(pt) France, UCL AL #322 - Ecologia, Universo artístico: Solarpunk, uma imaginação libertária (ca, de, en, fr, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 30 de Dezembro de 2021 - 09:23:51 CET


O movimento criativo solarpunk foi construído desde o início dos anos 2000 em 
reação à crescente hegemonia do capitalismo em nossa imaginação e contra 
correntes muito mais pessimistas de pensamento e arte sobre nossos possíveis 
futuros. ---- Pode ser difícil em uma sociedade capitalista tão hegemônica como a 
nossa imaginar a possibilidade de outro futuro. A ideologia neoliberal chegou a 
colonizar a ficção e, por meio dela, nossas mentes. ---- Um exemplo marcante é o 
movimento cyberpunk que, por meio de distopias ampliando as linhas do capitalismo 
desinibido dos anos 1980, quis alertar para seus delitos. Mas se o gênero está 
passando por um renascimento relativo hoje, o movimento é um fracasso total. Em 
vez de impedir que esse futuro catastrófico aconteça, sua estética e ideias foram 
assimiladas e regurgitadas pelo sistema. Ele terá tornado o presente que queria 
evitar mais inevitável do que nunca.

Solarpunk é um movimento emergente que, portanto, está sendo construído em reação 
a esse fracasso desde os anos 2000. É um movimento artístico utópico que busca 
representar sociedades igualitárias, descentralizadas e ecológicas. Se o lado 
solar sustenta uma imaginação baseada no desenvolvimento de uma civilização capaz 
de responder às questões ecológicas, o lado punk descreve sua subversão.

Ao contrário de um Futuro sem, aceitando a inevitabilidade de um sistema sem 
saída, ele oferece um futuro invejável com base em conceitos já existentes. Esses 
conceitos vêm de uma variedade de pensadores, artistas, engenheiros e várias 
outras correntes. Mais do que sincretismo, é um ecumenismo anti-autoritário e 
pós-capitalista inovador. Aqui encontramos embaralhadas a influência da ficção 
científica feminista dos anos 1970, a animação de Hayao Miyazaki, o 
afrofuturismo, o municipalismo de Bookchin, o movimento Arts & Crafts ...

Recuse a renúncia, reafirme nossos desejos
Esta corrente surge assim em uma grande diversidade de comunidades oprimidas para 
encenar sua emancipação. Essa emancipação, que rompe com todas as formas de 
dominação, abre a possibilidade de uma reversão da relação com a tecnologia, com 
a cooperação entre os humanos e com o resto da vida.

Com uma grande riqueza criativa, o solarpunk não se situa em um futuro 
hipotético, mas descreve o que podemos realizar hoje graças às práticas e 
técnicas libertárias praticadas em todo o mundo. A carga ideológica das obras 
está em conflito com a de nosso sistema atual, que se considera inevitável, indo 
tão longe a ponto de estruturar a ecologia em abordagens gerenciais, ou pior, em 
abordagens reacionárias de culpa individual.

E se lutamos diariamente contra um sistema injusto, às vezes pode parecer difícil 
explicar pelo que lutamos. É importante, urgente, vital reafirmar a força da 
nossa ideologia por um mundo onde o capitalismo, o patriarcado e o racismo fazem 
história, por um mundo construído na cooperação e não na exploração entre os 
seres humanos, um mundo onde a solidariedade nos permite enfrentar e reconstruir 
depois séculos de miséria e destruição.

Corentin (UCL Haute-Savoie)

https://www.unioncommunistelibertaire.org/?Univers-artistique-le-Solarpunk-un-imaginaire-libertaire


Mais informações acerca da lista A-infos-pt