(pt) ABRA: Um novo empenho autoemancipatório em Cuba By A.N.A. por Isbel Díaz Torres

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Domingo, 20 de Maio de 2018 - 08:18:30 CEST


Sem sala abarrotada, sem áudio nem microfones, sem promoções em redes sociais nem em 
listas de e-mails. Chegou quem quis e pôde, e foi o suficiente. ---- Mais de trinta 
pessoas estiveram presentes neste 5 de Maio de 2018 em Lawton para fundar entre todos a 
ABRA - Centro Social e Biblioteca Libertária. ---- Depois de quase três anos de campanha 
internacional para conseguir os fundos necessários, sem recorrer a governos, partidos 
políticos, nem ONG's de nenhuma parte (muito menos a instituições estatais cubanas), 
conseguimos realizar um sonho surgido em 2015. ---- E já vínhamos das experiências prévias 
da Cátedra de Haydeé Santamaría, da Rede Observatório Crítico e de Guardabosques, as que 
demonstraram a necessidade imperiosa de possuir uma sede física fixa para que o trabalho 
pudesse ser mantido no tempo.

Alguns de nós pudemos ver na Europa e na América coletivos de esquerda, sindicalistas, 
anarquistas, socialistas, altermundistas, que tem seus próprios espaços. Alguns ocupam, 
outros alugam, e ali deixam voar sua criatividade, conduzem suas energias beligerantes 
para tentar transformar um mundo cada vez mais xenófobo, racista, consumista, injusto e 
explorador.

Nossas próprias lutas podem ser estas, ou outras diferentes, mas está claro que nada 
poderá substituir o contato direto, com o olhar transparente entre as pessoas que querem 
realizar algo juntas. Sobretudo em Cuba, onde o controle estatal dos meios de comunicação 
é tão férreo e a internet segue sendo tão cara e lenta.

Isso as pessoas que deram seus aportes entenderam, para que nossa ideia frutificasse e a 
cada uma delas faço chegar a profunda gratidão, minha e de meus compas da Oficina 
Libertária Alfredo López e do Observatório Crítico Cubano.

Sabemos que não lhes sobra dinheiro. Sabemos que muitos são trabalhadoras ou estudantes e 
que cada centavo pesa em suas carteiras.

É por isso que somente podemos arrancar nessa nova etapa com muita humildade e com o 
compromisso que fizemos a nós mesmas de abrir nosso Centro a cada pessoa que toque a porta 
com um sonho, uma ideia de autonomia e trabalho coletivo, e assim construir um novo 
sentido para as nossas vidas.

É por isso que, além de compartilhar nossa própria história com quem nos visitou neste fim 
de semana, também demos espaço para que compartilhassem seus próprios projetos, ou nos 
entregassem sua arte.

Assim aproveitamos a oportunidade para que os velhos projetos amigos como o 
lúdico-educativo-comunitário "O Trenzinho", o boletim antirracista "Desde a Ceiba", ou o 
grupo "Kaweiro" se apresentassem ante os novos ouvintes na voz de seus coordenadores 
Yadira Rubio, Tato Quiñones e Carlos Díaz e Meibol, respectivamente.

Desfrutamos da arte da trova que nos entregaram os estudantes da Universidade de Havana, e 
algum outro trovadorzinho informal, assim como algo de poesia escrita.

Soubemos de outras experiências artísticas como as de nosso compa Ernesto, que além de 
elaborar desinteressadamente os murais que dão as boas-vindas ao nosso centro, 
compartilhou uma nova série de belíssimas fotografias suas sob o título de ABRA.

Os promotores do Centro Loyola nos informaram dos novos espaços de debate "Fórum Loyola" 
que agora funcionam ali; e, ademais, soubemos detalhes do projeto de Artes Visuais "Você 
eu mais você" de Jorge Mata, assim como a vindoura "Fábrica de Improduzíveis" do 
Laboratório Cênico de Experimentação Social, apresentado por Yohayna Hernández.

Enfim, que desde nosso primeiro passo intentamos fazer honras a nosso nome e "abrimos" a 
porta ao outro que chega para tentar algo emancipador e belo.

Que tipo de coisas? Bom, sempre é possível tirar inspiração de qualquer parte, inclusive 
de algo tão simples como um dicionário:

ABRA:

1. Baia muito extensa (enseada).

2. Espaço aberto entre montanhas (garganta).

3. Abertura produzida no terreno por um sismo (greta).

4. Espaço entre duas filas de garrafas em um bar.

5. Campo aberto e amplo situado entre bosques ou caminho aberto através das ervas daninhas.

6. Folha de uma janela ou porta.

7. Distância entre a vela e o mastro.

> Mais fotos: 
https://guardabosquescuba.org/2018/05/07/abra-un-nuevo-empeno-autoemancipatorio-en-cuba/

Tradução > Liberto


Mais informações acerca da lista A-infos-pt