(pt) federacao autonoma FAT: PREJUÍZO À SAÚDE PÚBLICA: BOLSONARO CORTARÁ R$ 267 MILHÕES NO MINISTÉRIO EM 2020

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 7 de Setembro de 2019 - 09:50:38 CEST


Na sexta-feira (30 de Agosto), o primeiro orçamento anual da gestão do presidente em 
exercício, Jair Bolsonaro (PSL), foi enviado ao Congresso Nacional. ---- Já era 
previsível, antes do envio do mesmo, que haveria um sufoco e uma necessidade de se criar 
medidas que aliviassem o orçamento (e que a criação das mesmas ficariam a cargo do relator 
do projeto na câmara dos deputados, Domingos Neto, do PSD). ---- Com o envio do orçamento 
sexta-feira, o governo estima que terá um valor de R$ 89,2 bilhões para cobrir as despesas 
discricionárias de 2020 (as quais variam, desde água e energia elétrica, até bolsas de 
estudo). ---- O valor necessário para que a máquina pública operasse no limite, segundo a 
equipe econômica de Bolsonaro, é de R$ 100 bilhões ( cerca de R$ 11 bilhões a mais que o 
disponível).

Em 2019 o governo já havia executado um corte em tais verbas devido às frustrações de 
caráter econômico ocorridas com o passar dos meses. Em Janeiro, após a posse, o total 
liberado para se gastar com tais despesas era de R$ 129 bilhões; hoje, houve uma queda 
para R$ 97,6 bilhões.

Na redução de cortes de 2019, mais uma vez, quem se prejudicou foi o povo. A título de 
exemplo, R$ 926 mi foram cortados da educação pública.

Um dos fatores que levou ao aumento das despesas foram os gastos da União, que envolvem 
indenizações, aposentadorias, salários e devolução de tributos.

A empresa que mais lucrou com tais pagamentos, em 2019, foi a Copersucar (cooperativa 
brasileira de exportação de álcool e açúcar), que alcançou um valor de R$ 2,8 bilhões.

A artimanha a ser usada pelo governo, para reduzir tais despesas obrigatórias será forçar 
a aprovação da reforma da previdência (totalmente nociva ao trabalhador e, sobretudo, ao 
trabalhador pobre).

Estuda-se, também, reduções no "Minha Casa, Minha Vida'' (o qual teve a menor verba em 15 
anos) e, para a saúde, na qual haverá um corte de R$ 267 mi, o que, além de tocar em 
frente o sucateio do SUS, também virá a ameaçar o programa "Farmácia Popular'' e o 
oferecimento de melhorias no saneamento básico de pequenos municípios.

Sempre, em todos os momentos de crise no decorrer da história, o povo é quem paga com o 
seu sangue e a sua carne.

Devido às frustrações econômicas advindas no governo Bolsonaro, mais uma vez, o povo se 
contempla surrado, com restrição ao acesso a direitos básicos como saúde e saneamento básico.

É preciso paralisar os trabalhos para ocupar as ruas! Se erguer, pela base, contra a 
reforma da previdência e contra os cortes na saúde pública!

A luta é árdua, porém direitos são inegociáveis!

"Os instintos dos governantes, sejam legisladores ou executores das leis, são 
diametricamente opostos por estarem numa posição excepcional'' m.b

https://federacaoautonoma.wordpress.com/2019/09/02/prejuizo-a-saude-publica-bolsonaro-cortara-r-267-milhoes-no-ministerio-em-2020/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt