FO, CFDT e CFTC.

UCL Le Puy investiu todas as suas forças nesta luta participando em atividades 
compartilhadas entre as diferentes organizações: gestão de redes, imprensa, 
coordenação de ações, etc.

E meios de ação, são:

Há 16 dias nosso camarada está em greve de fome. Uma petição está circulando em 
change.org que até agora reuniu mais de 30.000 assinaturas: 
http://chng.it/25pqVgggbh;
Vários encontros foram organizados para coletar muitas assinaturas;
Sexta-feira, 5 de fevereiro, cem alunos do colégio do camarada em greve de fome 
organizaram uma sessão de apoio em seu estabelecimento, de joelhos no chão e 
punhos erguidos para apoiar Madama e seu professor;
Na terça-feira, 9 de janeiro, foi organizada uma manifestação que reuniu mais de 
200 pessoas. Uma demonstração de fazendeiros ocorrendo ao mesmo tempo, a 
prefeitura emitiu um decreto municipal proibindo nossa reunião. Mostra quanto 
poder está no medo. Citamos este decreto: " Considerando (...) que esta 
iniciativa apoiada por grupos da ultraesquerda local não é declarada à 
prefeitura; que não está excluído que este segundo grupo tente impor a sua 
presença e intencionalmente perturbe o ajuntamento devidamente declarado pelo 
referido colectivo causando assim tensões e graves perturbações da ordem pública 
(...) Considerando que precede que não se descarta o risco de confronto entre os 
vários manifestantes." Isso ainda diz muito sobre os abusos deste governo, que 
matam a liberdade.
UCL Le Puy prefere manter esta tremenda demonstração de solidariedade por trás de 
Madama, reunindo tanto ativistas como pessoas anônimas que descobriram a 
brutalidade e violência dos métodos do Estado contra este jovem, e representantes 
de diferentes religiões.

UCL Le Puy continua sua luta por Madama e todos os outros migrantes. Convidamos, 
portanto, as pessoas a se juntarem ao grande evento organizado pelo comitê de 
apoio a Madama: sejamos numerosos e numerosos quarta-feira, 17 de fevereiro às 
10h30 Place Cadelade (Le Puy en Velay)!

Folheto de apelo à manifestação de 17 de fevereiro

https://www.unioncommunistelibertaire.org/?Madama-Il-vit-ici-il-reste-ici


Mais informações acerca da lista A-infos-pt