(pt) uniao anarquista: RESOLUÇÕES VI CONUNIPA

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quinta-Feira, 18 de Janeiro de 2018 - 08:26:32 CET


"Insurgir-se: Combater o fascismo-imperialismo e o reformismo, duas faces da reação 
capitalista-racista-patriarcal" ---- Resoluções do VI Congresso da União Popular 
Anarquista, Realizado no mês de novembro de 2016 ---- Série Documentos, Política & Teoria 
- Volume 6 ---- VI CONUNIPA ---- Apresentação ---- O VI congresso da UNIPA, realizado em 
novembro de 2016, se deu num contexto particularmente complexo, o da dissolução do bloco 
no poder no Brasil (que levou ao golpe parlamentar que derrubou Dilma Rousseff) e da 
intensificação da luta de classes, intra-classes e interestatal. Se deu também num momento 
de acirramento da ofensiva burguesa, que tentando manter as altas taxas de acu-mulação de 
capital, rompeu múltiplos pactos de colaboração de classe (o pacto 
trabalhista-corporativista, criado nos anos 1940; o pacto nacional-desenvolvimentista, 
criado anos 1960; o pacto da redemocratização, dos anos 1980), pactos estes que 
asseguravam determinados direitos à classe trabalhado-ra, mas que também limitavam seu 
desenvolvimento enquanto sujeito autônomo.

Desse modo, as reformas neoliberais comandadas pelo PMDB têm uma profundidade histórica 
muito grande, acenam para novos cenários da luta de classes. Por um lado, a dissolução do 
bloco no poder e a intensificação das refor-mas tende, no curto prazo, a deteriorar as 
condições de vida do povo. Por outro lado, vários mecanismos de controle e domesticação 
social, que davam governa-bilidade ao conjunto do sistema, serão removidos, e no médio 
prazo aumentará a polarização de classes.

Nesse sentido, no médio prazo, novas forças da classe trabalhadora, des-trutivas e 
criativas, serão liberadas, e será travada a batalha histórica pela for-mação da 
consciência da nova classe trabalhadora em gestação. Contra estas novas expressões de luta 
da classe trabalhadora irão opor-se a velha burocracia reformista degenerada: o PT, o 
PCdoB e todas as suas forças acessórias. É para esta batalha que os anarquistas 
revolucionários devem estar preparados, para ajudar a classe trabalhadora a encontrar seu 
caminho rumo a autonomia.

A classe trabalhadora, em suas diversas expressões, tende a insurgir-se. Mas as formas 
insurrecionais precisam se consolidar, dando o salto qualitativo, de expressões 
temporárias de revolta para a organização permanente da in-surgência. Para isso, os 
anarquistas revolucionários precisarão dar uma profunda contribuição teórica e prática.

O VI Congresso apontou, então, a necessidade de aprofundar o trabalho organizativo por 
dentro das insurgências que se avizinham. Não nos contentare-mos apenas com a dimensão 
destrutiva e temporária dessas. Nosso trabalho é contribuir para que surja, de dentro das 
insurgências, uma confederação sindica-lista revolucionária, capaz de levar adiante a luta 
por uma sociedade socialista no Brasil. E este é o primeiro passo, mas essencial, da 
libertação da classe trabalha-dora brasileira.

https://uniaoanarquista.wordpress.com/2018/01/11/resolucoes-vi-conunipa/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt