(pt) Federação Autônoma dos Trabalhadores (FAT): JOVEM CEGA POR BALA DE BORRACHA: "A gente foi até os PMs e eles riram da nossa cara"

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 25 de Novembro de 2019 - 08:07:19 CET


Na madrugada de domingo 10/11, por volta das 1h, na cidade Guaianases, SP, A jovem de 16 
anos Gabriela Talhaferro , levou um tiro de bala de borracha de um Policial Militar, em um 
de seus olhos , durante a dispersão de um baile funk em que estava a jovem e amigos , no 
hospital foi constatada a perda da visão e realizada a reconstrução do globo ocular. ---- 
Gabriela conta sua reação diante da situação e disse que estava sangrando, chorando e 
quase desmaiando quando pediu socorro aos policiais. "A gente foi até os PMs pedindo ajuda 
e eles ficaram debochando, rindo da nossa cara, eles negaram ajuda e falaram que era pra 
gente sair de perto deles", revelou a vítima. ---- A adolescente diz que é capaz de 
identificar os três policiais militares, registrou a ocorrência nesta quarta-feira e 
descreve a situação como "aterrorizante". Segundo a reportagem exibida no programa Hoje em 
Dia 13/11, o policial apontado como sendo o atirador já havia respondido na corregedoria 
em 2013 por uma ocorrência muito semelhante, foi afastado para trabalho administrativo na 
época e já havia então retornado ao patrulhamento nas ruas.

REPORT THIS AD

Um aspecto que deve ser analisado é que a ação dos policiais naquela madrugada é parte de 
uma operação da polícia militar chamada "Noite Tranquila", que como toda operação policial 
, acontece de maneira coordenada, com táticas e estratégias definidas e planejadas 
previamente, o que nos faz questionar quais são as recomendações recebidas de fato por 
esses policiais ao se dirigirem para uma dispersão de baile funk na periferia em operação 
que tem nome, bala de borracha e tudo mais. A conclusão é que para um atendimento 
emergencial e inesperado a uma ocorrência no rádio que termine em tragédia, sempre caberá 
a desculpa de ser uma fatalidade, ou excesso do policial em si, um caso isolado. Mas a 
tática de uma operação policial com nomezinho bonito e aparato de repressão, onde não 
houve situação de confronto, contra pessoas desarmadas com abuso de autoridade é politica 
de Estado higienista e anti-pobre sim!

Procurados pelos jornalistas a Polícia Militar lançou a seguinte nota: "A Polícia Militar 
esclarece que, em 9 de novembro, policiais do 28º BPM/M realizavam a operação "Noite 
Tranquila", com o objetivo coibir ocorrências de perturbação de sossego, quando foi 
necessário o uso de técnicas de controle de distúrbios para conter a multidão. Até o 
término da ocorrência não havia relato de pessoas feridas, mas, ao tomar conhecimento do 
caso citado pela reportagem, o Comando do 28º Batalhão Metropolitano instaurou 
procedimento apuratório para investigar as circunstâncias. Até o momento, a Polícia Civil 
não localizou registro de boletim de ocorrência sobre o fato."

https://federacaoautonoma.wordpress.com/2019/11/21/jovem-cega-por-bala-de-borracha-a-gente-foi-ate-os-pms-e-eles-riram-da-nossa-cara/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt