(pt) [França] Toulouse: 7 compas presos por fazer grafites e colar cartazes By A.N.A. (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 3 de Outubro de 2020 - 10:08:48 CEST


Na última sexta-feira, 18 de setembro, 7 compas foram julgados no Tribunal de Toulouse por grafites, cartazes e estênceis feitos na noite de 
terça-feira (15/09). Todos eles foram condenados a 2 meses de prisão (sem possibilidade de liberdade condicional) na prisão de Seysses (ao 
sul de Toulouse). ---- Tratava-se de várias tags e cartazes contra a polícia, juízes, gendarmes, burgueses, o Estado e o patriarcado. 
Poderíamos ler, por exemplo: "O fogo mata o vírus, queime sua delegacia", "não vamos salvar a economia, vamos destruí-la", "com ou sem 
máscara, este mundo é irrespirável, vamos destruir o que nos sufoca", "okupe sua prefeitura", "melhor morrer livre do que viver em 
confinamento", "a polícia mata, vamos confiná-la", "ACAB, o pior vírus é a autoridade"... Um vizinho apresentou uma queixa e alguns minutos 
depois a polícia chegou e prendeu sete pessoas. Eles foram detidos por 48 horas e passaram uma noite sob custódia, acusados de:

- Degradações, com agravamento para agrupamento

- Identidade imaginária

- Recusa em dar suas impressões digitais e DNA

Na detenção, todos pediram o mesmo advogado, mas o promotor recusou sob o pretexto de "conflito de interesses". Ninguém testemunhou e alguns 
deles recusaram as audiências. Durante a prisão, pelo menos uma pessoa teve seu DNA retirado de um copo de água. O advogado finalmente pôde 
levar o caso das 7 pessoas em "comparution immédiate" (julgamento acelerado que ocorre após a prisão). Havia três partes civis, a prefeitura 
de Toulouse e dois sindicatos de co-propriedade (entre eles a SOGEM).

Durante a audiência, as pessoas não responderam a nenhuma pergunta, mantiveram as identidades e simplesmente declararam que não reconheciam 
os fatos.

O promotor público solicitou uma sentença de grupo, pois era impossível individualizar as sentenças, com base no perfil de cada um. O 
promotor solicitou 3 meses de prisão com entrada imediata. Quando o juiz pronunciou a sentença de 2 meses, as pessoas presentes na sala e do 
lado de fora expressaram sua raiva e solidariedade. O juiz pediu a prisão de uma das pessoas por "atacar a imagem do magistrado". Vários 
tentaram intervir e a polícia usou seu cassetete. A pessoa que eles queriam prender foi empurrada e caiu. Como resultado, ela foi 
encaminhada para o hospital e depois enviada diretamente para a delegacia.

Compartilharemos outras informações muito em breve.

NEM INOCENTES NEM CULPADOS! MORTE À JUSTIÇA E AO SEU MUNDO.

Exprimamos toda a nossa solidariedade!

(A)

Tradução > Liberto

agência de notícias anarquistas-ana


Mais informações acerca da lista A-infos-pt