(pt) anarkismo.net: Contra os projetos anti-povo: Desde já e além das urnas by Resistência Popular e Ateneu Libertário Batalha da Várzea

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 25 de Outubro de 2018 - 19:00:14 CEST


Nesse cenário em que estamos, vemos o crescimento na disputa eleitoral de uma lógica que 
conhecemos há muito tempo na política: mais imposto pro povo, menos serviços públicos, 
custo de vida mais alto e menos direitos. Dessa vez, o projeto de sempre, como toda 
legitimação jurídica, vem com uma roupagem ainda mais perigosa da farda militar, do 
autoritarismo e do apoio à ditadura. ---- O Bolsonaro que se propõe novidade não passa de 
uma criatura de um sistema podre do qual ele participa há 30 anos. Sempre votou junto com 
Temer e contra o povo. Ele não renova, apenas surfa na onda do antipetismo, no ódio difuso 
e na frustração popular com a política tradicional, que não responde ao desespero com a 
violência urbana e com o desemprego. Seu discurso de extinção de garantias e de direitos 
que tão duramente conquistamos agora encontra também com uma extrema-direita disposta a 
tudo, dentro e fora das maracutaias institucionais.
Neste contexto de endurecimento das lutas e manipulação do ódio, empilham-se os casos de 
ameaça e violência contra lutadores e, sobretudo, contra lutadorAs sociais, contra pessoas 
LGBT+, contra negras/os e imigrantes. Estendemos nosso ombro solidário a quem sofre com o 
avanço ferrenho dos de cima contra os corpos e as vidas dos e das de baixo.

A quem luta, não há tempo de ter medo! Se as ameaças, as violências e os futuros apavoram, 
é preciso fazer do desespero rebeldia, transformar a tristeza em organização e seguir 
firmes, ombro a ombro e de punhos erguidos. Ceder à desesperança já seria uma derrota. Por 
isso, para nós lutadoras e lutadores, é preciso juntar os esforços e ampliar a 
solidariedade nesse terreno muito difícil que vamos pisar cada vez mais fundo.

Votando ou não votando, a quem quer enfrentar o fascismo é preciso se organizar e 
resistir! Integre um comitê, partícipe de um coletivo, procure o movimento estudantil, um 
sindicato ou uma associação de bairro e crie espaço de organização. O cenário não é de 
calmaria institucional e nem cabe a aposta cega no jogo político das urnas: é preciso 
unidade, resistência e luta cotidiana para construir força social e pôr freio nas 
intenções dos de cima.

A SAÍDA É NAS RUAS!
CONTRA O AJUSTE E A REPRESSÃO: LUTA E ORGANIZAÇÃO!

https://www.anarkismo.net/article/31176


Mais informações acerca da lista A-infos-pt