(pt) [Espanha] Os sindicatos que convocam a greve em universidades advertem que este é só o primeiro passo para conseguir avanços By A.N.A.

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 26 de Outubro de 2020 - 07:52:39 CET


Em uma coletiva de imprensa online, as organizações CNT, CGT e FEL ressaltaram a urgência de acabar com a precariedade que já atinge o setor 
desde antes da crise do Covid e encorajaram a participar nas mobilizações de quarta-feira, 21 de outubro. ---- Três sindicatos convocam a 
greve de universidades prevista para hoje, 21 de outubro.A CNT, CGT e a Federação Estudantil Libertária (FEL) denunciam que está se 
precarizando a universidade e a pesquisa com fórmulas como o professorado associado, o professor-tutor ou a utilização da figura de falso 
autônomo. A greve se coloca também contra as práticas de externalização e a consequente degradação das condições laborais de diferentes 
serviços como a limpeza, que são essenciais para o desenvolvimento dos trabalhos docentes ou de pesquisa.

Alberto Izquierdo, porta-voz do sindicato CNT, entende esta greve como uma oportunidade para tecer redes entre todas as organizações 
preocupadas em dignificar o setor. Por isso, ressalta que a greve desta quarta-feira é só o primeiro passo de um trabalho coordenado a nível 
estatal para conseguir avanços. Também acrescenta que "a alta taxa e a instabilidade laboral sobretudo na população mais jovem alija a 
população dos estudos universitários". O que está voltando a converter a educação de 3º grau em um lugar só acessível a determinadas classes 
econômicas.

Manuel García, membro da FEL, explicou porque sua federação estudantil decidiu apoiar a greve. Entendem que é preciso reduzir o aporte 
econômico no sistema de taxas tendo em conta a situação de excepcionalidade acadêmica que está se vivendo. A FEL reivindicou a gratuidade 
total para este curso atendendo a situação de excepcionalidade motivada pela crise do Covid. Nesse sentido apontou que o custo da gratuidade 
dos estudos universitários só aumentaria 500 milhões de euros. Em 2018, o ministro de Ciência, Pedro Duque, então também titular de Ciência, 
anunciou no Congresso que o Governo queria garantir a gratuidade da primeira matrícula na Universidade. Para García é o momento de levar a 
cabo essa iniciativa.

A representante do sindicato CGT, María Leo, concluiu a roda de imprensa com críticas ao ministro de Universidades, Manuel Castell, por 
ignorar a convocatória de greve, o que para ela, segundo sublinha ironicamente é "uma mostra de sua vontade de diálogo". Leo demandou uma 
universidade 100% pública para que todos os cidadãos possam ter acesso independentemente de sua classe social.

Fonte: https://www.elsaltodiario.com/universidad/sindicatos-convocantes-huelga-universidades-primer-paso-para-lograr-avances-sector

Tradução > Sol de Abril

agência de notícias anarquistas-ana


Mais informações acerca da lista A-infos-pt