(pt) [Espanha] Por quê praticamos a autogestão? By A.N.A.

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Segunda-Feira, 27 de Agosto de 2018 - 08:07:37 CEST


"A autogestão é a forma econômica revolucionária específica do anarquismo que surge da 
igualdade e da liberdade e não das hierarquias e da dominação. A autogestão anarquista, 
além da econômica, ao envolver o campo de decisões e organização, também é política e, 
portanto, social." ---- Porque queremos aprender a viver mais livremente, e usamos a 
autogestão como um conceito/teoria e ferramenta/prática ao mesmo tempo, verdadeiramente 
útil para esse propósito. ---- Entendemos que a autogestão, por si só, não garante a 
liberdade. Exemplo é que existem empresas e cooperativas "autogeridas" com chefes e 
trabalhadores assalariados ou voluntários, financiados por subvenções, ou que só trabalham 
para instituições públicas. ---- Estamos conscientes de que a autogestão como uma ideia 
isolada é facilmente manipulada, sendo atualmente uma das novidades e variadas faces 
progressistas que utilizam os novos partidos políticos de esquerda.

Facilitando assim, por um lado, a imposição de um novo sistema de gestão social "mais 
participativo"; isto é, com os impostos nós pagamos aos políticos para administrar nossas 
necessidades, e se eles fizerem mal podemos responsabilizá-los. Mas agora, eles querem que 
continuemos a pagar seus salários, levar o mérito (colocando o logotipo ou marca da 
prefeitura) e dar-nos algumas migalhas dos nossos próprios impostos (para que sobre mais 
para eles), mas que nós administremos as nossas necessidades, e ainda, se algo der errado, 
a responsabilidade será nossa!

E por outro lado, abrindo o caminho para a implementação da nova forma laboral do 
Capitalismo, em que o trabalhador assume todos os custos e riscos envolvidos na produção: 
seguros, instalações, máquinas, baixas, cotizações, as perdas potenciais... com as 
empresas agindo como intermediárias, colocando sua marca e levando praticamente todo o 
benefício. Algo assim como se todos trabalhássemos de autônomos, o que seria uma 
competição atroz, com mais isolamento, perda total dos direitos e forças quando qualquer 
protesto.

Por isso, defendemos que a autogestão real é uma parte de um todo e, portanto, deve ser 
acompanhada por outros conceitos/ferramentas com o mesmo propósito. Tais como: ação 
direta, horizontalidade, honestidade, solidariedade, apoio mútuo, respeito, livre 
associação... conseguindo-se assim que a autogestão não seja reduzida a um mero conceito 
econômico, mas que se transforme em um conceito moral que visa a liberdade, o bem-estar 
individual e coletivo e o interesse das pessoas, e não o benefício.

Praticamos a autogestão porque nos permite tomar conta de nossos próprios assuntos, isto 
é, amadurecer e assumir responsabilidade; quer sejam de natureza política (como 
organizar), econômicos (obtenção de recursos e meios de produção), sociais (cultura, 
saúde, aprendizagem...) e/ou humanas (relações...). Permitindo-nos ter uma visão mais 
abrangente, compreensível e completa de nossas vidas, recuperando assim o controle sobre 
as mesmas.

Como seres vivos teremos necessidades básicas que, ou as cobrimos nós ou quem seja 
responsável pela gestão delas terá a capacidade de submeter-nos aos seus interesses, terá 
a força para impor suas regras (patriarcado, o trabalho assalariado, de propriedade 
privada, o dinheiro , etc.). Enquanto que a autogestão nos oferece a possibilidade de 
romper essa dependência/obediência que sofremos do Estado e do Capitalismo. Porque ao 
afrontar, decidimos assumir a responsabilidade diretamente de nossos problemas e 
necessidades de forma coletiva, demonstramos que somos capazes e que não precisamos para 
viver, nem a sua intermediação (de gestão) ou permissão (leis), nem seus subornos na forma 
subsídios.

Porque ao praticar a autogestão estamos aprendendo e experimentando o que significa a 
autonomia, ser independentes, desfrutar de nossos esforços, não precisar de ninguém para 
nos dirigir nem ninguém que nos obedeça. Criando, assim, relações mais livres, diferentes 
das que nos inculcam o sistema democrático, com base unicamente em isolamento e interesse 
individual e do lucro a todo custo. Criando relações tanto sociais e pessoais onde mudamos 
as dependências, inseguranças e propriedades por apoio mútuo, confiança e solidariedade.

Porque se pode autogerir o que se quiser e, na verdade, já se leva tempo praticando-a; 
desde ligas basquete e futebol, a bibliotecas, ginásios... passando por cooperativas de 
trabalho, associações culturais e centros sociais alugados e okupados, parques, praças e 
hortas... casas, comunidades, cidades... até autogerir as nossas vidas inteiras .

A autogestão é a solução!

Fonte: jornal Aquí y Ahora # 2, Madrid, 2018.

Tradução > Liberto

agência de notícias anarquistas-ana


Mais informações acerca da lista A-infos-pt