(pt) anarres info: Escolas libertárias. Uma utopia concreta (ca, de, en, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 26 de Abril de 2021 - 08:25:05 CEST


https://www.youtube.com/watch?v=xX2h_VNJtco&t=3s ---- Videoconferência com 
Francesco Codello, da rede de educação libertária ---- Idéias, práticas, 
experimentos da galáxia da educação libertária. ---- A liberdade não pode ser 
ensinada, só pode ser aprendida na prática, no relacionamento com os outros. E é 
por isso que, na abordagem educacional libertária, os meios são tão importantes 
quanto os fins. ---- A ideia de que o pré-requisito da educação é a liberdade da 
criança e o objetivo da educação é a liberdade do ser humano adulto é 
compartilhada por um amplo espectro de teorias pedagógicas progressistas. Mas é 
apenas a abordagem antiautoritária que, com indiscutível coerência, acredita que 
o processo educativo, para alcançar esses resultados, deve ser pensado e 
realizado no terreno da liberdade.
A pedagogia libertária visa libertar o menino e a menina de qualquer doutrinação 
ideológica para que ele se torne um indivíduo autônomo e ciente das forças 
históricas e sociais que atravessam a sociedade, determinando a posição do 
indivíduo dentro dela.
Longe de querer "adaptar" o indivíduo à máquina social, essa abordagem 
educacional questiona antes por que as pessoas estão dispostas a aceitar como 
legítima uma autoridade social que limita sua liberdade.
A docilidade não é inata, mas o resultado de um processo educacional autoritário, 
que visa formar, ou seja, moldar, adaptar-se a um padrão, curvar-se à lógica da 
hierarquia, do papel social e de gênero de meninos e meninas.
A educação transforma-se em ginástica de obediência, questionários, provas de 
aptidão, provas e provas, um exercício de forjar as pessoas de acordo com a 
ética, a religião, a utilidade prevalecente num determinado contexto social.
O objetivo da educação libertária incidental é libertar meninos e meninas das 
duas instituições-chave que moldam seu destino social: a família, que, graças ao 
conceito histórico da infância, sanciona a dependência da criança do adulto, e da 
escola, o agência de socialização autoritária mais difundida, essencial para 
manter a pirâmide social em pé.
A escola estadual treina obediência, competição e flexibilidade, visa formar 
indivíduos prontos para se tornarem explorados ou exploradores.
Na Itália e no mundo existem escolas que colocam a autonomia de meninos e meninas 
no centro, um elemento crucial na construção de um mundo livre e igual.
Conversamos sobre isso com Francesco Codello, pedagogo, um dos fundadores da Rede 
pela Educação Libertária.

Laboratório autogerido La Miccia da Federação Anarquista de Torino - Asti
Perlanera Anarquista Laboratory - Alessandria

https://www.anarresinfo.org/scuole-libertarie-unutopia-concreta/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt