(pt) CNT - AIT. Contra todas as probabilidades. (ca, de, en, it) [traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 14 de Fevereiro de 2021 - 07:14:57 CET


Como parte do movimento libertário já sabe, há vários anos a CNT-AIT, 
Confederação Nacional do Trabalho, vem enfrentando um processo de sufocamento por 
uma organização que se autodenomina anarco-sindicalista e também se autodenomina 
CNT. ---- Indivíduos e grupos anarquistas que se sentem alheios ao 
anarco-sindicalismo percebem esta situação com desconfiança, ceticismo e até 
certa ironia, e acham que é absolutamente decadente e ridículo que no Estado 
espanhol existam "duas CNTs" resultado de uma "cisão", que se torna inconciliável 
e que, além disso, está imersa numa "batalha de siglas" em que ambos lutam para 
expor as siglas históricas, deixando de lado os reais problemas sociais e 
políticos que o anarquismo e o anarco-sindicalismo.
Sentimo-nos na necessidade de negar esta ideia de uma suposta batalha de siglas e 
explicar o que se passa dentro do anarco-sindicalismo no Estado espanhol e 
internacionalmente. Mas tentando não sobrecarregar quem lê esta declaração, 
evitamos falar cuidadosamente sobre todos os abusos, usos desonestos dos acordos 
e dos abusos orgânicos, corrupção e ataques que foram cometidos nos últimos anos. 
Queríamos apenas falar sobre as questões centrais, sem entrar em detalhes. Temos 
consciência de que um trabalho para tornar todas essas atitudes constrangedoras e 
insuportáveis está pendente de nossa parte. Portanto, a intenção deste texto não 
é imergir quem o lê em um mar de dados, datas e nomes, pois há muito material 
escrito que explica desde o início o que está acontecendo com mais ou menos 
detalhes. Um material que também está sendo recuperado para torná-lo mais 
acessível aos interessados. O que se pretende com esta afirmação é colocar o 
movimento anarquista atual em uma situação e lançar algumas reflexões sobre ele 
para que, se for considerado apropriado, todos os companheiros possam julgar por 
si mesmos o que está acontecendo e se posicionar a respeito.

A CNT-AIT sempre funcionou de forma conjunta e horizontal, inclusive em sua 
estrutura de confederação sindical e como seção da AIT. Isso significa que os 
Comitês Locais, Regionais e Nacionais, que nada mais são do que grupos de 
camaradas encarregados de coordenar as atividades nos diversos níveis, não têm 
poder de decisão além do que os filiados concordam. As decisões tomadas na 
Confederação partem diretamente da base dos diferentes sindicatos e, assim, as 
decisões são elevadas ao nível nacional. Para isso, todos os militantes da 
CNT-AIT estão cientes e podem participar (ou, portanto, é promovido e fortalecido 
pelos próprios estatutos) em tudo o que acontece em nível confederado. Se esses 
Comitês fossem os tomadores de decisão para o resto dos sindicatos e ativistas,

Aqui está uma das principais questões da triste situação atual. O Comitê 
Confederal e as secretarias da CNT-AIT (quando ainda era "uma"), unilateralmente 
e pelas costas dos sindicatos que formavam a CNT-AIT, pararam de pagar as taxas à 
AIT por aproximadamente dois anos, desperdiçando e usando esse dinheiro para os 
fins que consideraram adequados. As pessoas que tomaram essas decisões nas costas 
da Confederação consideraram a AIT pequena e suas seções insignificantes demais 
para valer a pena pertencer a ela. Por outro lado, a CNT © (a partir de agora a 
chamaremos assim e diremos porquê) passa a organizar conferências internacionais 
com outras organizações, fora da AIT e com a intenção de começar a moldar o que 
viria a ser a CIT (Confederação Internacional do Trabalho), uma "nova 
internacional", em nossa opinião, com poucos tons libertários. Tudo isso, como é 
lógico, acabou provocando sua expulsão da AIT.

Mas para além desses movimentos premeditados do Comité Confederal da CNT © e de 
alguns comités e secretarias que custaram a expulsão da AIT, vemos como uma parte 
da militância, por ignorância ou indiferença, tem permitido que tudo aconteça 
esta atitude centralista .e autoritário da CNT © desencadeou. Uma militância que 
se deixou arrastar para uma nova abordagem organizacional centrada mais na 
estética do que na ética. Mais em marketing do que ideológico. Mais para a 
filiação de "cotas" do que de militantes ativos. Livrar-se de tudo o que não lhes 
interessa desenvolver o "plano de crescimento exponencial da organização". Os 
sindicatos CNT-AIT são o que os membros fazem deles. Por isso mesmo nós, 
anarco-sindicalistas, buscamos a militância, a participação dos filiados no 
funcionamento da organização, de forma a criar os tão esperados laços de apoio 
mútuo e solidariedade que estão na base da nossa luta contra a autoridade, mas 
também contra a passividade e a delegação da nossa emancipação em qualquer 
instituição. Somos uma organização entre iguais onde nós trabalhadores precisamos 
uns dos outros para melhorar nossas condições de vida e abrir caminho em direção 
ao horizonte libertário. Por isso preferimos uma organização com militância ativa 
e consciente e em constante formação e reflexão, a um sindicalismo que priorize 
uma filiação massiva (por filiações telemáticas, por exemplo) da qual não se 
espera potencial transformador, nem mesmo a participação em assembleias. , 
Economize sua cota e seus detalhes para aumentar os números e ter lucro. Assim, o 
facto de existir uma direcção na CNT © que toma decisões sem ter informado ou 
consultado a militância, é muito esclarecedor para perceber de onde sai uma 
organização que se diz anarcossindicalista.

Também vimos como cresceu a ideia dentro da CNT © de que quanto mais afiliação 
(não filiação) e cotas um sindicato, federação ou seção da Internacional 
contribui para a organização, mais autoridade e poder de decisão ela deve ter 
quando se trata de chegar a "acordos" (se é que podem ser chamados assim) com 
seus colegas de outras localidades ou regiões. Não é preciso apontar o quão 
danosa é essa lógica em uma organização fundada na solidariedade, no livre acordo 
e no federalismo antiautoritário. Os resultados já começaram a ser vislumbrados: 
busca de afiliação como forma de obter votos (ou compra direta de votos, inflando 
a afiliação com citações falsas), e um centralismo que dá todo o poder de decisão 
às grandes cidades sobre as pequenas cidades. Esse autoritarismo centralista nada 
tem a ver com um federalismo anarquista baseado na solidariedade e na busca de 
consensos. Este é sem dúvida um dos temas que tem levado a CNT © a atacar a AIT. 
Entendemos que uma organização que pretende servir de semente para uma sociedade 
livre e anárquica não pode basear seus acordos na submissão da vontade de seus 
companheiros de luta. Não pretendemos nos impor votando, procuramos transmitir 
uma opinião, uma posição, um acordo sobre um assunto, tentando chegar a um 
consenso. Fora dessa dinâmica intencional, qualquer decisão tomada em votação, 
sem debate, sem atribuições e busca de áreas comuns, mostra-se conflitiva, 
forçada e pode causar danos irreparáveis, como de fato aconteceu.

E qual é o resultado de tudo isso? Uma fratura e um confronto entre duas 
organizações que até então eram uma só, a CNT-AIT. A partir do momento em que 
dinâmicas e lógicas centralistas e autoritárias se tornam a norma, toda discussão 
e toda discrepância se resolvem com expulsões em uma escala nunca vista antes. Os 
acordos, os estatutos, a nossa organização são cumpridos, tudo com o intuito de 
silenciar, forçar a indefesos ou expulsar diretamente os sindicatos e associações 
que tentaram fazer face a esta tendência alarmante. Uma purga completa. Desde o 
início das manobras do Comitê Confederal e de seus apoiadores, pelo menos 30 
sindicatos deixaram a CNT © ou foram expulsos. Os que permaneceram na CNT © e 
criticaram a atitude do Comité Confederal, eles também acabaram sendo expulsos. 
Ao longo deste processo, a CNT © revelou-se uma organização que recusa o diálogo 
com os seus camaradas e que se limita a contar os votos com que vão cumprir os 
seus acordos.

Alguns destes sindicatos, envergonhados e radicalmente contrários à deriva que a 
CNT © estava a tomar, decidiram em 2015 iniciar um processo de reestruturação da 
CNT-AIT, que culminou em 2017 com o reconhecimento desta organização como secção 
da AIT em o Estado espanhol.

Mas nos planos desta irreconhecível CNT © não há lugar para a existência de uma 
CNT-AIT. Visto que o compromisso e a afinidade do anarco-sindicalismo com a AIT 
não só não tinham desaparecido, mas crescia e se consolidava, com as adesões de 
novos sindicatos e secções, nesse mesmo 2017, a Secretaria Permanente do Comité 
Confederal da CNT ©, Enrique Hoz, mais uma vez sem o acordo dos sindicatos e nas 
costas da sua organização, contrata (às custas dos fundos confederais) um 
advogado de Sevilha para processar sete sindicatos da CNT-AIT (juntamente com o 
Ateneo Libertário de Albacete) perante os Tribunais Sociais de seis diferentes 
províncias. A acusação: "usurpação de siglas e dano à imagem pública". Os 
tribunais sociais provinciais declaram-se incompetentes por considerarem que os 7 
sindicatos processados possuem a mesma estrutura organizacional em nível 
estadual. Não satisfeita com os prejuízos causados, no segundo semestre de 2020, 
com uma CNT-AIT que, longe de desaparecer, continua a crescer depois de sua 
reestruturação, a CNT © mais uma vez recorre à Justiça do Estado para tentar 
acabar com a CNT- AIT, mas desta vez através do Tribunal Nacional. Nas mesmas 
acusações, exigiu 50 mil euros de indemnização a cada sindicato, acrescentando 
aos sete anteriores mais sindicatos (alguns dos quais nem existiam quando este 
estourou). E como se não bastasse, alguns sindicatos chegam a ser acusados de 
ocupação de instalações propriedade da CNT

É seu objetivo, apoderar-se do pouco patrimônio que ainda possui a CNT-AIT, suas 
instalações, para poder vendê-los e continuar pagando os honorários e mesadas de 
seus sindicalistas, seu clientelismo, sua corrupção e todas as suas vergonhosas 
despesas e em parte eles conseguiram se esconder).

Ao longo desse processo que muitos entendem erroneamente como uma batalha de 
siglas, a ganância e a falta de princípios éticos e anarquistas por parte da CNT 
© fizeram com que alguns sindicatos acabassem desaparecendo e por bons amigos 
abandonarem, pisotearem e jogarem no chão o enorme esforço de muitos 
trabalhadores para levantar a organização e cultura anarco-sindicalista. No 
início do comunicado dizíamos que há menos de 10 anos no Estado espanhol existia 
apenas uma CNT e agora, em 2021, dizemos que ainda existe apenas uma CNT 
legítima, a CNT-AIT. Vamos nos defender desses ataques miseráveis e não vamos 
ceder nossas instalações, nossa memória documental e nossa história. Mas também 
queremos dizer que nosso principal patrimônio, nossa maior riqueza é nossa 
militância, e isso nunca pode ser arrebatado ou destruído. As monarquias, ou as 
ditaduras, ou os infiltrados, ou as assembléias policiais não puderam, e nem 
mesmo esta organização irreconhecível. Eles trilharam um caminho que os leva ao 
sindicalismo de serviço, a uma organização cada vez mais profissionalizada, 
centralista e vertical, afastando-se dos princípios do federalismo anarquista. 
Não é de estranhar que, sob esta perspectiva centralista e hierárquica tão 
obcecada por imagem e marketing, o CNT © CNG tenha decidido registrar seu 
logotipo, bandeira e siglas, tentando também obter uma fatia dele em juízo (daí o 
©). Quase parece que estamos diante de uma empresa em vez de uma organização 
supostamente anarco-sindicalista. nem as assembléias policiais e nem mesmo essa 
organização irreconhecível. Eles trilharam um caminho que os leva ao sindicalismo 
de serviço, a uma organização cada vez mais profissionalizada, centralista e 
vertical, afastando-se dos princípios do federalismo anarquista. Não é de 
estranhar que, nesta perspectiva centralista e hierárquica tão obcecada pela 
imagem e pelo marketing, o CNT © CNG tenha decidido registar o seu logótipo, 
bandeira e siglas, procurando também obter uma fatia dele no tribunal (daí o ©). 
Quase parece que estamos diante de uma empresa em vez de uma organização 
supostamente anarco-sindicalista. nem as assembléias policiais e nem mesmo essa 
organização irreconhecível. Eles trilharam um caminho que os leva ao sindicalismo 
de serviço, a uma organização cada vez mais profissionalizada, centralista e 
vertical, afastando-se dos princípios do federalismo anarquista. Não é de 
estranhar que, sob esta perspectiva centralista e hierárquica tão obcecada por 
imagem e marketing, o CNT © CNG tenha decidido registrar seu logotipo, bandeira e 
siglas, tentando também obter uma fatia dele em juízo (daí o ©). Quase parece que 
estamos diante de uma empresa em vez de uma organização supostamente 
anarco-sindicalista. centralista e vertical, afastando-se dos princípios do 
federalismo anarquista. Não é de estranhar que, sob esta perspectiva centralista 
e hierárquica tão obcecada por imagem e marketing, o CNT © CNG tenha decidido 
registrar seu logotipo, bandeira e siglas, tentando também obter uma fatia dele 
em juízo (daí o ©). Quase parece que estamos diante de uma empresa em vez de uma 
organização supostamente anarco-sindicalista. centralista e vertical, 
afastando-se dos princípios do federalismo anarquista. Não é de estranhar que, 
sob esta perspectiva centralista e hierárquica tão obcecada por imagem e 
marketing, o CNT © CNG tenha decidido registrar seu logotipo, bandeira e siglas, 
tentando também obter uma fatia dele em juízo (daí o). Quase parece que estamos 
diante de uma empresa em vez de uma organização supostamente anarco-sindicalista.

Lutamos e continuaremos a lutar para nos defender, enquanto continuamos a 
trabalhar incansavelmente para minar as estruturas de poder e construir a 
sociedade que desejamos. É chegada a hora de quebrar o silêncio, para que o 
movimento anarquista e anarco-sindicalista em todas as regiões do mundo conheça a 
situação da CNT vinculada à AIT. Chegou a hora de todos, inclusive os sindicatos 
e os militantes que hoje fazem parte da CNT ©, tomarem partido e deixarem de lado 
a indiferença.

Em defesa do anarco-sindicalismo, do internacionalismo e da luta anarquista!

Em defesa da CNT-AIT!

Postado por SOV CNT-AIT Cartagena às 7h25

https://cntaitcartagena.blogspot.com/2021/02/cnt-ait-contra-viento-y-marea.html


Mais informações acerca da lista A-infos-pt