(pt) Liga-rj: Agustín Martín Soriano: os movimentos sociais bebem do ideal anarquista POR Marian Navarcorena

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 7 de Outubro de 2018 - 07:38:18 CEST


Agustín Martín Soriano é o autor de ‘Libertarios de Aragón'. Cronología em torno de 
Joaquín Ascaso, o Conselho de Aragón e os anarquistas de nossa terra», que esta tarde 
apresenta em Fraga, nos actos centenários da CNT na cidade. ---- - Conte-nos sobre o 
sucesso do livro. ---- -Saiu em 2015 e engloba todo o Aragón. É por isso que o estamos 
apresentando para todos em todos os povoados, porque é raro que o movimento libertário não 
tenha um certo significado para cada local. Seus protagonistas morreram e o assunto tem 
sido tabu por décadas, já que os anarquistas eram os bandidos. E eles foram os grandes 
perdedores da guerra, eles passaram de força predominante para desaparecer. ---- -Como 
você explicaria a um adolescente sobre o que é seu conteúdo no livro?
-A primeira coisa é que você não se deixe levar pelo estereótipo de agora: um anarquista 
igual a um terrorista. Se você ler o livro, verá que havia anarquistas que eram pedagogos; 
professores, pessoas como Ramón Acín cujo lema era para a criança, você não tem que bater 
nele nem com uma flor; intelectuais da estatura de Ramón J. Sender; artistas; naturistas e 
pacifistas. Eles eram pessoas que acreditavam que você tinha que convencer. E depois houve 
aqueles que apoiaram a violência como um meio.

-E o Conselho de Aragão?

- Foi o único governo legalmente constituído composto principalmente por anarquistas. Não 
há outro caso na história da humanidade.

-Como tem sido documentado?

A bibliografia é extensa, porque muitos dos que viveram a guerra escreveram suas 
experiências no exílio. Também entrei em contato com parentes, como os de Joaquín Ascaso, 
que me forneceram informações pessoais e fotografias. Fui ao museu de história social de 
Amsterdã, que tem todo o arquivo da CNT. Eu acumulei uma extensa documentação original que 
publico na página do Facebook Libertarios de Aragon. O livro inclui resenhas de 2.000 
aragoneses e no corpus do livro aparecem os nomes mais importantes, desconhecidos da maioria.

- A relação da bandeira do Conselho de Aragão com a Maçonaria é verdadeira?

-Não é descartável. A Maçonaria estava em toda a sociedade. O general Cabanellas, que se 
juntou ao 36º golpe de estado de Zaragoza, foi um companheiro da comitiva do líder da CNT 
em Zaragoza, Miguel Abós. Na verdade, ninguém se mudou para cá porque confiavam nele. 
Quanto à bandeira, que não era do Conselho, mas de Aragão, localizei ela em 2011 em uma 
loja de antiguidades, foi algo extraordinário.

- Você acha que na sociedade de hoje você pode encontrar ideais anarquistas?

- Sim, sob a bandeira dos movimentos sociais de ajuda mútua, de pessoas que lutam contra 
despejos, especulação imobiliária e bancária, que se juntam no trabalho cooperativo ou no 
apoio solidário. Tudo isso bebe do anarquismo, adaptado ao presente. Mas a sociedade está 
bem e, mesmo que você esteja desempregado, você tem um subsídio e um celular e faz o 
download de filmes. É muito difícil convencer essa pessoa a sair e lutar para mudar o mundo.

- Direitos, bem-estar social ... palavras que nossos políticos usam.

Sim, mas vamos olhar para seus salários, sua aposentadoria, suas casas. Como eles podem 
dizer que as aposentadorias são inviáveis vivendo nessas condições? Eles não pregam pelo 
exemplo. Os anarquistas fizeram isso.

Original:https://www.elperiodicodearagon.com/noticias/la-contra/agustin-martin-soriano-los-movimientos-sociales-beben-ideal-anarquista_1312686.html

https://ligarj.wordpress.com/2018/10/01/agustin-martin-soriano-os-movimentos-sociais-bebem-do-ideal-anarquista/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt