(pt) [Espanha] Tudo termina. Nada termina. Umas palavras como dissolução da JL Madrid (2012-2017) By A.N.A.

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 16 de Setembro de 2018 - 08:36:22 CEST


Dissolvida a FIJL [Federação Ibérica das Juventudes Libertárias] (2007-2016) - conhecida 
como FIJA[Federação Ibérica das Juventudes Anarquistas]durante seu período inicial -, só 
faltava dar por finalizado o projeto da JL[Juventudes Libertárias]de Madrid. Sirvam estas 
linhas como um adiantamento de futuras e mais desenvolvidas reflexões. Sempre fomos firmes 
defensores de submeter a ação à crítica, sem nos importarmos com o alcance desta. No 
entanto, os tempos são lentos, dado que agora mesmo estamos envolvidos em uma quantidade 
de projetos de luta que são nosso presente, ao fim e ao cabo. ---- JL de Madrid teve ao 
longo de toda sua experiência um espirito de rebeldia que sempre a tornou incontrolável: 
aos burocratas do movimento, ao Estado, a seus falsos opositores e inclusive a nossos 
próprios "preceitos ideológicos". É o realmente positivo deste projeto: através de uma 
prática de luta anarquista foram revisando-se e questionando-se aquilo que nos valia e o 
que não, sempre tendo em conta o espírito de nossos princípios antiautoritários e a 
coerência com nossa ação.

Pelo caminho deixamos uma infinidade de textos, publicações e experiências que servem para 
dar conta deste processo, que ficarão à disposição dos companheiros e companheiras.

JL de Madrid teve um processo muito parecido ao de outros projetos anteriores da FIJL e/ou 
JL. Seguramente repetimos erros e acertos, mas sempre fazendo nosso próprio caminho. Fica 
pendente a tarefa de que futuros grupos, coletivos e/ou projetos federativos da JL/FIJL 
sejam capazes de não começar sempre do zero e deparar-se com os mesmos obstáculos.

Recordações a todos e todas as companheiras e companheiros que fizeram parte deste ou de 
outro projeto da JL e seguem ativos, com a fortaleza de umas ideias como eternas 
companheiras de viagem.

Menção especial aos companheiros e companheiras que sofreram e sofrem a repressão do 
Estado e pelos quais mostramos toda nossa solidariedade e carinho, por cima das grades, 
barras e muros: Mónica, Francisco, os companheiros e companheiras golpeadas nas Operação 
Pandora e Piñata. E claro, Lisa, ainda nas garras do Estado. Não estiveram nem estarão 
nunca sós.

Terminou um projeto, começaram muitos outros, nem sempre juntxs, mas unidxs por um passado 
de luta e um presente, também de luta, que não terminará até a total destruição da 
sociedade do Estado, do capitalismo e da autoridade em qualquer de suas formas e 
expressões. A guerra continua.

Morte ao Estado, a seus defensores e a seus falsos opositores

Pela anarquia

Nota 1: Este texto põe ponto final ao grupo de Juventudes Libertárias de Madrid 
(2012/2017). Novas e futuras agrupações, obviamente, são projetos alheios e autônomos a 
este acabado projeto.

Nota 2: O arquivo da FIJL (2007/2016) está sendo catalogado e esperamos que esteja 
disponível para sua consulta por parte de companheirxs em um futuro próximo.

Tradução > Sol de Abril

agência de notícias anarquistas-ana


Mais informações acerca da lista A-infos-pt