(pt) federacion anarquistaiberica - [Bielorússia]: Contra o capitalismo e a ditadura, pela solidariedade internacionalista (ca, en, it)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 28 de Novembro de 2020 - 09:34:15 CET


A Comissão de Relações da Internacional de Federações Anarquistas (CRIFA) 
manifesta o seu apoio e a sua solidariedade internacionalista à luta popular na 
Bielorússia contra a ditadura de Alexandre Lukashenko, um movimento de massas em 
que participam os nossos companheiros anarquistas. A situação na Bielorrússia 
prende-se com a existência de uma ditadura autocrática que já dura há 26 anos, e 
com as crises atuais que afetam a economia, a saúde e os serviços públicos. Uma 
onda de protestos encheu as praças do país para exigir a demissão do ditador. 
Como anarquistas, não nos interessa muito saber se as últimas eleições 
presidenciais foram justas ou não. Para nós é bastante claro que as pessoas na 
Bielorússia estão a dizer "basta": não querem estar sob um governo que as mata à 
fome, reprime e oprime.

Estamos solidários com os presos políticos bielorrussos e exigimos a sua 
libertação imediata. Também exigimos a reintegração de todos os trabalhadores que 
perderam os empregos por participarem em greves ou protestos e o fim imediato da 
repressão. Denunciamos a violência e os abusos da polícias política e das forças 
militares ou paramilitares do regime, que prendem, espancam e torturam de forma 
arbitrária os seus adversários políticos. Exigimos o fim do poder autoritário na 
Bielorússia, que é uma triste memória do totalitarismo da ex-União Soviética e 
que ainda serve como um instrumento para a estratégia militar da Rússia de Putin, 
que utiliza o país vizinho como um ponto de apoio militar.

Contudo, da mesma forma que nos opomos ao militarismo russo na Bielorússia, 
também nos opomos ao militarismo das forças do Atlântico (NATO) nas repúblicas 
bálticas, tal como a todos os exércitos e a todas as guerras que são 
desencadeadas pelos Estados contra os povos. De igual forma, não aceitamos a 
atual retórica da "liberdade" ocidental, nem de um possível papel de mediação da 
União Europeia. A única função da UE é gerir os interesses do capitalismo europeu 
e, portanto, como internacionalistas, opomo-nos a esta instituição.

Por isso, apelamos à solidariedade internacional de todos os trabalhadores e 
oprimidos e de todos os movimentos sociais, seja a Leste ou a Oeste, 
comprometidos com o sindicalismo e os direitos dos trabalhadores, com o direito à 
habitação, com as mobilizações feministas e LGBTQ, com a defesa da terra e do 
ambiente face aos especuladores, com a solidariedade e com a ajuda mútua, com a 
ocupação de espaços, com a produção de culturas alternativas e com a luta contra 
a exploração e o autoritarismo - para citar apenas alguns dos eixos preferenciais 
da nossa intervenção social.

Só a participação direta das pessoas nas lutas de baixo pode fazer a diferença e 
criar um movimento que vá além da substituição de um governo por outro, mais ou 
menos corrupto, mais ou menos autoritário. Entre todos os outros desafios que a 
humanidade está a enfrentar, a pandemia atual confirmou que Estado e o 
capitalismo não funcionam quando é necessária a solidariedade. É toda a sociedade 
que deve mudar no sentido da igualdade e da liberdade, e o anarquismo é hoje, 
mais do que nunca, a melhor opção que temos para o conseguir.

A Comissão de Relações da INTERNACIONAL DE FEDERAÇÕES ANARQUISTAS (IAF / IFA)

https://federacionanarquistaiberica.wordpress.com/2020/11/21/bielorrusia-contra-el-capitalismo-y-la-dictadura-por-la-solidaridad-internacionalista/#more-1035


Mais informações acerca da lista A-infos-pt