(pt) [Rússia] Repressões contra a Organização Narodnaya Samooborona By A.N.A. (en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 11 de Julho de 2018 - 06:59:17 CEST


De que forma os serviços especiais russos tentam através da tortura criar a "comunidade 
anarquista extremista com o objetivo de derrubar a ordem constitucional". ---- Nos últimos 
seis meses, serviços especiais estão tentando destruir o movimento anarquista na Rússia. 
Eles estão usando métodos muito mais cruéis em comparação com as repressões "clássicas" 
contra os desordeiros na Rússia. Sequestros, tortura, fabricação de casos criminais. O 
mais notável é o caso da organização "Network", no curso da qual os anarquistas de Penza e 
São Petersburgo estão expostos a pressões e torturas monstruosas. Explorados pela mídia 
oficial e acusados de "comunidade terrorista" por jogar airsoft nas florestas. Muitas 
informações estão sendo divulgadas sobre este caso.

Mas este caso está longe de ser o único. A repressão também alcançou os anarquistas da 
Crimeia. Alexander Kolchenko é um anarquista crimeu mantido encarcerado por vários anos. E 
a nova repressão iniciou em Março de 2018 com buscas em massa, prisões e tortura para os 
ativistas crimeus. O motivo foi a comunicação nas redes sociais e a notificação recebida 
pelas autoridades sobre a realização de uma reunião. Agora, um dos anarquistas da Crimeia 
- Alexey Shestakovich - foi obrigado a deixar o país. Outro - Evgeny Karakashev - está em 
um centro de detenção.

Além da tentativa de criação da ideia de "comunidade terrorista" e da limpeza da península 
da Crimeia dos anarquistas, os serviços especiais estão tentando forjar um caso criminal 
mais amplo, no qual eles poderiam incluir não apenas jogadores de airsoft, mas também todo 
ativista anarquista. Agora eles não estão mais tentando criar a falsa imagem de 
"terroristas", mas sim "extremistas". E os métodos são os mesmos. Anarquistas de 
diferentes cidades sofrem torturas por distribuírem leituras sobre os membros da 
"comunidade anarquista extremista" Narodnaja Samooborona (Autodefesa Popular). E é 
possível ler nos meios de comunicação de massa sobre os valentes funcionários de segurança 
do FSB (Serviço Federal de Segurança da Rússia) e do Centro E que informam sobre a 
detenção do "líder" e "membros" do Narodnaja Samooborona (NS).

Narodnaja Samooborona é a plataforma de mídia anarquista mais popular e com o mais rápido 
crescimento dos últimos anos. São publicados nele notícias sobre os eventos que estão 
acontecendo no país, no mundo e no movimento anarquista, artigos analíticos e históricos e 
materiais com uma tentativa de um repensar crítico da teoria anarquista. Além disso, 
muitos relatórios das ações anarquistas da Rússia e da Bielorrússia são publicados na 
plataforma. Esses relatórios não são enviados de um grupo ou de uma rede de grupos. Todos 
podem colaborar enviando relatórios sobre suas ações e eles serão publicados. A propósito, 
Narodnaja Samooborona interage de perto com o projeto Narodnaja Samooborona (Ação Direta), 
cujo objetivo principal é uma luta contra empregadores e golpistas inescrupulosos, 
confrontos com bandidos e invasores de apartamentos.

Um grande crescimento da atividade anarquista foi notado no ano passado. Campanhas 
anarquistas foram realizadas regularmente de Maio de 2017 a Maio de 2018 - em 
solidariedade aos prisioneiros políticos de protestos contra a corrupção, camaradas presos 
após os protestos contra o G20 em Gamburg, presos políticos anarquistas de diferentes 
países. Também houveram ações contra firmas de empréstimo, contra o sistema "Platon", 
ações antifascistas e eventos memoriais dedicados a antifascistas assassinados, ações 
contra o aumento de tarifas e contra o partido governante... A atividade máxima foi em 
fevereiro e março de 2018 quando foram organizadas campanhas contra as eleições 
presidenciais e muitas ações de protesto contra a repressão do caso "Network". Ações de 
diferentes formatos foram realizadas em dezenas de cidades russas. O mais notável foram 
ações anarquistas como a marcha não autorizada através da rua Myasnitskaya contra o terror 
do FSB em Moscou e a ação perto do departamento local do FSB em Chelyabinsk, quando um 
banner escrito "o FSB é o principal terrorista" foi pendurado e fumaça pirotécnica foi 
lançada no território do departamento. Exceto as ações de solidariedade para os ativistas 
reprimidos do caso "Network", um pequeno ataque feito por anarquistas ao escritório do 
"Rússia Unida" (partido russo atualmente no poder) teve uma ressonância especial.

Todas essas ações atraíram a atenção dos serviços especiais, que tentaram uni-los como 
ações do Narodnaya Samooborona. Anteriormente, Narodnaya Samooborona também foi objeto de 
uma atenção especial do FSB e do Centro E, que fez incursões em eventos anarquistas e 
intimidou os ativistas que poderiam estar conectados com esse movimento. Agora, o 
crescimento da atividade anarquista chamou sua atenção por ações ativas contra a "NS". 
Além disso, em março de 2018, antes do início das repressões contra os anarquistas de 
Moscou, o presidente russo Vladimir Putin ordenou aos serviços especiais para detectar e 
punir os organizadores de ações não autorizadas.

Em fevereiro, vários anarquistas de Moscou foram presos como suspeitos de atacar o 
escritório do "Rússia Unida", e também anarquistas de Chelyabinsk foram condenados por 
atacar o departamento do FSB. Os anarquistas de Chelyabinsk depois de presos foram 
torturados no departamento do FSB. Durante toda a noite eles sofreram choques elétricos 
para confirmar sua participação na ação. Além disso, os terroristas do FSB exigiram que 
dissessem que a ideia da ação havia sido encontrada no Narodnaya Samooborona. E um dos 
camaradas presos - Dmitry Tsibukovsky - foi designado pelo FSB como líder do ramo 
Chelyabinsk da "organização anarquista extremista" Narodnaya Samooborona.

Em Março, as repressões continuaram em Moscou. O Centro E e o SOBR (serviço russo de 
resposta rápida à força) fizeram buscas e prisões nas casas de anarquistas de Moscou antes 
das eleições presidenciais de 14 de Março. Um deles - Svyatoslav Rechkalov - foi torturado 
na minivan da SOBR. Ele foi obrigado a confirmar sua participação e liderança na "NS", 
organizando ações e campanhas anarquistas no território de toda a Rússia. Agentes do 
Centro E declararam que a razão das torturas é a crescente atividade anarquista, "os 
anarquistas rapidamente iniciaram suas ações em todos os lugares".

Claramente os serviços especiais estão se preparando para abrir um novo grande caso 
criminal contra os anarquistas, eles estão tentando obter através de tortura dos 
anarquistas de diferentes cidades o reconhecimento de que todas as ações anarquistas 
atuais na Rússia foram organizadas e coordenadas por "NS". Isso não é verdade. O recurso 
de mídia de Narodnaya Samooborona é, antes de tudo, uma plataforma e todo grupo anarquista 
pode enviar conteúdos para ela. É óbvio que os serviços especiais torturam os anarquistas 
presos e exigem que eles confirmem que a ação foi preparada e realizada por "NS" porque 
eles querem criar uma "organização extremista".

As razões de tal interesse para nós são claras. As tentativas de limpar a esfera política 
dos dissidentes na Rússia foram feitas por várias décadas. Recentemente, serviços 
especiais prestaram muita atenção aos anarquistas. E, é claro, eles não poderiam deixar 
passar a plataforma de mídia anarquista mais popular - especialmente no momento do aumento 
do nível de atividade anarquista e da crescente quantidade de relatórios publicados.

O ataque ao Narodnaja Samooborona é uma tentativa de destruir a info-estrutura anarquista, 
desabilitando a plataforma de mídia mais popular que espalha as informações sobre eventos 
de vários grupos separados.

Também é óbvio que as repressões são os indicadores da efetividade das atividades 
anarquistas na Rússia. Por que os serviços especiais capturam pessoas que poderiam ser 
anarquistas e tentam designá-las como "ativistas" ou "líderes" do Narodnaja Samooborona e 
do anarquismo russo?

Isto acontece porque o Estado tem medo do crescimento e atividade do movimento anarquista. 
Toda atividade efetiva, todo movimento ascendente vai de encontro às repressões e pressões 
do Estado. Estamos chamando para continuar as ações de solidariedade com os anarquistas 
russos e lembrar de todos os anarquistas que foram reprimidos. Resistir à repressão só é 
possível se formos todos juntos, e a luta deve ser travada contra a política repressiva do 
Estado na atitude para com todos os anarquistas. Então, estamos chamando para surgir em 
seus atos todos os casos de repressões em Penza, São Petersburgo, Crimeia, Chelyabinsk e 
Moscou. Todas essas repressões são os elos de uma cadeia para nós.

Mas também é muito importante não focar apenas neste tema ao fazer ações de solidariedade 
com os anarquistas reprimidos. Se isso acontecer e nos esquecermos de outros problemas da 
nossa sociedade, o Estado alcançará seus objetivos, desviará nossa atenção e interromperá 
a disseminação de nossas ideias.

E é claro que nenhum tipo de repressão pode suprimir nosso desejo de liberdade e equidade. 
Estamos chamando os anarquistas a não ter medo de nada e continuar sua luta. Se nos 
entregarmos e recuarmos agora, não conseguiremos nada e eles vão pensar que é fácil nos 
reprimir. E, claro, toda vez que o movimento anarquista crescer, as repressões crescerão. 
Só a dedicação em nossa luta e solidariedade pode nos ajudar a nos levantarmos neste 
momento difícil.

Fonte: 
https://naroborona.info/2018/06/10/repressions-against-narodnaja-samooborona-people-s-self-defense-organization/

Tradução > Gabriel Assis

agência de notícias anarquistas-ana


Mais informações acerca da lista A-infos-pt