(pt) federacao autonoma dos trablhadores FAT: Reitor da UFG afirma que demissões de terceirizados não são por Cortes na Educação

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 4 de Setembro de 2019 - 12:46:01 CEST


Ontem, 29-08, o reitor da UFG, Edward Madureira, foi surpreendido por uma manifestação de 
estudantes em solidariedade aos terceirizados demitidos. ---- Ao ser questionado sobre as 
demissões, o reitor informou aos manifestantes que elas não se dariam por conta do corte 
de verbas do Governo Bolsonaro, mas fazem parte de um novo projeto de segurança para o 
campus elaborado já há mais de um ano. ---- O reitor confirmava a informação que já havia 
dado no dia 23 de agosto durante o CONSUNI (Conselho Universitária) da UFG. ---- Estas 
novas declarações do reitor da UFG contradizem, entretanto, o que ele afirmava 
anteriormente. ---- Em abril deste ano, o presidente do MEC anunciou um corte de 30% nas 
verbas destinadas às universidades federais.
Logo após este anúncio, o reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG) afirmou que devido 
aos cortes, contratos com os trabalhadores terceirizados seriam revistos.

Em meio a uma contínua precarização desses trabalhadores, que havia se iniciado com os 
cortes do governo Dilma, a UFG optou pela demissão.

No dia 13 de maio, na Assembleia Universitária que reuniu mais de 5 mil membros da 
comunidade da UFG, o reitor afirmou que faria de tudo para as demissões não acontecerem.

A Assembleia, marcada por discursos de alteridade e unidade, se encerrou com uma roda de 
abraço ao centro de Eventos da UFG, simbolizando a defesa amorosa contra os ataques de 
ódio do Governo Bolsonaro.

Durante essas mesmas respostas de alteridade e solidariedade, cerca de 30 funcionários 
recebiam em suas mãos o aviso prévio de demissão.

Não parou por aí, como é de praxe, no período de férias letiva a situação piorou: pelo 
menos 75 vigias de prédio (vigias desarmados), fora os terceirizados de outras áreas de 
trabalho (os quais ainda não temos informações precisas da quantidade) foram demitidos.

A FAT, como sempre se coloca em defesa dos trabalhadores mais marginalizados. São as 
famílias de terceirizados demitidos que estão pagando com a sua carne o preço de uma 
política de Segurança que sequer é conhecida pela comunidade universitária.

Queremos a readmissão dos terceirizados, o cancelamento dos avisos prévios e o debate de 
uma política de segurança com toda a comunidade universitária, inclusive com os próprios 
terceirizados, mulheres e estudantes pobres e negros que são os que mais sofrem com toda 
política de segurança imposta de cima para baixo.

https://federacaoautonoma.wordpress.com/2019/08/30/reitor-da-ufg-afirma-que-demissoes-de-terceirizados-nao-sao-por-cortes-na-educacao/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt