(pt) O LUCRO DOS RICOS NOS ADOECE! por Coordenação Anarquista Brasileira CAB

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 23 de Abril de 2020 - 07:00:09 CEST


Enquanto a orientação geral continua sendo paralisar grande parte dos serviços e atividades chamadas de não-essenciais, Bolsonaro segue na 
contramão com sua política genocida, contribuindo com o número de infectados e de mortos pelo novo coronavírus, que só aumenta. As equipes 
que trabalham nos serviços essenciais, sobretudo nos hospitais e demais serviços de saúde, prosseguemenfrentando o vírus sem estrutura e 
medidas de prevenção necessárias. ---- Nós da CAB defendemos que a saúde e a vida das trabalhadoras e trabalhadores são a prioridade máxima. 
As categorias que estão compondo a linha de frente no combate ao novo coronavírus devem ter garantidos todos os equipamentos de proteção a 
fim de diminuirem o risco de contaminação pela Covid-19. A garantia da saúde dos profissionais dos serviços essenciais é urgente! Sem essas 
trabalhadoras e trabalhadores, o vírus avançará. Exigimos que os governos e patrões garantam todas as medidas necessárias contra a 
transmissão descontrolada. A dispensa remunerada de grande parte das pessoas em atividades não-essenciais também ajuda a proteger os 
profissionais da saúde, na medida em que diminui a circulação do vírus e reduz a demanda nos hospitais.

É necessário o alerta de que, sem as medidas adequadas, Equipamentos de Proteção Individual; como máscaras, luvas e aventais, médicos/as e 
enfermeiros/as poderão se tornar também fontes de contágio. Ou seja: tais trabalhadores/as não colocarão apenas a própria saúde em risco, 
mas a de outras pessoas também. Não há outro jeito: se as medidas mais urgentes não forem tomadas para garantir a segurança de imediato, os 
problemas piorarão ainda mais nas próximas semanas.

Em meio a esse complexo cenário, defendemos a dispensa remunerada de trabalhadores/as dos grupos de risco, incluindo gestantes e lactantes. 
Uma política de contratações emergenciais para a recomposição desses postos é fundamental. A dispensa é uma medida necessária, pois esses/as 
trabalhadores/as correm riscos que trazem grande possibilidade de afastá-los de forma definitiva, além de ser mais um ponto de sobrecarga do 
sistema de saúde.
As trabalhadoras e trabalhadores da saúde também possuem um papel importante no controle sobre seus locais de serviço. Organizar colegas e 
as demandas de cada setor, com atualizações constantes e a publicização a pacientes e familiares, para dar mais força às reivindicações 
frente ao Estado.

Em relação às empresas privadas da área industrial, é necessário o controle popular para que a produção cubra as urgências da saúde pública. 
A fabricação de máscaras, álcool em gel, luvas, testes de coronavírus e ventiladores para pacientes graves não podem estar a serviço do 
lucro em uma pandemia. A pesquisa privada também deve estar sob controle popular e concatenada com as pesquisas feitas pelas instituições 
públicas.

Os hospitais públicos brasileiros, além dos longos anos de sucateamento do SUS (Sistema Único de Saúde), sofrem com o aprofundamento de 
ataques causados pela Lei do Teto de Gastos (Emenda Constitucional nº 95), aprovada em 2016, durante o governo Temer. É importante que os 
movimentos sociais, organizações políticas, sindicatos e a auto-organização das trabalhadoras e trabalhadores da saúde fiscalizem e garantam 
a distribuição de EPIs e os treinamentos necessários.
Enquanto o sistema capitalista continuar em pé, nossa luta em defesa de uma vida digna e de um SUS de qualidade será sempre incompleta. O 
sistema e sua ânsia de lucro tratarão de achar "oportunidades" para ganhar em cima dos dramas e dificuldades do nosso povo oprimido. Farão 
de tudo para precarizar o SUS visando sua privatização. Nossa luta é por demandas básicas agora, mas é também por transformações profundas 
que abram caminho para uma sociedade socialista e libertária em que a nossa saúde não seja mercadoria.
Para agora e para depois, a luta deve ser por um SUS verdadeiramente público, gratuito e de qualidade, sob o controle dos trabalhadores e 
trabalhadoras!
O lucro dos ricos nos adoece!

Revogação imediata da lei do teto de gastos!
Por uma saúde pública digna para o povo!
This entry was posted in Frente Sindical, Notas. Bookmark the permalink.

https://anarquismo.noblogs.org/?p=1361


Mais informações acerca da lista A-infos-pt