(pt) Federação Autônoma dos Trabalhadores (FAT): PRESOS DE GOIÁS INICIAM GREVE DE FOME POR MELHORES CONDIÇÕES

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 25 de Novembro de 2019 - 08:07:30 CET


Na última segunda-feira, dia 11 de novembro de 2019, presos de diversos presídios de Goiás 
iniciaram uma greve de fome, negando-se também a tomar banho de sol e a irem às 
audiências. As reivindicações variam de acordo com o presídio, mas algumas delas são a 
liberação da visita social, fornecimento de uma alimentação digna e flexibilização das 
rotinas de controle internas. Pelo menos os presos de Anápolis, Senador Canedo, Planaltina 
e Aparecida de Goiânia aderiram à greve, de acordo com Ivânia Cavalcanti do jornal O 
Popular (11/11/2019). ---- O sistema divide a sociedade em classes sociais, uma rica e 
outra pobre, contando com o apoio das camadas intermediárias da população pra manter sua 
dominação. É aí que mora a origem do crime, ou seja, sua origem é social. Somos contra a 
criminalidade e por isso queremos acabar com o sistema que a cria. Temos que voltar nosso 
ódio para os de cima e não entre os de baixo.

Eles usam os complexos penitenciários de forma política para manter os elementos que fogem 
do padrão enjaulados, enquanto negam assistência básica para esses mesmos elementos e suas 
famílias. A grande maioria está presa por tráfico de drogas, um mercado que auxilia no 
sustento de diversas famílias enquanto o desemprego está altíssimo e os empregos são 
precários e mal remunerados. São trabalhadores marginalizados, inseridos na criminalidade, 
convivendo com a opressão e a exploração a vida inteira. Desta forma a luta reivindicativa 
se torna fundamental, pois é ela que garante os direitos mais básicos para os presos em 
particular e para o povo em geral.

Muitas vezes o instinto de revolta de nosso povo se manifesta de forma criminosa através 
de assaltos, sequestros, etc., mas com politização e união esse instinto de revolta será 
contra os poderosos, os patrões e o Estado, abrindo um caminho para uma sociedade nova que 
seja construída de trabalhador/a para trabalhador/a, acabando com a divisão de classes.

Com exceção de estupradores, abusadores e covardes, nós propomos a organização dos presos 
e suas famílias dentro dos princípios do sindicalismo revolucionário, formando Comitês de 
Presos e Familiares que defendam suas pautas, buscando a politização dos presos, o fim das 
disputas internas entre facções e a consciência de classe unida contra o sistema, para 
acabar de uma vez por todas com o crime, o tráfico ilegal de drogas e assaltos, trazendo 
justiça social, trabalho, pão, terra e liberdade para todas/os trabalhadoras/es.

https://federacaoautonoma.wordpress.com/2019/11/21/presos-de-goias-iniciam-greve-de-fome-por-melhores-condicoes/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt