(pt) France, Union Communiste Libertaire AL #296 - Perrine Ablain (Syndicat des libraires d'Ile-de-France): "Defendendo nossa visão da profissão" (en, fr, it)[traduccion automatica]

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 1 de Setembro de 2019 - 07:11:15 CEST


No comércio, há um sindicato da livraria francesa (SLF), que representa muito bem os 
interesses dos livreiros ... patronos. Mas aqui está a criação de um Sindicato dos 
Libertadores de Ile-de-France (SLI), afiliado à CGT, que trata dos funcionários. Perrine 
Ablain, livreiro do Urban Genre (Paris 20 th ), é um dos seus fundadores. ---- Como nasceu 
o SLI ? ---- Tudo começou a partir de um caso específico: um livreiro parisiense, diante 
do assédio, pediu ajuda ao SLF, sem sucesso algum. Ela procurou em outro lugar ... E foi o 
CGT-Commerce que atendeu e depois acompanhou a criação do SLI. Livrarias independentes são 
muitas vezes estruturas pequenas (geralmente menos de 11 funcionários), o que complica a 
relação entre a gerência e os funcionários, mas também as ligações entre nós ! Mas 
rapidamente percebemos, na discussão entre colegas, que encontramos os mesmos problemas: 
salários baixos, legislação mal respeitada (o pagamento de horas extras nem sempre é 
garantido, por exemplo), às vezes assédio.

Qual é a estratégia à vista ?

Primeiro, torne-se conhecido ! E informe sobre o acordo coletivo, sobre nossos direitos, 
que muitas vezes são pouco conhecidos pelos funcionários (e até pelos chefes !). 
Precisamos descompartimentar bibliotecas, criar links entre nós. Para começar, ficaremos 
confinados à Île-de-France. Nosso segundo objetivo é denunciar nossos salários, que são 
muito baixos em relação ao nível de estudo e carga de trabalho. Esse é um problema 
recorrente no mundo da cultura: devemos ser apaixonados ... e, portanto, dar muito em 
troca de pouco. Também queremos lutar fortemente contra as situações doentias do confronto 
cara a cara entre um líder autoritário que se sente todo-poderoso e uma pequena equipe 
assustada com a idéia de "  grelhar " Se ela se defender. Infelizmente, essas situações 
são muito comuns. Finalmente, o SLI defende outra visão da profissão, minada pela 
superprodução editorial. Ser bibliotecário é reservar um tempo para ler, obter os tesouros 
dos catálogos ... não apenas colocar as últimas notícias nas prateleiras.

Então, como fazemos tudo isso ?

Para reunir livrarias, criamos uma página no Facebook e uma lista de e-mail. O SLI também 
pretende realizar reuniões públicas regulares - fizemos vários membros do primeiro, no 
final de março. E, no momento, estamos trabalhando muito nas negociações de acordos de 
filiais ; é um problema muito grande para todos os funcionários que atuam em comitês 
conjuntos. No momento, porém, a CGT possui apenas 4 cadeiras, e os outros sindicatos 
presentes (CFTC, CFDT, UNSA, FO, CFE-CGC) não são representados pelos livreiros. Não 
facilita as negociações ! A longo prazo, esperamos pesar mais nas eleições profissionais, 
para lançar uma dinâmica realmente favorável aos funcionários das livrarias.

Entrevistado por Mélanie (UCL Paris-Sud)

SLI: uniondeslibrairesidf  gmail.com

http://www.alternativelibertaire.org/?Perrine-Ablain-Syndicat-des-libraires-d-Ile-de-France-Defendre-notre-vision-du


Mais informações acerca da lista A-infos-pt