(pt) France, UCL - No território, juntos pelo tempo de trabalho! (ca, de, en, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 15 de Abril de 2021 - 08:51:06 CEST


Nantes, Paris, Toulouse, Lorient, Saint-Etienne ... Nas últimas semanas, as 
greves se aceleraram claramente entre os trabalhadores territoriais, em todo o 
país. Em comum, o aumento da jornada de trabalho. Agora é a hora de criar 
vínculos, coordenar e atacar juntos, para impor outra sociedade. ---- No outono 
passado, os agentes de Saint-Denis (93) abriram a bola com um duro conflito. ---- 
Mas, desde então, a raiva aumentou em muitas comunidades. Nantes, Paris, Lorient, 
Ivry, Toulouse, Pantin, Vitry, Créteil, Saint-Nazaire, Carpentras, Grande-Synthe, 
Besançon, Champigny, Allonnes, Athis-Mons, Rouen, Villeneuve-d'Ascq... A tensão 
está aumentando entre os "primeiro de corvée"e reflete um descontentamento geral 
sentido tanto no setor público quanto no privado.

Um retiro histórico
Em muitas cidades, as prefeituras se escondem atrás da obrigação legal da lei 
sobre a transformação do funcionalismo público de 2019, uma lei contra a qual 
poucos votos dos prefeitos foram levantados na época. Mas eles não têm tanta 
pressa em aplicar a lei no que se refere ao respeito aos direitos dos agentes, 
principalmente dos mais precários!

Na verdade, a abolição dos 8 dias de afastamento é uma dádiva de Deus para 
reduzir o quadro de funcionários. Em uma época de desemprego em massa, não é 
disso que precisamos!

O aumento da jornada de trabalho seria um declínio histórico. Recusamo-nos a 
passar a vida trabalhando! Há família, amigos e, claro, o descanso essencial em 
nossos trabalhos difíceis. Sem falar que o ponto índice está passando por uma era 
do gelo ... então, dias a menos, não, é a gota d'água.

Qual empresa?
A questão colocada por este movimento é: que sociedade queremos construir? Uma 
sociedade onde alguns têm empregos e trabalham cada vez mais horas por salários 
péssimos, enquanto outros não têm empregos e estão sendo destacados? Com uma 
minoria que se empanturra? Ou queremos uma sociedade onde distribuímos trabalho e 
riqueza entre todos, para que possamos viver com dignidade? A escolha é clara. 
Mesmo que os prefeitos tentem nos matar, os cálculos são simples: mais tempo de 
trabalho por agente significa menos contratações, portanto, mais desempregados!

É apenas estabelecendo um equilíbrio firme de poder com as prefeituras que as 
linhas começarão a se mover! Mas para sermos mais fortes, devemos também atacar 
juntos: precisamos de uma coordenação das lutas do territorial no nível nacional. 
Do contrário, cada um negocia no seu canto, ficamos isolados e corremos o risco 
de sermos enganados.

A vitória é possível. Em certas cidades como Châtellerault por exemplo, onde a 
luta é particularmente exemplar, as primeiras vitórias foram obtidas. Vamos 
trocar, convergir, para nos darmos forças para ir mais longe!

Decidir juntos
Devemos agora continuar a falar sobre isso nos serviços, nas oficinas, nas 
garagens. Devemos discutir, debater, decidir juntos. As Assembléias Gerais devem 
proliferar em todos os lugares, apoiadas pelos sindicatos, para que os colegas 
possam assumir sua luta. Somos nós que trabalhamos, somos nós que decidimos. Nem 
mais um minuto de trabalho livre, é na luta que buscaremos essa vitória!

Trato para baixar
Para nós, para os serviços públicos e para mudar a sociedade.

Para trocar informações, muitos locais se encontram no grupo do facebook " 
Territoriais de todo o país: em luta! "

União Comunista Libertária em 8 de abril de 2021

https://www.unioncommunistelibertaire.org/?Dans-la-territoriale-ensemble-pour-le-temps-de-travail


Mais informações acerca da lista A-infos-pt