(pt) [Paraguai] Não votemos By A.N.A. (ca, en)

a-infos-pt ainfos.ca a-infos-pt ainfos.ca
Quarta-Feira, 25 de Abril de 2018 - 07:10:07 CEST


As anarquistas do Paraguai¹ chamamos a não votar. Simplesmente isso, a não votar. A não 
ser parte, de nenhum modo, do show eleitoral feito para legitimar a desordem opressiva que 
nos fazem viver os poderosos criminosos que nos governam desde a política, da economia e 
da religião. ---- Não votar é não emprestar o corpo a essa operação de salvar as 
aparências que o sistema tem para dar umas pílulas de esperança de tempos em tempos com o 
propósito de: desviar as lutas sociais para uma saída eleitoral; reciclar a direção 
política do sistema cooptando novos participantes e ao mesmo tempo relegitimando aos 
velhos participantes; marcar a agenda noticiosa e midiática para desviar a atenção dos 
temas que realmente preocupam às pessoas e que tem que ver com sua vida econômica, social 
e territorial; concentrar em um espetáculo eleitoral toda a atenção social com o objetivo 
de medir as forças que são capazes de mobilizar os órgãos de controle e divisão política 
que são os partidos políticos.

Não votar é não tornar-se parte do sistema nem de sua legitimação rotineira. Não votar é, 
combinado com a luta social, uma declaração de rebeldia a todo o sistema e a quem são seus 
administradores políticos. Não votar é uma coerente declaração antissistema.

Não votar não é o mesmo que "votar nulo" ou "votar em branco". Votar nulo ou em branco são 
propostas de partidos políticos que criticam a oferta de candidaturas que há nestas 
eleições, mas querem seguir legitimando as eleições e fazer sua própria medição de força 
eleitoral contando os votos nulos ou brancos como seus em vista de apresentar, chegado o 
momento, a seus dirigentes como candidatos. O chamado a votar nulo ou em branco é um 
chamado a participar das eleições sem eleger candidatos com a mesma intenção dos que 
elegem candidatos: medir seu "músculo eleitoral", constituir-se como forças apetecíveis 
para futuras alianças eleitorais e propor desde já a seus dirigentes como possíveis 
figuras a aparecer em cédulas de voto.

Votar nulo ou em branco é o mesmo que votar: legitima e faz parte do sistema, não 
questiona nada salvo a oferta atual de candidaturas e tem o objetivo de medir a 
porcentagem eleitoral dos partidos que chamam a votar nulo ou em branco.

Por isso as anarquistas não votaremos, porque não legitimamos este sistema opressor em 
nenhuma de suas partes e propomos a luta e a desobediência em qualquer lugar. Se você 
acredita que é antissistema ou rebelde ao sistema, não vá votar, não empreste seu corpo ao 
sistema. O resto é politicagem antissocial.

Tetã'y Periódico

FB: https://www.facebook.com/Tetãy-Periódico

Tradução > Sol de Abril

[1]As eleições gerais no Paraguai estão previstas para 22 de abril, a sétima desde a 
redemocratização, em 1989. Além de um novo presidente e seu vice, serão escolhidos 
governadores, senadores e deputados, tanto no parlamento local como no do Mercosul.

agência de notícias anarquistas-ana

https://noticiasanarquistas.noblogs.org/post/2018/04/19/paraguai-nao-votemos/


Mais informações acerca da lista A-infos-pt