(pt) federacao autonoma FAT: 7 DE SETEMBRO EM GOIÂNIA: O PALANQUISMO ELEITORAL DISFARÇADO DE DEFESA DE DIREITOS

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 16 de Setembro de 2019 - 07:54:35 CEST


"Todos animais são iguais, mas alguns são mais do que outros.'' George Orwell, , "A 
Revolução dos Bichos'' ---- Quando comparada com o presente, a obra de Orwell, escrita em 
1945 como crítica ao stalinismo soviético, tem semelhança evidente. Não é mais novidade a 
existência de grupos que se dizem iguais ao trabalhador e dispostos a se levantar contra 
patifarias. Mas que, pouco a pouco, se tornam iguais (ou piores) àqueles aos quais se 
opunham. ---- Ocorreu em Goiânia, no último sábado (07 de setembro de 2019), o "Quarto 
Tsunami da Educação'' (protestos que, supostamente, carregam a defesa do ensino superior 
público, além da inserção de outras pautas como a preservação da Amazônia e a oposição à 
reforma da Previdência).
A concentração do mesmo foi marcada para as 8h30min da manhã, em frente à Catedral 
Metropolitana, sendo uma mobilização que serviria, também, como "O Grito dos Excluídos'' 
(manifestações populares que ocorrem durante "a semana da pátria'' desde 1995 e culminam 
em uma manifestação maior no dia 7 de setembro).

Havia a presença de organizações institucionalizadas como partidos, centrais sindicais e 
diretórios estudantis, além de movimentos em defesa da moradia.

REPORT THIS AD

Ainda que os dois primeiros atos em favor da educação tenham sido cheios e compostos não 
só por estudantes do ensino superior, mas também secundaristas e professores, as duas 
últimas movimentações (13 de Agosto e 7 de Setembro) foram extremamente vazias.

Que o povo já se encontra exausto perante tais ações sempre da mesma maneira é um fato. As 
mesmas pessoas, os mesmos carros de som. As mesmas "pseudo-frases de efeito''.

O mesmo palanque eleitoral de partidos que se aproveitam das camadas mais populares e da 
pauta da educação para compor seu discurso usado de 4 em 4 anos e, em seguida, provocar 
desgastes no ensino público tanto quanto o atual governo.

Para comprovar tal afirmação, é imprescindível refletir quando se iniciou o sucateamento 
das universidades federais brasileiras. Retornar até o ano de 2015 e recordar a greve do 
ensino público federal, provocada pelos cortes orçamentários feitos pelo governo Dilma 
Rousseff (PT).

Hoje, quem se faz presente nos carros de som bradando contra os cortes no ensino público 
proferidos pelo governo Bolsonaro (PSL)? Os mesmos que no passado também deferiram tais 
cortes e pisaram no estudante pobre!

Quem, no início desse ano fez acordos com o governador de Goiás (Ronaldo Caiado - DEM) 
para que o recebimento da folha salarial dos trabalhadores da educação do estado fosse 
adiado? O mesmo Sintego que hoje se diz na defesa do ensino público!

Estamos cansados dos mesmos "lobos em pele de cordeiro'' e já não vemos motivos para 
compor essas mobilizações".

É evidente a necessidade de mobilizações de base para bradar contra tudo aquilo que nos 
esmaga. Contra os cortes na educação, contra a reforma da previdência. Entregar as 
mobilizações na mão do povo, nos organizar por nós mesmos!

NÃO É COM VOTO, E NEM COM LULA!

A NOSSA LUTA É NA RUA!

https://federacaoautonoma.wordpress.com/2019/09/09/7-de-setembro-em-goiania-o-palanquismo-eleitoral-disfarcado-de-defesa-de-direitos/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt