(pt) [RECC-PI] TERESINA: TODOS ÀS RUAS, PRECISAMOS PARAR A EXPLORAÇÃO DO POVO! por ORGANIZAÇÕES SINDICALISTAS REVOLUCIONÁRIAS DO BRASIL: A FOB

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 4 de Junho de 2018 - 06:15:48 CEST


A LUTA DO CAMINHONEIRO É A LUTA DO POVO ---- Desde terça-feira (22), caminhoneiros 
autônomos retém suas cargas em Teresina. O ínicio da movimentação que acontecia próximo ao 
Posto de Fiscalização do bairro Tabuleta foi deslocado para o Terminal de Petróleo no 
Bairro Dirceu nas proximidades com a BR 343. Na sexta-feira (26) as movimentações no 
Terminal começava, no novo ponto de greve o número de caminhoneiros já era menor mas 16 
caminhões de abastecimento de combustível pararam pelo movimento de greve que avança. ---- 
Se existe um movimento de trabalhadores que questionam a alta dos preços dos combustíveis, 
algo que afeta principalmente os autônomos que tiram de cada frete a sobrevivência de suas 
famílias, devemos apoiar os trabalhadores. Assim também pensou o povo que foi ao local, 
logo mais de 180 populares se reuniram para se solidarizar com os caminhoneiros montando 
uma barricada para impedir que os policiais conseguissem retirar os caminhões no ínicio da 
tarde.

Como já sabemos, o governo do Estado do Piauí no entanto não pensa o mesmo. Nenhum apoio 
ao trabalhador foi prestado, pelo contrário, um intenso policiamento foi montado ao redor 
das barricadas e junto dos caminhões. A desproporcionalidade e política de repressão era 
tamanha, mais de 35 viaturas de diferentes níveis (Força Nacional, Civil, Tática, DOE, 
BOPE, GTOP) foram colocadas para nos ameaçar. O que o Estado nos diz é que não está aqui 
pra resolver o que nos aflige e nos matariam enquanto estamos lutando por nossos direitos.

O caminhoreiro, "B.", há mais de 40 dias longe de casa, é um dos que pararam sua atividade 
de frete. Ele nos conta sobre infiltrados dentro da manifestação que desde o começo tentam 
atrapalhar a retenção dos veículos e as negociações pressionadas pelos donos de posto que 
querem a liberação do combustível. Para os empresários e ricos, a miséria do povo não 
importa e farão de tudo para que nossa revolta não tome conta das ruas. Pro caminhoneiro a 
alta dos preços do combustível é pura ganância e ele nos explicou o que influencia no 
preço, "cada estado cobra seu ICMS, o mínimo que cobra é 12 por cento, tem alguns que 
cobram 17 outros cobram 20, aí depois vem outros PIS e CONFIN que é mais 7 por cento, aí 
tudo isso aí vai em cima no preço final principalmente do combustível. O valor do que 
alcool que eu trouxe pra cá tá 2,10 mas quanto que tá na bomba hoje? 4,00 reais ou 3,90. 
Além disso aí eles lucram quase cem por cento em cima de nós. Isso é o mínimo, eu 
carreguei gasolina de 1,74. Quanto que tá a gasolina hoje?"

OS INIMIGOS DO POVO SÃO OS OPORTUNISTAS: DESDE OS PATRIOTAS AJOELHADOS EM BANDEIRAS ATÉ OS 
DONOS DOS POSTOS
Não esquecemos que entre os manifestantes, haviam 10 há 15 "patriotas", conservadores e 
nacionalistas. Era a direita que tentava pautar em cima do movimento suas palavras de 
ordem conservadoras. Não esquecemos também que eram eles os escolhidos - e várias vezes se 
voluntariavam - pela mídia burguesa para discursar. Em todas as TVs do Piauí que cobriram 
o acontecimento, ao menos um deles apareceu. Na TV Clube (filiada a rede globo) eram eles 
inclusive os líderes da movimentação. Pois nós estivemos lá e afirmamos, o povo não eram 
eles, o povo esteve presente construindo consciência de classe. Mesmo muito a noite por 
volta das 20 horas quando a Força Tática resolveu aplicar seu discurso de terror de "ou 
sai ou leva, mas estou só fazendo o meu trabalho", mesmo quando os conservadores diziam 
que a vitória já tinha sido conquistada pois a reinvidicação estava na televisão e era 
perigoso estar ali, o povo resolveu continuar.

O discurso terrorista e piedoso da Polícia, os que se ajoelharam diante da bandeira e 
foram embora antes do povo, os donos de postos de gasolina que enchem seu bolso as custas 
do precário trabalho do caminhoneiro e do aumento de preço na revenda são nossos inimigos. 
Eles se oportunizam de discursos diferentes, dispersam e diminuem nossas lutas. Eles 
inclusive conseguem facilmente estar na televisão sem suas falar serem cortadas pois tem o 
mesmo caráter da mídia que trabalha sob o viés de um discurso de resguarde de privilégios. 
Pra nenhum desses interessa a insurgência do povo trabalhador.

Vimos diversas vezes quando os conservadores e nacionalistas faziam seu discurso 
anti-corrupção e anti-político na caixa de som e logo em seguida agiam como os próprios 
políticos que ignoram a voz da maioria do povo. No final da noite, entre às 19 e 20 horas, 
somente os 20 sujeitos consensuaram e se levantaram pra retirar os troncos de árvores que 
fazia a barricada do local. Queriam empregnar de desânimo ou outros que estavam no lugar. 
Como se fosse um espetáculo, cinco deles se ajoelharam em frente a uma bandeira do Brasil 
e tiraram fotos. Logo saíram e nos deixaram emboscados pelas viaturas e pelos policiais.

Infelizmente éramos poucos, apenas centenas e muitas mulheres com crianças de colo e 
pequena. Não tinhamos força pra levar bala de borracha ou bombas de gás. Os caminhoneiros 
sabiam disso e depois da reunião que durou mais de 6 horas, a maioria dos veículos cedeu. 
Um dos caminhões era conduzido por um policial.
Não podemos desanimar, a luta que travamos é histórica, é a luta do trabalhador contra o 
dono da riqueza. Por isso mesmo não podemos nos deixar levar por aqueles que mentem 
dizendo estar com o povo, que só estão interessados em desviar a luta dos trabalhadores 
para seus próprios interesses.

A pauta que deve ser seguida é aquela que combate a política criminosa que tem roubado os 
direitos das trabalhadoras e dos trabalhadores e produzido a piora das condições de vida. 
A GREVE GERAL combativa é o meio de avançar nesse sentido. E o momento de fazê-la é agora. 
Sem aparelhamento das centrais sindicais. Sem apelar para o vago combate à corrupção. Sem 
temer a repressão. Sem conciliação com governos e patrões. Sem militarização. Todos às 
ruas parando toda a produção e circulação, pondo de joelhos os ladrões e exploradores do povo.

NÃO TEMOS UMA DEMOCRACIA A DEFENDER, MAS UM AJUSTE A COMBATER
NÃO À INTERVENÇÃO! SIM À REVOLUÇÃO POPULAR!

https://lutafob.wordpress.com/2018/05/29/recc-pi-the-todos-as-ruas/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt