(pt) luta fob: UM GRITO ECOA DAS MONTANHAS DE ROJAVA: Resistência heroica e solidariedade internacional em defesa da revolução!

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 7 de Janeiro de 2019 - 07:58:37 CET


FEDERAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES SINDICALISTAS REVOLUCIONÁRIAS DO BRASIL: ---- Não ao massacre e 
a invasão colonial pelo Estado turco! ---- #DoNotAbandonRojava ---- Por Rede de Mídia 
Classista (RMC / FOB) ---- O povo curdo e demais povos e minorias étnicas e religiosas tem 
sido fortemente atacadas pela guerra civil na Síria, onde governos de países do Oriente 
Médio e do Ocidente estão promovendo um verdadeiro massacre, que já soma milhões de 
atingidos entre mortos e feridos, além de uma onda de refugiados buscando abrigo para 
fugir dos horrores da guerra. ---- Apesar de todo o sofrimento, esse povo tem resistido 
heroicamente. Mais do que isso, o povo curdo e suas organização revolucionárias tem 
liderado um processo de construção de uma nova sociedade, uma verdadeira revolução social 
no século XXI. Desde 2014 a luta desse povo por terra e liberdade tem chamado a atenção de 
todo o mundo. O processo revolucionário se consolidou no território de Rojava (Norte da 
Síria) defendido pelas milícias populares de autodefesa (YPJ, YPG e outras, tais como as 
brigadas internacionais), autogerenciado pelas assembleias populares e comunas. Em 2016 
esse território passou a ser chamado oficialmente de Federação Democrática do Norte da 
Síria (FDNS).

Enfrentando a brutalidade dos fundamentalistas do Estado Islâmico bem como os governos da 
Síria, Turquia, EUA, Rússia e outros, os curdos optaram por organizar sua vida e seu 
trabalho coletivamente, criando instituições que garantem uma democracia federalista e 
socialista, baseada no autogoverno popular, na ecologia, nos direitos das mulheres, na 
liberdade cultural e religiosa e no trabalho coletivo: o que eles chamam de Confederalismo 
Democrático.

Porém, no dia 19 de dezembro de 2018 os EUA anunciaram a retirada de suas tropas da Síria, 
além de fechar um acordo com o Estado Turco para a venda de 3.500 milhões de dólares em 
armamentos. Esse fato gerou ondas de temor para as comunidades curdas. À luz das ameaças 
anteriores de Erdogan (presidente da Turquia) de uma iminente invasão turca de Rojava, há 
preocupações sérias e genuínas sobre a possibilidade de genocídio e limpeza étnica, como 
vimos este ano quando a Turquia invadiu Afrin. Muitos curdos e organizações internacionais 
de apoio à Rojava tem denunciado essa como mais uma ação articulada entre o Estado 
imperialista norte-americano com o Estado colonialista turco para sufocar a revolução 
social em Rojava.

Frente a mais essa ameaça as organizações populares e revolucionárias do Norte da Síria 
estão decididas a resistir e vencer. Em artigo divulgado pelo portal "Kudistán América 
Latina" a militante curda Hawzhin Azeez afirma a disposição da resistência heroica:

"(...) Ainda que tenhamos temores legítimos de que a Turquia invada e participe em uma 
limpeza étnica como fez em Afrin, nunca devemos nos esquecer de algo extremamente 
importante: estamos participando de uma revolução e ninguém iria nos entregar essa dura 
luta pela liberdade. Esta sempre será uma luta existencial entre os curdos e o fascismo, 
entre a opressão e a liberdade, a colonização e a emancipação, a invasão e a libertação.

(...) Isso nunca seria uma luta fácil. Isso nunca seria entregue a nós. Os Estados Unidos 
nunca estiveram comprometidos com a nossa ideologia. Vive e encarna a antítese completa do 
que Rojava e seus mártires representam."

"O segundo maior exército dentro da OTAN e a décima maior potência militar do mundo 
(Turquia), sob a ditadura de Erdogan, sempre se voltaria contra nós. Mas isso não 
significa que a luta acabou. Sim, Rojava precisa de solidariedade urgente. Ela precisa da 
voz internacional de feministas proeminentes, defensores dos direitos humanos, ecologistas 
e muitos outros para mostrar solidariedade a ela. A evacuação dos EUA é uma luz verde para 
a Turquia invadir e tomar parte na limpeza étnica dos curdos e de todos aqueles que 
partilham com eles a terra no norte da Síria. Todos aqueles que acreditam na humanidade 
devem falar sobre um inevitável desastre de direitos humanos que está no horizonte. Mas a 
luta é muito maior. Significa simplesmente que devemos estar mais comprometidos, ativos, 
firmes e inabaláveis em nossa resistência coletiva contra o fascismo. Mas, acima de tudo, 
significa que devemos acreditar em nós mesmos e em nosso povo."

"(...) Só quando o último guerrilheiro for morto, somente quando não haja mais YPG / YPJ 
na frente de batalha, só quando as montanhas não existam mais, somente quando a 
resistência solitária de Öcalan não iluminar mais nosso caminho, esse será o dia que 
devemos dizer "os curdos não existem mais".

"Até lá, nossa resistência deve continuar até que o último curdo que ama a liberdade dê 
seu último suspiro.

A liberdade e a luta pela liberdade nunca podem morrer.

Se queremos liberdade, temos que arrancar-la! Não podemos apelar para a consciência dos 
imperialistas, dos colonialistas, dos opressores e dos criadores de um despossuído Estado 
marginalizado. Nossos mártires não morreram por essa ideologia, morreram lutando contra ela".

(FONTE: Hawzhin Azeez / A Região / Curdistão América Latina)

Também sobre a situação recente a YPJ (Unidades de Defesa das Mulheres) / Internacional 
emitiu um comunicado, publicado em espanhol no site Alasbarricadas. Um trecho do 
comunicado das mulheres guerrilheiras diz o seguinte:

"O fascismo, o feudalismo, o patriarcado e todas as outras formas de opressão nos unem 
como mulheres de diferentes lugares, culturas e tradições. Viemos aqui para envolvernos 
com o que significa construir um processo revolucionário, participar na construção e 
desenvolvimento de tudo o que é necessário e defendê-lo por todos os meios necessários."

"Não é apenas uma defesa física, mas também uma defesa ideológica. Esta é uma revolução 
feminina! O front contra a opressão está em todas as partes.
As relações econômicas e políticas que qualquer organização ou estado mantém com a Turquia 
também são responsáveis por esta situação de uma guerra vindoura. Um único exemplo é o 
estado alemão que vende tanques para a Turquia e mantém uma "boa diplomacia" com os 
fascistas. Tudo isso ajuda a Turquia a continuar sua tradição de colonizar e massacrar os 
povos."

"Como internacionalistas, também estamos empunhando armas contra o Estado turco devido à 
colaboração de outros Estados nesta guerra. Por essa razão, nos opomos ainda mais forte ao 
fascismo para defender a revolução em Rojava. Compartilhamos uma luta com os curdos, 
árabes, assírios, turcomanos e uma grande diversidade de pessoas contra o patriarcado, o 
sistema estatal e o capitalismo. As sementes de uma vida livre já estão se espalhando por 
todo o mundo."

"Desenvolveremos resistência em todos os lugares. Precisamos que todas as pessoas, 
camaradas, nos sintamos responsáveis, não apenas para esperar pela guerra, mas para 
pará-la agora. É hora de lutar contra o fascismo! Nossos lugares são muitos, assim como 
nossos métodos nesta batalha. Silêncio significa cumplicidade, vamos apontar nossos 
inimigos como um objetivo, tornar a situação visível, nos organizar, começar a 
compartilhar e difundir as belas ideias que são a base dessa revolução."

"Como combatentes internacionalistas, acreditamos que nos tornamos mulheres livres quando 
enfrentamos os ataques inimigos ombro a ombro. Lembrando todos os companheiros que lutaram 
pela liberdade até o fim, entre estes milhares de mulheres. Nossa resposta a essas ameaças 
é uma resistência ilimitada! Sua coragem e amor pela vida é um exemplo para nós enquanto 
seguimos seus passos."

"Venceremos!
Viva a luta popular pela liberdade!
Viva a resistência de Rojava e do norte da Síria!"

(FONTE: Llamamiento YPJ International / Alasbarricadas)

Esse é um momento decisivo para a revolução social curda. São nesses momentos dramáticos 
que a nossa responsabilidade é cobrada para defender e aprofundar o caráter revolucionário 
e anticapitalista da resistência armada e de massas em Rojava! Em momentos tão decisivos é 
necessário que nos posicionemos ao lado do povo curdo e demonstremos a nossa solidariedade 
além das fronteiras! Temos que deixar bem claro a nossa posição anti-imperialista, 
anti-colonialista e solidária à luta dos povos oprimidos. Ocupemos as ruas e as praças 
brasileiras, ocupemos as embaixadas e denunciemos todas as organizações estatais, sociais 
e empresariais que direta e indiretamente estão a apoiar e a silenciar mais este massacre.

ROJAVA NÃO ESTÁ SOZINHA!

EXIGIMOS A RETIRADA IMEDIATA DA TURQUIA DE TODOS OS TERRITÓRIOS DO NORTE DA SÍRIA!

HONRA E GLÓRIA AOS MÁRTIRES REVOLUCIONÁRIOS DE ROJAVA!

TODO PODER AO POVO!
A LIBERDADE VENCERÁ!
--------
- FONTES:
"Llamamiento YPJ International "¡Es el momento de luchar contra el fascismo!" y de la 
Comuna Internacionalista de Rojava":
http://alasbarricadas.org/noticias/node/41156...
"Se acelera la decisión de Turquía de invadir Rojava":
http://kurdistanamericalatina.org/se-acelera-la-decision-.../...
"Entrevista al miembro del Comité Ejecutivo del PKK, Murat Karayilan":
http://kurdistanamericalatina.org/entrevista-al-miembro-de.../
"Es hora de reafirmar el compromiso con Rojava en lugar de revolcarse en la desesperación":
http://kurdistanamericalatina.org/es-hora-de-reafirmar-el-.../
"Solidariedade brasileira à Resistência em Afrin! Os curdos não estão sós!":
https://lutafob.wordpress.com/.../fob-df-solidariedade-brasi.../
"CHAMADO INTERNACIONAL PARA SOLIDARIEDADE A AFRIN E A REVOLUÇÃO CURDA":
https://lutafob.wordpress.com/.../chamado-internacional-para.../

File-se ao sindicalismo revolucionário! Junte-se à FOB!
>>> SITE DA FOB: https://lutafob.wordpress.com/
>>> EMAIL DA FOB: lutafob  protonmail.com

https://lutafob.wordpress.com/2019/01/04/um-grito-ecoa-das-montanhas-de-rojava-resistencia-heroica-e-solidariedade-internacional-em-defesa-da-revolucao/#more-3830


Mais informações acerca da lista A-infos-pt