(pt) [Espanha] Revolução ecosocial By A.N.A. (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 20 de Maio de 2020 - 08:52:05 CEST


Desde o grupo Higinio Carrocera pomos em marcha este blog com o objetivo de refletir sobre o processo revolucionário que, entendemos, se 
abre ante o já evidente colapso do capitalismo e do Estado-Nação. A pandemia da Covid-19, de nefastas consequências para toda a humanidade, 
se somam os fenômenos migratórios, a mudança climática e a crise política, econômica e social em todo o mundo, com explosões de classe em 
muitos países. É muito provável que após o colapso venha o confronto entre os restos do poder econômico e dos Estados, que se blindarão com 
um modelo ecofascista para manter seus privilégios e monopolizar os recursos de todos, cada vez mais escassos graças a seu modelo econômico 
depredador. Do resultado desse choque de forças pode vir uma transição ecosocial baseada no decrescimento e preparar a sociedade para a 
autogestão, o apoio mútuo e o federalismo, quer dizer, a anarquia, em harmonia com a natureza e com um modelo radicalmente distinto do 
atual, que garanta a viabilidade do planeta e a convivência pacífica dos seres vivos.

Desde o decrescimento até o anarquismo

Cremos que a revolução que vem há de ser ecosocial. E isso porque o colapso atual nos abre o caminho, através do decrescimento, para uma 
sociedade anárquica, onde a autogestão, o apoio mútuo e o federalismo podem servir de base para um mundo onde se recupere o sentido de 
humanidade, em harmonia com a natureza frente aos valores do poder, do dinheiro e do mercado, que nos trouxeram a este beco sem saída.

O colapso (mudança climática, pandemias, crises econômica e social...) está começando. Os donos do poder econômico, militar e político são 
também conscientes disso e sabem que seu modelo estourará. Para blindar seus privilégios e interesses já estão construindo o que se denomina 
o ecofascismo, frente ao qual não caberá outra solução que não um confronto, uma revolução para impedir que se perpetue um sistema que está 
destruindo a vida neste planeta e que chega até os limites da biosfera.

Após a revolução, se esta finalmente sair vitoriosa, chegará a transição para o novo modelo social. Será lenta e difícil (suporá uma mudança 
radical na mentalidade das pessoas) e terá que basear-se no decrescimento, no fim do sistema patriarcal, no abandono paulatino das cidades, 
no fim do desperdício e do consumismo irracional, na busca de vidas mais austeras e de comunidades mais simples... Definitivamente, suporá 
um desaparecimento programado da sociedade do crescimento que nos obrigará a renunciar a nosso modo de vida. O decrescimento é uma 
necessidade, não um princípio nem um ideal, é uma fase na qual se põe fim ao objetivo insensato do crescimento pelo crescimento. Para isso 
há que abandonar a economia capitalista.

É certo que muitas pessoas, de maneira individual, escolheram uma ética pessoal diferente e a praticam em seu dia a dia. No entanto, ainda 
que seu exemplo possa servir de modelo para outras pessoas, não questionam radicalmente o sistema, e sem esse questionamento estrutural, a 
mudança será um remendo.

Entendemos que o anarquismo busca perfeitamente o novo modelo que superará o capitalismo e o Estado-Nação, a partir de uma sociedade 
auto-organizada e cooperativa, ou como diz Latouche: onde "o altruísmo se anteponha ao egoísmo, a cooperação à competência desenfreada, o 
prazer do ócio à obsessão pelo trabalho, a importância da vida social ao consumo ilimitado, o gosto pelo trabalho bem-feito à eficiência 
produtiva e o razoável ao racional".

Com esta abordagem inicial queremos começar, abrir o debate e encher de conteúdo este blog, enriquecendo-o com artigos e propostas que vão 
se configurando, tanto a análise deste processo para a revolução ecosocial e o decrescimento como o da nova sociedade que terá que vir 
depois da transição ecosocial.

Saúde e adiante!

>> Para acessar o blog, clique aqui:
higiniocarrocera.wixsite.com/revolucionecosocial

Tradução > Sol de Abril

agência de notícias anarquistas-ana


Mais informações acerca da lista A-infos-pt