(pt) UCL Saint-Denis - O que queremos (en, fr, it) [traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 21 de Fevereiro de 2020 - 08:04:36 CET


Sindicalismo revolucionário e anarcossindicalismo, as melhores bússolas para os trabalhadores em luta! O movimento atual revive os 
fundamentos originais do sindicalismo: um sindicalismo de classe pronto para romper com a exploração do empregador e a dominação do Estado. 
Desde 5 de dezembro, a mensagem transmitida por todos se tornou cada vez mais clara: Unidade de Classe, Ação Direta e Greve Geral, as três 
bases de nosso sindicalismo revolucionário. Seu objetivo, construir uma sociedade de justiça social e igualdade radical: o comunismo 
libertário. ---- Assim como nossos companheiros do CGT RATP Bus Pleyel, compartilhamos as cartas de Amiens, nosso escudo mais caro e nosso 
olhar mais aguçado sobre o que queremos! ---- - Para disseminar o máximo possível - ---- as Cartas de Amiens no texto: ---- "Os grupos da 
CGT, fora de qualquer escola política, todos os trabalhadores conscientes da luta pelo salário desaparecimento de trabalhadores e 
empregadores ". ---- O Congresso considera que esta declaração é um reconhecimento da luta de classes, que se opõe no campo econômico aos 
trabalhadores revoltados contra todas as formas de exploração e opressão, materiais e morais, implementadas por a classe capitalista contra 
a classe trabalhadora. O Congresso especifica, pelos seguintes pontos, esta afirmação teórica: no trabalho reivindicatório diário, o 
sindicalismo busca a coordenação dos esforços dos trabalhadores, o aumento do bem-estar dos trabalhadores pela realização de melhorias 
imediatas, tais como redução de horas de trabalho, aumento de salários, etc. Mas essa tarefa é apenas um lado do trabalho do sindicalismo: 
por um lado, prepara-se para a emancipação completa, que só pode ser alcançada pela expropriação capitalista e, por outro lado, advoga como 
meio de ação da greve geral e ele considera que o sindicato, hoje um grupo de resistência, será, no futuro, o grupo de produção e 
distribuição, a base da reorganização social.

O Congresso declara que essa dupla tarefa, diária e do futuro, decorre da situação dos assalariados que pesa sobre a classe trabalhadora e 
que torna todos os trabalhadores, quaisquer que sejam suas opiniões ou tendências políticas ou filosóficas, um dever de pertencem ao 
agrupamento essencial que é a união.

Conseqüentemente, no que diz respeito aos indivíduos, o Congresso afirma que o sindical é totalmente livre para participar, fora do grupo 
corporativo, de tais formas de luta correspondentes à sua concepção filosófica ou política, limitando-se a perguntar-lhe, em reciprocidade, 
não introduzir na união as opiniões que professa no exterior. No que diz respeito às organizações, o Congresso declara que, para que o 
sindicalismo atinja seu efeito máximo, é necessário que a ação econômica seja exercida diretamente contra os empregadores, as organizações 
confederadas não tendo, como grupos sindicais, preocupar-se com partidos e seitas que, fora e ao lado, possam buscar livremente a 
transformação social.

http://www.ainfos.ca/fr/ainfos19909.html


Mais informações acerca da lista A-infos-pt