(pt) federacao autonoma FAT: Mais Pobres são os que mais rejeitam Bolsonaro

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 14 de Setembro de 2019 - 09:48:21 CEST


Na última pesquisa do instituto Datafolha, feita em 29 e 30 de agosto, fica constatado que 
o trabalhador marginalizado é o que tem menor adesão ao governo Bolsonaro. ---- A pergunta 
feita pelo instituto de pesquisa foi: ---- "O presidente Jair Bolsonaro completou oito 
meses de governo. Na sua opinião o presidente Jair Bolsonaro está fazendo um governo: 
Ótimo/Bom, Regular ou Péssimo". ---- Se considerarmos a rejeição por renda, os que ganham 
até 2 Salários Mínimos foram os que menos avaliaram o governo como ótimo/bom. Só 22% dos 
mais pobres assinalaram esta alternativa contra 43% que considera o governo Bolsonaro 
péssimo. ---- Deste modo, os mais pobres foram a única faixa de renda em que a alternativa 
Péssimo venceu a alternativa ótimo/bom por mais de vinte por cento.

A porcentagem dos mais ricos (mais de 10 salários mínimos) que considera o governo Péssimo 
é maior. 46%. Porém, também nesta faixa, os que consideram o governo Ótimo/bom também é 
maior. 37%. Deste modo, os mais ricos estão mais divididos que os mais pobres com relação 
ao governo Bolsonaro.

Esta divisão serve para todas as outras faixas de renda. Entre os que ganham de 2 a 5 
salários mínimos há um empate. (34% ótimo e a mesma quantidade considera péssimo).

Entre os de 5 salários mínimos a 10 salários mínimos, a aprovação de Bolsonaro vence a 
rejeição. (São 39% desta faixa que considera o governo ótimo/bom contra 31% que considera 
péssimo).

São os desempregados (48% péssimo contra só 18% ótimo/bom) e os assalariados sem registro 
(42% péssimo contra 22% ótimo/bom) as ocupações que mais rejeição possuem ao Governo.

Por outro lado, são os patrões os que mais aprovam o governo (48% dos empresários marcaram 
a alternativa ótimo/bom contra 32% péssimo).

O que comprova mais ainda a rejeição do proletariado marginal (que além da renda implica 
em questão étnica, espacial, cultural e política) a Bolsonaro é a avaliação por cor. Os 
pretos são os que mais consideram o governo Bolsonaro péssimo. 51% contra somente 19% 
ótimo/bom.

Nosso povo pobre e oprimido, os trabalhadores marginais, pretos, favelados, a classe que 
carrega o fardo da escravidão dos seus descendentes, é também a classe que mais rejeita 
este governo.

Enquanto o discurso político na esfera pública é dominado pela direita e pela esquerda de 
classe média, na prática, o povo pobre torna-se a vanguarda da luta contra este governo, 
se levantando espontaneamente para a resistência cotidiana.

Para tanto, basta perceber as diferentes lutas dos ambulantes pelo direito ao trabalho, e 
as várias manifestações recentes de moradores de favelas contra o assassinato de seus 
vizinhos.

O papel da FAT é nos organizarmos como trabalhadores, entendendo a centralidade da 
organização do proletariado marginal, os que mais sofrem e também os que mais se revoltam. 
Fortalecer as lutas espontâneas dos trabalhadores pobres, estimular a criação e o 
fortalecimento das organizações de trabalhador para trabalhador.

Só assim venceremos este governo e todos os demais, pois o poder do povo encontra-se no 
próprio povo e não nos partidos, nos políticos e no Estado. Estes são os poderes dos 
inimigos do povo.

Veja a pesquisa completa do Data Folha aqui:

http://media.folha.uol.com.br/datafolha/2019/09/02/574c277a171a64f166dee28d083f08cfag.pdf

FAT (FEDERAÇÃO AUTÔNOMA DOS TRABALHADORES)

https://federacaoautonoma.wordpress.com/2019/09/09/pobres-sao-os-que-mais-rejeitam-bolsonaro/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt