(pt) Organização Específica Anarquista Amazonas (OEA): Nota de repúdio: Não à violência machista no interior da Esquerda!

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sexta-Feira, 30 de Março de 2018 - 07:12:51 CEST


Viemos por meio desta, denunciar e tornar público, uma lamentável situação de agressão e 
violência ocorrida recentemente com uma companheira próxima de nossa organização, uma 
companheira simpatizante e que frequenta muita de nossas atividades e espaços. Neste mês 
das mulheres, no dia 08 de Março, a companheira (que por questões óbvias, manteremos seu 
nome em sigilo), foi agredida pelo seu ex-namorado num bar do centro da cidade (ameaças, 
puxões de cabelo e cerveja jogados em seu rosto). A agressão foi presenciada por várias 
pessoas que estavam no estabelecimento. O agressor (atualmente afastado) fazia parte da 
direção de um partido comunista, e horas antes do fato, estava presente na manifestação do 
8M, o que torna a situação ainda mais inaceitável. Falamos isto, pois enquanto dirigente e 
militante de um partido de esquerda, deveria saber muito bem que este tipo de postura, é 
inaceitável para alguém que cerra fileiras na luta social, para alguém que tem amplo 
contato e acesso aos debates, criticas, denúncias e casos que corriqueiramente as 
companheiras estão a falar, denunciar, se queixar.

Temos de mencionar que a situação só piora, uma vez que a companheira relatou que não foi 
a primeira vez que ela sofreu agressões de seu ex-parceiro. Ao longo do relacionamento, 
aconteceram situações de extrema violência, tanto psicológicas quanto físicas: socos no 
rosto, cabeça, manipulações e chantagens emocionais, promessas de "mudança". Em uma das 
situações (que ela disse ter ocorrido dentro dos espaços do partido político que na época 
ela era filiada), foi lhe desferido um soco na cabeça, onde acabou desacordada. Numa outra 
agressão, teve seu supercílio quebrado com um soco, entre outras situações. Após esta 
última agressão covarde (citada no inicio desta nota), o agressor se "escondeu" por alguns 
dias, mas foi visto num ato local que homenageava a vereadora Marielle Franco que foi 
brutalmente assassinada no Rio de Janeiro.

Queremos deixar claro que jamais podemos aceitar este tipo de violência no interior dos 
espaços de esquerda - seja ela que organização for. Por outro lado, precisamos de fato 
entender, é que tais situações, não podem ser vistas apenas como "brigas de casal", ou 
minorizadas e justificadas como brigas por "ciúmes" ou "paixão". Elas devem ser entendidas 
como uma questão estrutural da violência machista que procura controlar o comportamento 
feminino (que infelizmente também se faz presente nos espaços de militância e na 
política), e que se articula com a desigualdade de gênero, onde as mulheres negras e 
pobres estão no topo das agressões sofridas.

Portanto, não podemos nos esquecer de que a dominação masculina se reproduz através da 
violência, não apenas a violência física, mas por uma violência que faz questão de impor 
um papel de subjugação feminina, quando manipula, chantageia, controla e constrange. Não 
compactuamos com a rede que se constrói para a manutenção dessa violência através do 
silenciamento das vítimas. Demonstramos toda a solidariedade à companheira que sofreu este 
longo processo de violência e abuso. Não aceitaremos que este absurdo fique sem uma justa 
resolução ou que "passe batido" nos círculos de militância local. Não nos calaremos.

https://anarquismoam.wordpress.com/2018/03/24/nota-de-repudio-nao-a-violencia-machista-no-interior-da-esquerda/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt