(pt) [EUA] A evolução dos movimentos anarquistas em Eugene por Nic Castillon (ca, en) By A.N.A

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Sábado, 18 de Agosto de 2018 - 06:50:53 CEST


Manifestantes perambulavam pelas ruas do centro de Eugene, bloqueando o tráfego e 
resistindo à prisão em 18 de junho de 1999. O protesto havia surgido de um evento 
internacional chamado "Carnival Against Capital" (Carnaval Contra o Capital) no mesmo dia. 
As pessoas foram até o banco mais próximo e começaram a estourar as janelas de acordo com 
John Zerzan, um renomado filósofo anarquista baseado em Eugene. O ativista Rob los Ricos, 
que estava presente nos tumultos, acabou pegando sete anos de prisão por golpear um 
policial no ombro com uma pedra. ---- "Ninguém teria dito o que iria acontecer", disse 
Zerzan sobre os tumultos espontâneos. "Nenhum anarquista planejou isso, mas foi chamado de 
‘Tumulto Anarquista' na manchete de capa no dia seguinte".
Dos tumultos, dois foram hospitalizados, mais de 25 presos e mais de cem com ferimentos 
leves na garganta e nos olhos causados por gás lacrimogêneo da polícia antidistúrbios, de 
acordo com um artigo do "The Oregonian", publicado no dia seguinte.

Foi nessa época que a cidade de Eugene começou a desenvolver uma reputação nacional por 
seus movimentos anarquistas e seu ativismo. Em 2000, o "Chicago Tribune" descreveu a 
cidade como "o berço da última geração de manifestantes anarquistas". Essa reputação pode 
ter diminuído desde então, mas os passos da comunidade anarquista de Eugene, uma vez 
movimentada, ainda estão vivos hoje.

Naquela época, o então prefeito republicano Jim Torrey chamou Eugene de "a capital 
anarquista dos Estados Unidos". Ele considerou que os protestos tiveram um impacto 
definitivamente negativo na cidade.

"Tivemos uma boa dose de anarquismo acontecendo em Eugene na época", disse Torrey. Ele se 
lembra dos anarquistas "jogando pedras nas janelas, bloqueando o tráfego e atacando carros".

Inicialmente, esses eventos estavam ligados a um movimento antiglobalização maior, mas nos 
anos seguintes, Eugene começou a funcionar como um centro para uma gama mais ampla de 
atividades anarquistas.

Várias publicações anarquistas pequenas e independentes foram produzidas e distribuídas 
dentro e ao redor da região. Um boletim informativo intitulado "Break the Chains" enfocou 
o apoio aos presos políticos e as críticas ao sistema penitenciário. Outra publicação, 
"Disorderly Conduct", publicou notícias generalistas anarquistas, ensaios e informações, 
juntamente com o seu slogan: "Foda-se o civil, tornemo-nos desobedientes!"

No distrito de Whitaker, Zerzan transmitiu um programa de rádio da estação de rádio pirata 
"Radio Free Cascadia RFC". "Foi algo muito diferente", falando sobre o conteúdo de suas 
primeiras transmissões. Como ninguém podia fazer chamadas para a rádio pirata, Zerzan leu 
principalmente seus textos favoritos e destacou as notícias anarquistas.

A RFC foi finalmente atacada e fechada pela polícia, mas Zerzan ainda mantém seu programa 
na "Radio Anarchy" da estação de rádio KWVA, que vai ao ar todas as terças-feiras às 7 da 
noite.

Zerzan está agora listado como uma das principais vozes do anarco-primitivismo ou 
anarquismo verde, uma parte do pensamento anarquista que incide sobre ambientalismo e 
desindustrialização. A filosofia critica tanto a civilização quanto a tecnologia.

Algumas dessas ideias também ganharam atenção nacional em 1990 após a prisão e condenação 
de Ted Kaczynski, também conhecido como o Unabomber, que matou três pessoas e feriu muitas 
mais durante uma campanha de atentados com cartas bomba que ocorreu entre 1978 e 1995.

Antes de sua prisão, Kaczynski escreveu "A sociedade industrial e seu futuro", um ensaio 
que critica a tecnologia e a industrialização como um prejuízo à sociedade e à liberdade 
humana. Zerzan acredita que Unabomber e este ensaio tiveram pelo menos alguma influência 
sobre os subsequentes protestos anarquistas em Eugene.

O próprio Zerzan visitou Kaczynski antes de sua condenação em 1998. "Pude ver que tínhamos 
as mesmas ideias", disse Zerzan. No entanto, a ênfase foi colocada em diferenciar seus 
métodos: "Não é a mesma abordagem tática, colocar algo no correio para explodir um 
funcionário ou carteiro ou qualquer outra coisa, isso não está certo".

Zerzan mantém seu programa de rádio em funcionamento desde 2001 e já transmitiu mais de 
800 episódios. Ele também é editor da "Black and Green Review", uma revista 
anarco-primitivista atualmente em sua quinta edição. O objetivo principal da revista é 
"aprofundar as críticas anarco-primitivistas e verdeanarquistas através de discussões 
abertas e debates".

Apesar da relevância duradoura de Zerzan, ele continua sendo um dos poucos vestígios da 
comunidade anarquista de Eugene, outrora movimentada e altamente visível.

Admite que a cena anarquista em Eugene certamente se acalmou.

"Até[2006]havia agitação", disse ele. "A normal e silenciosa Eugene voltou, e eu amo 
Eugene, mas a cena anarquista... todos eles se espalharam".

O ex-prefeito Torrey também percebe essa mudança, mas reconhece as formas em que ainda há 
uma cultura anarquista em Eugene: "Não perto de ser tão prevalente como era no passado, eu 
acho que agora[as atividades anarquistas]são atividades mais orientadas para a 
sociedade[em vez do confronto]".

E isso certamente parece verdade quando se considera o Coletivo Anarquista do Bairro 
(Neighborhood Anarchist Collective-NAC), um dos desenvolvimentos mais recentes da 
comunidade anarquista de Eugene.

De acordo com os princípios do NAC, o coletivo baseia sua atividade numa visão de 
anarquismo social que enfatiza as ideias de ajuda mútua, autonomia e apoio comunitário.

"O problema com nosso atual sistema é que a democracia não é real", disse Serra Joy, que 
ajudou a fundar o NAC no ano passado. "Se todos nós realmente tivéssemos uma voz e 
realmente participássemos desse sistema, então teríamos uma democracia direta, isso é 
anarquismo no sentido que eu vejo: anarquismo social".

Joy nem sempre se identificou como anarquista. De fato, ela recentemente se envolveu 
depois de uma série de eventos que a fizeram perder a fé no atual sistema político do país.

"Bernie[Sanders]veio como foi", disse Joy. "Antes disso, eu poderia dizer a mim mesma que 
só precisávamos da pessoa certa, só precisávamos de pessoas suficientes, mas mesmo com a 
pessoa certa, com as pessoas adequadas e o grupo certo, não funcionou".

Para Joy, a ênfase que o anarquismo social dá à comunidade é o que lhe dá esperança de 
ficar longe de um sistema político infame. "Se você não pode influenciar a democracia, se 
você não pode votar a favor de uma mudança em grande escala, então nós temos que olhar 
mais localmente", disse ele. "Desde que fiz isso, me sinto mais fortalecida".

Parte dos objetivos do NAC é se reconectar com a forte cultura anarquista do passado de 
Eugene. "Nós estávamos cientes disso e sentimos que queremos ajudar a reviver essa 
cultura", disse Joy. "Queremos ajudar as pessoas a se capacitarem, a verem o poder que têm 
dentro de si e do grupo de amigos".

Uma maneira pela qual o NAC tenta atingir esse objetivo é através de um evento mensal 
chamado "Share Fair" (Feira Colaborativa). "Normalmente, coletamos muitos recursos e apoio 
das organizações e criamos espaços para que as pessoas recebam esses recursos e encontrem 
a conexão com a comunidade", disse Joy. O evento coloca à disposição da comunidade coisas 
como atendimento médico, cortes de cabelo, apoio emocional, comida e roupas, tudo de graça.

Através da Feira Colaborativa, mais de 100 pessoas passaram por cada evento durante seus 
seis meses de existência. "É muito divertido e sinto que este é o melhor projeto que saiu 
do Coletivo Anarquista do Bairro", disse Joy.

Além da Feira Colaborativa, o NAC organiza eventos educativos, tais como exibição de 
filmes e clubes de leitura radicais e eventos para escrever cartas de apoio aos presos 
políticos.

Para Joy e Zerzan, essas ideias anarquistas ainda são muito relevantes e necessárias para 
recuperar o senso de comunidade.

"A comunidade[tradicional]se foi", disse Zerzan. "Foi engolida pela sociedade de massa, 
então todo mundo quer isso... mas não, não conseguem". Por essa razão, Zerzan chega a 
dizer que a sociedade provavelmente verá outra revolta[anarquista].

Seja ou não verdade, é claro que o pensamento anarquista ainda tem seu lugar dentro de Eugene.

"É incrível como muitas pessoas estão realmente interessadas nos valores básicos e 
fundamentais da teoria anarquista em que nos movemos", disse Joy. "Minha esperança com o 
anarquismo em geral é que ajudem às pessoas a encontrar essa comunidade que tanto precisamos".

Fonte: 
https://www.dailyemerald.com/2018/07/30/the-evolution-of-eugenes-anarchist-movements/#.W1_kE6g8xmI.email

Tradução > Liberto

Conteúdo relacionado:

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2014/08/12/eua-novo-infoshop-em-eugene-oregon/

agência de notícias anarquistas-ana


Mais informações acerca da lista A-infos-pt