(pt) [Espanha] Luta de classes e anarquismo Por José Luis Velasco By A.N.A.

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 17 de Agosto de 2020 - 06:54:24 CEST


De acordo com dados da ONU (2019), pode-se estimar que existem atualmente cerca de 7,7 bilhões de pessoas no mundo. E é neste mundo que age 
o anarquismo, esta é a nossa realidade. Teoria e Prática do Anarquismo, Ideias e Ação. Ideia primeiro, a ideologia anarquista. Sem ideias, 
sem uma ideologia que molda uma visão das pessoas, das sociedades, da natureza e do Universo como um todo, não se pode agir nesta sociedade, 
muito menos tentar transformá-la em direção a qualquer destino. ---- É precisamente esta visão das coisas que vamos configurar como a visão 
do mundo que determina o que conhecemos como Ideologias. Estas ideologias são as que deram origem a formações políticas, religiosas, 
econômicas, sociais, sindicais, militares, culturais e éticas; e às diferentes formas de organização em seus campos correspondentes. E 
claro, cada uma com suas diferentes maneiras de analisar, interpretar, explicar e resolver os problemas da humanidade como um todo.

Nós anarquistas analisaremos a situação atual através da ciência e da razão, através do prisma da ideia de liberdade e da igualdade real do 
ser humano e da sociedade.  Com ciência, a ética (a moral anarquista) e a anarquia: ciência e razão como método de conhecimento; ética como 
meio de comportamento, de ajuda mútua e como fator positivo de evolução; e, anarquia, como organização econômica e social (comunismo 
libertário e economia anarquista).

O anarquismo é, acima de tudo, uma ideia. Uma ideia que surge individualmente contra um estado de coisas que entra em conflito com as 
aspirações e necessidades individuais e sociais. Mais tarde, as ideias individuais se tornam coletivas e sociais, ganham força e se 
organizam, sentem a necessidade de transformação social. O anarquismo torna-se um movimento social organizado com uma Ideologia das coisas e 
dos seres humanos: o desejo e a vontade de transformar a sociedade faz do anarquismo uma Ideologia em sua totalidade. Com suas próprias 
ideias sobre todas as áreas da vida individual e coletiva, sobre a natureza e o universo. O anarquismo não se torna apenas uma ideia, mas 
também uma Ação social e individual organizada. Já temos a Teoria e a Prática do anarquismo.

Para o anarquismo, a origem de todos os problemas sociais e injustiças está no poder, na autoridade, na violência, na religião, no governo 
dos seres humanos. Classes sociais, exploração econômica, propriedade privada dos meios de produção, injustiças sociais e econômicas, a 
incultura e ignorância são o produto do poder e da autoridade. Poder, autoridade e violência precedem o capitalismo e a propriedade dos 
meios de produção.

A grande aspiração do anarquismo é a liberdade e a igualdade real do indivíduo e da sociedade, em todos os seus aspectos. É com estes dois 
princípios que o Anarquismo constrói seu projeto social organizacional e o caminho para alcançá-lo.

Esta é a análise simples do anarquismo: verdadeira liberdade e igualdade para todos e em todas as áreas da vida individual e coletiva. Isso 
traz consigo justiça econômica e social, o desaparecimento da propriedade privada dos meios de produção, a eliminação das classes sociais. 
E, a colocação em prática da liberdade real, como a capacidade do ser humano de tomar decisões em todas as áreas de suas vidas; a realização 
da soberania individual, como a capacidade da pessoa de pensar, decidir e agir por si mesma; e a independência econômica, como a 
possibilidade de satisfazer as necessidades materiais sem agir de maneira contrária à nossa ética.

O projeto político, econômico, social, cultural e ético do anarquismo é o comunismo libertário, muito bem definido pela CNT em seu Quarto 
Congresso em Zaragoza, em 1º de maio de 1936, baseado na obra "Comunismo Libertário" de Isaac Puente de 1935, e que serviu de base para o 
grande trabalho construtivo da revolução social das coletividades libertárias na Espanha: uma organização social sem Estado, sem poder, sem 
autoridade, sem governo, sem exército, sem capitalismo, sem propriedade privada dos meios de produção, sem classes sociais, sem religião, 
sem igrejas, sem burocracias, com uma organização autogerida em todas as ordens de vida, e uma verdadeira liberdade econômica e social e 
igualdade baseada na equidade: a economia anarquista.

O projeto político, econômico e social do anarquismo é o seguinte: Trata-se de organizar, não de governar: Federalismo e sociedade contra o 
Estado. Trata-se de administrar, não de explorar: Economia versus capitalismo. Trata-se de saber, não de enganar: ciência e razão contra a 
religião e outros dogmas.

A economia anarquista é a única doutrina econômica colocada a serviço da sociedade como um todo em verdadeira igualdade econômica e social, 
sem propriedade capitalista ou estatal, com propriedade social dos meios de produção, com distribuição justa e igualitária da riqueza e do 
trabalho, sem classes sociais, com identidade de interesses. O consumo leva à produção. Onde cada um contribui de acordo com suas 
possibilidades e recebe de acordo com suas necessidades.

O anarquismo concentra seu projeto político, econômico, social, cultural e ético na classe trabalhadora, como uma classe social dominada e 
explorada pelo capitalismo, o Estado e a religião. Para o anarquismo, é a classe trabalhadora que tem a capacidade política de transformar a 
sociedade atual, pois é a classe social que sofre as injustiças do capitalismo e do Estado.

O anarquismo concretiza seu projeto político, econômico, social, cultural e ético através da coerência de meios e fins. Através de uma 
organização antiautoritária, federalista e autogestionada, através do sindicato, através do anarcossindicalismo: união do sindicalismo de 
classe trabalhadora e das ideias anarquistas. A capacidade política está na classe trabalhadora organizada no sindicato, e as ideias de 
transformação estão no anarquismo.

O anarcossindicalismo representa a fusão dos melhores ideais sociais e éticos: o mundo do trabalho e o mundo da anarquia. O sindicato tem 
que ser útil e prático, para melhorar nossas condições de vida aqui e agora em todos os aspectos: econômico, material, social, intelectual, 
cultural e ético. Ele representa a prefiguração da sociedade do futuro, lança as bases da organização econômica da economia anarquista e do 
comunismo libertário. Ele põe em prática a coerência dos meios e fins decidindo em Assembleia, de maneira federal, agindo com ação direta e 
praticando a solidariedade em toda sua extensão. Aqui e agora: a imprensa anarquista. Sem um meio ágil, atualizado e inteligente de 
disseminar ideias anarquistas, com razões e ideologia, os 7,7 bilhões de pessoas serão um oceano de nano-gotas de anarquismo e 
anarcossindicalismo.

Fonte: https://www.cnt.es/noticias/lucha-de-clases-y-anarquismo/

Tradução > Liberto

agência de notícias anarquistas-ana

Taken from: https://m.facebook.com/periodicoanarquistalaboina/photos/a.756133164414931/3760482523979965/?type=3&source=57


Mais informações acerca da lista A-infos-pt