(pt) France, Union Communiste Libertaire AL #302 - Por um dia 8 de março de luta, greve e unidade (en, fr, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 4 de Março de 2020 - 07:17:42 CET


Cem anos atrás, em 8 de março de 1917, trabalhadores em São Petersburgo (Rússia) entraram em greve e demonstraram exigir pão e paz e, assim, 
iniciaram um movimento revolucionário histórico. Foi lançada a luta de 8 de março pelos direitos das mulheres. Hoje como ontem, a greve é 
uma ferramenta poderosa. ---- Hoje, em mais de 50 países, as mulheres participam do movimento internacional de greves de 8 de março. 
Iniciado em 2017 por feministas argentinas, esse apelo internacional foi lançado após o feminicídio de uma garota de 16 anos Lucià Perez, 
estuprada e assassinada na Argentina. ---- "Nós mulheres do mundo todo estamos nos organizando em um confronto e um grito comum: a Greve 
Internacional da Mulher. Nós paramos. Estamos em greve, estamos colocando em prática o mundo em que queremos viver. » Convoque uma greve 
internacional da mulher em 8 de março de 2017 (Argentina)

A situação é histórica para as lutas das mulheres. Desde 2018, a chamada internacional para uma greve de mulheres é seguida por milhões de 
pessoas em todo o mundo. Em todos os lugares o movimento das mulheres está crescendo, se aglomerando e resistindo à violência sexual e machista.

Em novembro, estávamos 150.000 nas ruas do país contra a violência de gênero e sexual. Por mais de um ano, a insurreição de mulheres no 
movimento dos coletes amarelos foi um sinal de que a questão da luta de classes não era um debate antigo a ser jogado nas lixeiras da história.

Neste momento da luta contra a reforma previdenciária, as mulheres desempenham um papel decisivo, igual aos ataques que sofrem: 
empobrecimento, casualização, supervisão econômica ou superexploração, no trabalho e em casa, violência . E, no entanto, sem mulheres, nada 
funciona. Eles produzem trabalho compulsório gratuito, sem o qual a economia seria bloqueada: 750 bilhões é a soma que representa o trabalho 
das mulheres na França, contando o salário mínimo. Isso representa mais de um quarto da produção da riqueza nacional (PIB). As mulheres 
realizam as tarefas mais essenciais e mal remuneradas: quem limpa ? Quem cuida das crianças e dos idosos ? Quem nos permite fazer compras e 
comer ?

Queremos liberdade e justiça social.

Queremos uma sociedade livre dos sistemas de opressão e exploração.

A GREVE É A NOSSA ARMA !
Vamos nos organizar e mobilizar contra o patriarcado, o racismo, o capitalismo e seus mecanismos que destroem nosso planeta

A força das mulheres muda o mundo !
EM 8 DE MARÇO, PARAMOS TUDO !

https://www.unioncommunistelibertaire.org/?Pour-un-8-mars-de-lutte-de-greve-et-d-unite


Mais informações acerca da lista A-infos-pt