(pt) liga rj: Sindicalismo y Anarquismo: uma reflexão de Luigi Fabri

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 27 de Junho de 2019 - 07:15:13 CEST


Luigi Fabri nasceu em 1877 na comuna de Fabriano, província de Ancona na Itália. Era 
professor, jornalista, ensaísta, sindicalista, anarquista. Lutou na ‘Semana Vermelha' que 
foi a greve geral dos sindicatos em 1914, por esse feito foi exilado na Suíça. Por seu 
ativismo anterior a semana vermelha e ensaios diversos na imprensa anarcosindicalista, em 
especial no periódico Umanita Nova. ---- Fabri será obrigado a imigrar para América do Sul 
estabelecendo-se no Uruguay mantendo o ativismo no periódico La Protesta de Argentina e 
criando uma revista que será depois mantida por sua filha Luce Fabri. ---- Este livro 
publicado na Espanha em 1908 do original do italiano (1906), foi traduzido para o espanhol 
por José Prada. O livro é uma reunião de artigos publicados na revista italiana "II Pensiero".

Luigi Fabri trabalhou ao mesmo tempo pela cultura Libertária, pela organização anarquista 
e anarcosindicalista. Produziu uma reflexão contundente sobre o autoritarismo, sobre o 
fascismo.

Realizou um esforço de crítica ao autoritarismo e a ditadura radicalizando a reflexão 
sobre o anarquismo expandindo e aprofundando temas como o conceito anarquista de revolução:

‘Se o anarquismo fosse uma simples ética individual, para que cada um a cultivasse dentro 
de si mesmo, adaptando-se ao mesmo tempo na vida material a atos e movimentos 
contraditórios com ela, poderíamos nos chamar anarquistas e pertencer ao mesmo tempo a 
diversos partidos; e poderiam ser chamados de anarquistas muitos, que apesar de serem no 
terreno espiritual e intelectual emancipados, são e permanecem no terreno prático nossos 
inimigos. (Dictadura y Revolucion, 1921(Luigi Fabbri)')

Vivenciou e concretizou a luta anarquista refletindo, construindo e mantendo a organização 
anarquista como notamos nesse trecho:

‘A organização anarquista deve ser a continuação de nossos esforços e da nossa propaganda; 
ela deve ser a conselheira libertária que nos guia em nossa ação de combate cotidiano. 
Podemos nos basear em seu programa para difundir a nossa ação em outros campos, em todas 
as organizações especiais de luta particulares nas quais possamos penetrar e levar nossa 
atividade e ação: por exemplo nos sindicatos, nas sociedades anti-militaristas, nos 
agrupamentos anti-religiosos e anti-clericais, etc. Nossa organização especial pode servir 
igualmente como um terreno para a concentração anarquista (não de centralização!), como um 
campo de acordo, de entendimento e de solidariedade a mais completa possível entre nós. 
Quanto mais estivermos unidos menor será o perigo de que sejamos arrastados nas 
incoerências ou, que desviemos nosso ímpeto de luta para batalhas e escaramuças aonde, 
outros que não estão de forma alguma de acordo conosco, poderiam cortar-nos as mãos. (A 
Organização Anarquista, Junho de 1907(Luigi Fabbri)).

A partir de uma série de ensaios Luigi Fabri disserta sobre a organização, princípios e 
táticas anarcosindicalista e a partir do recolhimento destes ensaios é produzida esta obra 
que vale a leitura: Sindicalismo y Anarquismo(download).

Rever nossa história e fortalecer e ampliar a organização anarquista e anarcosindicalista 
no Brasil como prática diária.

https://ligarj.wordpress.com/2019/06/21/sindicalismo-y-anarquismo-uma-reflexao-de-luigi-fabri/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt