(pt) liga rj: BRASIL - Governo Ecocida Bolsonaro omisso há 40 dias sem emergência antipoluição na costa do nordeste brasileiro.

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 17 de Outubro de 2019 - 10:58:26 CEST


Santiago Boaventura -- Educador Ambiental impactado pela poluição da costa nordestina na 
divisa Bahia e Sergipe. ---- Desde o dia 02 de setembro de 2019 que toda a costa do 
nordeste brasileiro foi inundada por marés de petróleo cru causando paralisação no turismo 
da região, impedindo a pesca e o consumo de pescado contaminado, levando a morte da vida 
marinha e de manguezais matando corais onde houve contaminação. ---- O litoral baiano, 
último estado a sofrer a contaminação e onde se nota óleo hoje 11 de outubro naspraias de 
Salvador. Nesta área reside dois dos mais importantes santuários de procriação da baleia 
Jubarte e de tartarugas marinhas. ---- Evidente que encontrar as causas e seus 
responsáveis é necessário, mas não é tão urgente quanto as ações emergenciais de 
identificação em alto mar das manchas do óleo e se ainda este vazamento está ocorrendo, e 
então realizar a contenção e recolha do petróleo que se encontra em alto mar e na costa 
brasileira evitando que alcance as praias e destrua a vida marinha. Nada foi feito e nada 
segue sendo feito. Ações pontuais tomadas localmente avançam para conter a poluição 
petrolífera.

Melhor dizendo: o IBMA e ICMBIO estão proibidos de se manifestarem oficialmente sobre o 
assunto poluição na costa nordeste do Brasil. A Marinha não emite nenhum parecer sobre 
absolutamente nada. Os três órgãos estão completamente desconectados dos Institutos 
Estaduais de Meio Ambiente do Nordeste, também não conversam com as Universidades Federais 
Brasileiras do Nordeste. A paralisia do governo é criminosa. A ausência de ações do 
governo Bolsonaro-Sales mostram para o que vieram: destruição ambiental em larga escala no 
Atlântico e na Amazônia Brasileira garantindo economia de recursos para alimentar a 
voracidade ultracapitalista.

Independente dos motivos escusos que levaram ao evento de poluição ambiental já mais visto 
na costa nordeste brasileira. A omissão do governo federal é ao mesmo tempo repugnante, 
uma declaração de que não se importa com o meio ambiente e por fim a devastação de um dos 
biomas mais necessários para vida no planeta. Motivos torpes para a inação: por o nordeste 
de joelhos economicamente em relação ao governo federal e privatizar a Petrobras 
garantindo a manutenção das desigualdade regional no país.

O governo federal segue escondendo e desviando da verdade: a sua máxima incompetência 
aliada às más intenções desse governo em relação ao meio ambiente. A omissão e a completa 
paralisia caracteriza um crime de lesa a natureza. Estamos diante de um crime que o povo 
trabalhador brasileiro deve julgar: crime de responsabilidade por omissão do presidente e 
seu ministro do meio ambiente que não permitiram a ação das instituições competentes no 
país conduzindo a uma devastação ambiental mortal para a vida marinha com consequências 
ainda imprevisíveis à médio prazo para as populações litorâneas e para todo o ecossistema 
marinho.

O Brasil passou por três grandes ataques criminosos da empresas e indústrias nacionais e 
multinacionais: rompimento de barreiras da Mineradora Vale do Rio Doce devastando recursos 
hídricos, matando fauna e flora e assassinando crianças, jovens, idosos e adultos entre os 
Estados de Minas Gerais e Espírito Santo, realização de incêndios no bioma da Amazôniapor 
iniciativa de garimpeiros, latifundiários, grileiros, criadores de gado, plantadores de 
soja, pimenta e agora a absurda, irresponsável e criminosa omissão do presidente e seu 
ministro do meio ambiente que omissos assistiram à poluição em toda a costa do Atlântico 
do Nordeste Brasileiro.

A Petrobras, empresa na mira do governo ultracapitalista fascista está sendo desmontada e 
na mira da privatização. Ocorre que mesmo não sendo a empresa responsável pelo vazamento 
do petróleo é ainda a única que tem infraestrutura básica, porém insatisfatória, para 
auxiliar na contenção e retirada desta poluição. Dada a extensão e impacto que está em 
curso uma operação de contenção e limpeza exige ação internacional coordenada. Isto também 
não está sendo cogitado e o ecocídio continua.

O que nós povo trabalhador brasileiro podemos fazer contra rompimento de barragens de 
mineradoras, contra queimadas criminosas e desmatamento na Amazônia, contra poluição no 
Atlântico Brasileiro? É visível e nítido que não devemos esperar o Estado e este Governo 
Bolsonaro respeitar, conservar e proteger o meio ambiente. Com isso, nós, gente 
trabalhadora perdemos nossas casa, nosso trabalho. Enfim somos descartados...

Organizados por sindicatos ruais e urbanos, em movimentos sociais podemos mudar as coisas 
e nos proteger, mobilizar-nossolidariamente em apoio aos povos ribeirinhos afetados pela 
ruptura de barragens em Minas e seus impactados, oferecer apoio ao povos da floresta 
amazônica, da costa atlântica nordestina para tanto para a limpeza do litoral que tanto é 
vital para todo nós brasileiros como para o planeta. Não temos outra opção que lutar. Lutemos.

https://ligarj.wordpress.com/2019/10/12/governo-ecocida-bolsonaro-omisso-ha-40-dias-sem-emergencia-antipoluicao-na-costa-do-nordeste-brasileiro/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt