(pt) [Eslovênia] XI Congresso da Internacional de Federações Anarquistas, Liubliana, 24 a 28 de julho de 2019 By A.N.A.

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 29 de Julho de 2019 - 08:04:38 CEST


O décimo primeiro congresso da Internacional de Federações Anarquistas IAF-IFA será 
realizado em Liubliana (Eslovênia) de 24 a 28 de julho e haverá dezenas de experiências 
anarquistas de todo o mundo. Organizações anarquistas, editores de jornais e revistas, 
projetos com raízes profundas emancipatórias, companheiras e companheiros da Espanha, 
Portugal, França, Inglaterra, Bielorrússia, Grécia, Eslovênia, Itália, República Checa, 
Holanda, Turquia, Brasil, Argentina, Cuba, México, Bulgária, Suíça, Alemanha, Polônia, 
Cazaquistão, Kosovo, Macedônia, Estados Unidos, Japão, Venezuela... terão a oportunidade 
de compartilhar experiências, construir relacionamentos, discutir e planejar estratégias 
para a transformação diária, fortalecer as lutas anarquistas e o contato internacionalista 
de liberdade.

O anterior décimo congresso, realizado em Frankfurt, Alemanha, em 2016, apoiou a criação 
da Federação Anarquista Centro-Americana e do Caribe (FACC), e a renovada disposição para 
coordenar organizações anarquistas na América Latina, e o processo revolucionário em curso 
em Rojava, bem como o nascimento da APO (Organização Política Anarquista - Grécia), 
participando de movimentos sociais (como as grandes manifestações e greves que ocorreram 
na França, na primavera de 2016 contra a reforma trabalhista),de  experiências de luta 
contra os grandes projetos do Capital e do Estado, como o TAV (Trem de Alta Velocidade) ou 
o aeroporto de Notre-Dame-Des-Landes (França).

Desde então, a IAF-IFA fomentou fortes relações entre as muitas realidades anarquistas que 
a compõem, apoiou as lutas e experiências que as federações experimentam todos os dias, do 
Brasil à França, através da Bielorrússia, e promoveu campanhas como a denúncia do 
assassinato do companheiro Santiago Maldonado na Argentina e no apoio à luta da população 
mapuche, bem como contra o regime opressivo de Maduro na Venezuela e em apoio dos 
componentes anarquistas que são uma parte importante do processo revolucionário em curso 
em Rojava.

O evento em Liubliana será uma oportunidade para verificar o que foi discutido em 
Frankfurt e que tem sido feito desde então para apoiar a criação de processos federados 
renovados conforme realizado no Brasil e brindar as organizações irmãs como a APO na 
Grécia com a oportunidade de ingressar na IAF-IFA. Mas também será uma oportunidade para 
conhecer e debater, discutir os processos sócio-econômicos que os grupos e federações 
estão envolvidos nos seus territórios, sobre as estratégias para desconstruir o imaginário 
neoliberal que ainda permeia as ações de milhares de milhões de pessoas ao redor do mundo, 
e esmaga e influencia as massas de explorados e exploradas.

Nas muitas mesas de trabalho, serão abordados temas heterogêneos, mas, de fato, eles 
estarão conectados pelo desejo de buscar chaves e ferramentas que tornem mais efetiva a 
atividade militante cotidiana de transformação e reinvenção de nossas comunidades. Estes 
tópicos cobrirão:

* A análise da cena internacional de guerra permanente e as formas que estão tomando o 
totalitarismo moderno em diferentes partes do mundo, a partir dos conceitos ambíguos de 
soberania e do nacionalismo agora enraizado em todos os lugares, para chegar a processos 
econômicos de expropriação e exploração global,

* O medo, insegurança, fragmentação social, e precariedade como formas de existência que 
empurram muitos para se tornarem migrantes, bodes expiatórios que levam vidas 
insatisfeitas e são o pretexto para construir muros e reduzir direitos sociais,

* O agravamento das condições de vida de milhões de pessoas, tanto na Europa como na 
América Latina ou África,

* A redução progressiva e constante dos espaços de liberdade e a crescente repressão que 
os Estados continuam exercendo sobre os anarquistas e os movimentos, mas também as formas 
de solidariedade entre os trabalhadores, com os migrantes, entre os explorados e as 
exploradas, que nascem em toda parte, às vezes espontaneamente, às vezes de forma organizada,

* A renovada sensibilidade ecológica e a necessidade de libertá-la dos processos de 
reprodução capitalista e da geração de novos mercados, como a "economia verde" ou o mito 
do crescimento sustentável,

* Também as experiências internacionais sobre questões de gênero que surgem, no entanto, 
de uma consciência individual e coletiva sobre a qual continuam trabalhando para rejeitar 
o patriarcado e relações de dominação nas relações sociais e interpessoais,

* As formas de cada vez mais conflitivas e espontâneas no mundo do trabalho e o 
sindicalismo, a rejeição do militarismo, a guerra e a violência como instrumento de 
coerção e hegemonia.

Finalmente, haverá painéis de discussão e troca de experiências práticas, o reforço das 
relações entre os grupos de trabalho, desde a gestão de revistas e jornais até a gestão de 
mídias sociais e rádios, mas também uma discussão sobre a gestão dos espaços autogeridos 
em experiências de produção. Do fundo, seja sozinho ou cooperativamente, a atividade em 
associações e de coordenação, os métodos e formas comprovadas para lidar com conflitos e 
diferenças na vida diária, mesmo dentro das nossas organizações para construir novas 
relações e fortalecer as já existentes.

Será um momento importante para o anarquismo organizado reafirmar o internacionalismo 
libertário e de classe e o compromisso de cooperação e solidariedade entre explorados e 
exploradas, para fortalecer as lutas e experiências que podem derrubar fronteiras, muros e 
territórios tempo e incentivar a construção de um mundo de liberdade e igualdade.

A nossa solidariedade aos companheiros que participam, os delegados, que apoiam a 
iniciativa com propostas e contribuições e aportes de solidariedade. Viva o anarquismo, 
longa vida à Internacional de Federações Anarquistas!

Comissão de Relações Internacionais - FAI

O congresso é organizado para diferentes momentos, alguns públicos e outros reservados 
para delegadas e delegados. Em particular, de manhã e à tarde, terá lugar às portas 
fechadas com a participação de delegadas e delegados das organizações presentes. A partir 
da tarde, as discussões serão públicas e os concertos serão abertos a todos.

Para mais informações: crint  federazioneanarchica.org

Fonte: https://umanitanova.org/?p=10376

Tradução > Liberto

Conteúdo relacionado:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2016/03/22/alemanha-x-congresso-da-internacional-de-federacoes-anarquistas-acontece-em-agosto-de-2016-em-frankfurt-2/

agência de notícias anarquistas-ana


Mais informações acerca da lista A-infos-pt