(pt) [Chile] Santiago: "Este é o momento de luta pela dignidade" By A.N.A. (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 27 de Outubro de 2019 - 06:51:59 CET


Comunicado recebido na madrugada de 21 de outubro de 2019 ---- Olá, como estão? ---- 
Primeiro de tudo gostaria de esclarecer que faço este áudio com fins de comunicação, com a 
intenção de que se difunda o que está acontecendo no território em que habito, o 
território dominado pelo Estado do Chile, especificamente a capital. ---- Nestes últimos 
dias o Estado do Chile tem mostrado sua cara real, o que realmente é, colocando todos os 
policiais e militares na rua para reprimir os protestos e mobilizações que a esta altura 
já estão sendo vividas em nível nacional. ---- Estão morrendo pessoas, estão assassinando 
pessoas, estão torturando e estuprando mulheres, estão sequestrando pessoas. Até agora se 
trabalha com um número indeterminado de pessoas falecidas, 8 oficialmente, mas sabemos que 
são muito mais, sabemos que há muita gente ferida com gravidade com disparos da polícia e 
dos militares.

Para dar um breve contexto talvez poderia partir dizendo que ao redor de duas semanas 
atrás começaram os protestos massivos devido à gota que transbordou o copo, este copo 
carregado de demandas históricas neste lugar. Demandas relacionadas à saúde, à educação, 
ao sistema de transporte, ao sistema de abastecimento, próprios de um cruel sistema 
neoliberal implantado na ditadura.

A gota que transborda o copo é o aumento da passagem, o aumento dos serviços básicos, a 
eletricidade em específico, e começam com as multidões fazendo catracaços[evasiones, no 
termo espanhol da região]por parte de estudantes secundaristas nas estações de metrô, 
principalmente no centro da cidade. Com o passar do tempo, estes catracaços começam a 
abarcar gente de todas as camadas da população, gente de todas as idades se encontravam 
catracando e tomando as estações de metrô de Santiago sob seu controle, permitindo que 
todes que pegassem o metrô naquele momento entrassem sem pagar, o que com o passar dos 
dias levou à presença das forças especiais da polícia[carabineros, um dos braços da 
polícia de lá]nas estações, fazendo guarda e tentando reprimir esta manifestação. Não 
conseguiram, e as pessoas seguiram com os catracaços e ocupando as estações, e em 
particular a sexta-feira 18 de outubro, o protesto se aguça e se radicaliza e sai à rua, 
se dirigindo aos símbolos eternos do Capital: aos supermercados, aos bancos, às farmácias, 
aos ônibus de transporte público e à destruição das estações de metrô. Cerca de 45 
estações de metrô de Santiago estão destroçadas, 20 delas incendiadas, principalmente nas 
periferias, nas poblaciones[bairros periféricos onde vivem as pessoas que estão nas 
margens do capitalismo neoliberal chileno].

No sábado, 19 de outubro, é decretado durante a noite o toque de recolher, o Estado de 
Sítio, desde às 22h00 até às 7h00. Antes disso, na sexta-feira, foi decretado Estado de 
Emergência, os militares já estavam nas ruas, as ações não pararam. As pessoas seguiram 
saindo às ruas, seguiram armando barricadas, é incontrolável até o dia de hoje. No sábado 
foi decretado o toque de recolher, como dizia, e na noite seguiram as ações, as pessoas 
seguiram saindo às ruas, os militares começaram a entrar nas poblaciones, não apenas de 
Santiago, a esta altura já são 7 cidades que se encontram em Estado de Emergência, creio 
que 3 delas em Estado de Sítio também, com toque de recolher.

As polícias e os militares estão disparando, entram reprimindo e matando a quem se cruze 
com eles, há muitos vídeos em redes sociais de torturas, de detenções, de sequestros, 
relatos de estupros, atropelamentos, há uma repressão grande a poblaciones que 
historicamente se organizaram e resistiram diante da ditadura, e estão ocorrendo invasões 
da polícia nesses setores, uma perseguição política que sabemos que não será contida, e 
que o governo está tentando dirigir.

O presidente fascista e de direita, Sebastián Piñera, há umas poucas horas durante a 
coletiva de imprensa, declarou que estamos em guerra, que há um inimigo interno que está 
por trás de todas estas organizações. Há tentativa de apontar para organizações políticas 
já organizadas, sabemos que esta é uma montagem vil, que esta é uma mentira vil, as 
pessoas estão se organizando sem líderes nem dirigentes, de maneira horizontal e de 
maneira solidária.

Estão ameaçando cortar a água e a luz, estão colocando medo, estão intimidando as pessoas. 
A presença dos militares na rua cumpre o mesmo papel, varrendo estações, varrendo avenidas 
onde as pessoas se reúnem para protestar.

Não sabemos como isso vai seguir, não sabemos como vão seguir os assassinatos e os 
desaparecimentos. Isto não é algo novo para este território, há 40 anos atrás o panorama 
não era diferente, começamos de outra maneira, mas não sabemos como será concluído agora.

Há um chamado aberto às agitações, aos gestos de solidariedade a este lugar nos diferentes 
setores do planeta, que a solidariedade se expanda para além dos escritos e das palavras.

Este é o momento de luta pela dignidade, o descontentamento se respira, é incontrolável, a 
raiva e a expressão da ira tomou as ruas desta cidade e do país.

Um abraço, espero que isto sirva e contribua a tudo o que está acontecendo neste lugar.

Conteúdos relacionados:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2019/10/21/chile-a-greve-geral-desta-segunda-feira-21-de-outubro-e-algumas-perspectivas/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2019/10/21/chile-santiago-3o-dia-de-revolta-social/

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2019/10/21/chile-pagar-para-viver-e-viver-para-pagar/

agência de notícias anarquistas-ana


Mais informações acerca da lista A-infos-pt