(pt) quebrando muros: 29 DE ABRIL: 4 ANOS DE UM MASSACRE

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 5 de Maio de 2019 - 10:42:23 CEST


29 de abril, fez 4 anos da vergonhosa cena que ocorreu no Centro Cívico, em Curitiba. 
Professoras/ professores e trabalhadoras/trabalhadores públicos foram violentamente 
reprimidos pela força do Estado em 2015, desde então essa data representa um dia de luto e 
memória. Funcionários públicos acompanhavam a votação do projeto de lei que deslocava 
dinheiro do Paraná Previdência, responsável pelo pagamento das aposentadorias dos 
servidores do Estado, para os cofres públicos. O argumento era de que esse dinheiro seria 
utilizado para ações contra a crise econômica. ---- Ao tentarem entrar na Assembleia 
Legislativa do Paraná (Alep), os servidores foram barrados de forma truculenta pela 
Polícia Militar (PM), ordenados pelo então governador Beto Richa (PSDB) e o secretário de 
segurança Fernando Francischini (PSL). As professoras e os professores da rede estadual 
foram massacrados. O governo tentou justificar, alegando que os policiais estariam "apenas 
se defendendo". O sangue no asfalto dos mais de 200 feridos discorda: gás lacrimogêneo, 
bombas de efeito moral, balas de borracha e tropa de choque.

Não é de hoje que o estado do Paraná ataca seus professores, outro episódio semelhante foi 
o massacre na Praça Santos Andrade em 30 de agosto de 1988, onde o governador da época, 
Álvaro Dias (PODE), soltou a cavalaria em cima dos protestantes. Temos que ter em mente 
que estes não são episódios isolados e que o ataque e a precarização ao ensino público se 
dão constantemente de diversas formas e se arrasta durante anos:

POR MEIO DE CORTES PARA A EDUCAÇÃO

POR MEIO DA NÃO VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL

POR MEIO DO ABANDONO DAS INSTITUIÇÕES

O conflito ocorre quando existe reação e a reação passa a ser entendida como ruim quando 
ameaça os de cima. Ocorre então a criminalização dos manifestações e movimentos sociais, 
mais um artifício que serve de insumo para a criação paranóica de um inimigo da segurança 
pública. Esse processo se dá de maneira administrativa, através de processos legais e 
também através de processos de difamação pública dos movimentos e seus objetivos. Eles tem 
como objetivo deslegitimar a ação daqueles que sem culpa, apenas tentam ser ouvidos e com 
razão. Precisamos ter em mente que é nosso direito se manifestar contra decisões políticas 
que nos prejudicam e ficar atentos às injustiças cometidas pelo poder público.

VIOLENTO É O ESTADO!

CONTRA A REPRESSÃO AOS MOVIMENTOS SOCIAIS!

CONTRA A PRECARIZAÇÃO DO ENSINO!

https://quebrandomuros.wordpress.com/2019/04/30/29-de-abril-4-anos-de-um-massacre/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt